Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Bíblia’

Deparei-me com a propaganda de uma bíblia, que tenta justificar a sua versão à sombra da Graça. Para isto, apelam para a tal chamada minorias, mas fica claro tratar-se de um título voltado a homossexuais.

O mesmo título teria ocasionado atrito com a Sociedade Bíblia do Brasil (SBB), que teria cedido a versão Almeida, mas, depois não mais cedera. Não existe Bíblia a premiar grupos, pois o SENHOR não é seletivo, mas inclui todos os que se arrependem de seus pecados, conforme preconiza Sua própria Palavra, e o deixam: ‘Quem confessa e deixa alcança misericórdia’ (Pv 28.13).

Na verdade é uma bíblia sem a Graça (unção); sem a Graça (favor divino), pois é desfavorável; mas cheia de graça (de gracejo, no sentido de desrespeito, insolência, zombaria, ofensiva…) e, portanto, irreverente. Um dos textos que trata sobre a Graça está em João 1.14, a indicar a manifestação divina em Cristo: ‘… e vimos a sua Glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de Graça e de Verdade’ (o grifo – maiúsculas -, é meu). Glória, Graça e Verdade não existem separadamente.

Seria uma Bíblia própria no que diz respeito ao seu tema central, claramente exclusivista e, por força da adaptação (e do tema, que a impele), adulterada!

biblia GRAÇA

GRAÇA NÃO ACOMODA PETULÂNCIA!

Ao necessitar do favor divino, Sua Graça, o homem deve despir-se de seu orgulho, prepotência, petulância e pretensa destreza, para humildemente (de humus, terra), buscar que o SENHOR seja-lhe favorável.

Então, a Graça é construção de Cima para baixo. Não diz respeito, obviamente, à construção de um propiciatório (sê propício, favorável) exclusivo e pontual, por meio da desconstrução (destruir para reconstruir), de forma a tentar asfaltar um caminho para Deus vir ao homem!

Neste caso, a graça estaria no homem e não NELE. Por isto, digo, com base nessa inversão pensada, que essa graça, não passa de gracejo.

Imagine se cada anomalia, transtorno, variação, ideologia ou doutrinação humanos, minoria ou maioria, inventassem uma bíblia!? Isto fica claro nessa bíblia, que destrói o sentido original, para construir novas ideais e, então, ser favorável, por uma graça própria, o homossexualismo.

TENTATIVA POR MEIO DA DESCONTRUÇÃO

Levítico 18.22 que afirma

‘Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação’ (KJV), foi reescrito eliminando a condenação, e ficou assim:

‘Não te deitarás com a humanidade como se fosse mulher no templo de Maloque; isso é uma abominação’.

Esta mudança de texto e do sentido sabido e indicado no conjunto (texto e contexto) é ainda condenada pela própria Bíblia, de forma profética, pois havia na ciência divina, a previsão desse fato, conforme Apocalipse 22.18-19:

‘Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro’.

Humanidade não é o mesmo que homem, no sentido do gênero, isto é, macho. É o sentido abrangente, incluindo macho e fêmea, isto é o ser humano, o homem.

Por outro lado, os homossexuais tentam minimizar os textos que condenam o homossexualismo, pois afirmam que a condenação diz respeito à exposição homossexual como parte do culto pagão. Com esta construção, chegam à conclusão que nada diz respeito à prática em si, dentre outras afirmações inócuas.

CONTER A PALAVRA

Porquanto essa bíblia contém (tem) a Palavra, bem diferente de estar contida, a indicar o que ‘está inserido, compreendido ou encerrado no interior de;’ ‘que está totalmente dentro…’; Que não passa de certos limites’.

Um dos termos mais importantes da bíblia é graça. Não há um conceito mais central para a vida de um Cristão do que a graça. Não merecemos graça, mas não podemos viver sem ela. Nossas falhas são apagadas, nossos corações são amaciados apenas através da Graça Divina. Qual é a forma original em hebraico de expressar isso?

A PALAVRA ORIGINAL PARA GRAÇA

No hebraico, a palavra para graça é chesed. Ela aparece na Bíblia desde Gênesis 19.19, quando Ló agradece aos anjos do SENHOR pela visita e aviso da destruição Sodoma e Gomorra, tomadas pelo homossexualismo:

‘…teu servo tem achado graça aos teus olhos’. A graça que os anjos demonstraram é chesed. ‘Graça significa bondade, compaixão sem expectativa de recompensa’, na visão judaica. Chesed é uma palavra muito rica e aparece centenas de vezes na Bíblia. Chesed é o amor gratuito e inesperado conferido por Deus aos seres humanos, sem particularidades.

Anúncios

Read Full Post »

Imagem

Voltamos a estudar a Palavra neste quinta (13/2/14), Romanos 8.

Falamos sobre o homem natural, carnal (de sark, gr), sob o domínio do pecado ou em Adão, conforme 1Corintios 15.21-22,45.

Contrasta com o homem pneumatikos (de pneuma, espírito, gr), a travar a batalha, enfrentar as prisões e os contras, conforme 7.23.

Para entendermos a separação existente entre esses dois seres: o de essência humana e o do (gerado pelo) Espírito (8.2), é preciso realizar análise própria ou auto-crítica, coisa que não costumamos fazer.

Em geral somos muito bons em crítica alheia e, embora o Criador não tenha dotado-nos de olho na nuca, também nutrimos o sentimento de ver as coisas pelo retrovisor, não obstante o para-brisas ser tão grande.

O grito de liberdade da escravidão, realidade que os que, na época, receberam a carta do apóstolo Paulo, conheciam muito bem e de perto, está no primeiro versículo desse capítulo: ‘Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito’.

Mas ainda para vivermos essa realidade é preciso responder à pergunta: Quem é você?

Não inicie a resposta com o famoso eu sou, pois irá igualar-se à divindade: Aquele que É, Aquele que Existe por ter Vida em si mesmo.

Eu sou indica eternidade ou que hoje, amanhã e depois você permanece e isto não é verdade, não é mesmo!?

Então penso que você poderia afirmar: estou fulano… pois tal frase não denota permanência, mas momento.

Somos somente quando o próprio Eu Sou está em nós. Porém, para que essa realidade se concretize, necessário é estarmos em renúncia até mesmo do nome – que reflete a (tua) pessoalidade, orgulho, caráter (o que está impresso em você)… – pois também Nele temos um novo nome, conforme Apocalipse 2.17.

Procure ser um homem, no sentido do ser (humano), não no sentido de gênero, pneumátikos (gerado pelo Espírito) e não sarkiano, sob o domínio do pecado (da carne).

Read Full Post »

“E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”, Gn 2.7.

Depois da evidência da proximidade entre o barro e a vida biológica, com provas da presença de “materiais típicos do barro que são fundamentais no processo inicial de formação biológica”, como a substância montmorillonite, efetiva na “formação de depósitos gordurosos e ajuda às células a compor o material genético chamado ARN (ácido ribonucleico), indispensável para a origem da vida” (Instituto Médico Howard Hughes e do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, agência EFE/Science), chega outra prova.

‘Árvore genealógica revela novas idades para ‘Adão’ e ‘Eva’”

Conforme mostra divulgada pela revista Veja (goo.gl/aQxa6x ) “pesquisadores descobrem que os mais recentes ancestrais comuns a todos os homens e mulheres do planeta podem ter vivido na mesma época: ele entre 120.000 e 156.000 anos atrás, e ela, entre 99.000 e 148.000 anos”.

Quer dizer que todos os humanos herdaram sua base genética de um mesmo casal oriundo da África.

No resultado dessa pesquisa existem algumas discrepâncias com o relato bíblico – não dariam o braço a torcer por completo – como a questão do tempo; o casal bíblico, que não seria o mesmo; e, necessariamente, não formariam casal.

Segundo a pesquisa, “foram os últimos ancestrais a partir dos quais se pode traçar uma linha direta de descendência paterna ou materna até os nossos dias”.

Interessante que a pesquisa diminuiu o número de anos, trazendo os ‘pais de todos os humanos’ para mais próximos de nós (três vezes mais perto que antes), deixando um pouco de lado o ‘foguete datador’ dos bilhões de anos…

Mostrou-e também a questão da criação divina de macho e fêmea, sem intermediários, pois uma parte do DNA, o cromossomo Y, que determina o sexo masculino, é transmitida exclusivamente pelo pai.

“É ele que contém as informações sobre o ancestral paterno comum”, que a Bíblia denomina Adão, isto é, homem, humano, aquele que veio da terra, chamado pela pesquisa de Adão cromossomial-Y.

“A conclusão é de que todos os cromossomos Y foram herdados da mesma pessoa – o ancestral paterno comum”, o Adão cromossomial-Y, que permanece sentado “no topo da árvore” genealógica dos humanos, do jeitinho que nós cristãos e judeus pregamos há milhares de anos… nem tanto como o ‘foguete datador’ acusa!

O lado do DNA transmitido pela mãe – a Eva miticondrial – é um pedaço do genoma que não está no núcleo, “mas na mitocôndria da célula”.

Também mostrou que não existe a ideia determinante do que se pensava antes, quanto a discrepâncias de datas entre o homem e a mulher. “Nossa pesquisa mostra, no entanto, que essa discrepância não existe”, conforme afirmação do professor de Genética na Universidade de Stanford e um dos autores da pesquisa, Carlos Bustamonte.  

Como a Bíblia diz

“E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”, Gn 2.7.

“Então o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada. Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”, Gn 2.21-24.

“Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez. Homem e mulher os criou; e os abençoou e chamou o seu nome Adão, no dia em que foram criados. E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete. E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas”, Gn 5.1-4

Linhagens

Os ramos genealógicos também são mostrados pela pesquisa do DNA humano a indicar, segundo pesquisadores, que “a configuração dos ramos ao longo do tempo se mostrou semelhante à distribuição das populações humanas”. Indicam que as linhagens saíram da África para a Ásia e Europa.

Geopolítica de hoje e a profecia de Noé

“E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos. E disse: Bendito seja o Senhor Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem, e seja-lhe Canaã por servo” (Gênesis 9.25-27).

A profecia de Noé, sobre os seus três filhos joga luz para os dias de hoje concernente aos povos. É justamente isso que se cumpre no mundo atual. Temos visivelmente o cumprimento dessa profecia.

De Canaã descenderam os africanos. Já no tempo dos patriarcas eles moravam naquela região, desde Israel (Canaã) que divisa a África da Ásia, até a África propriamente dita.

De Jafé descendem os jafetitas, os europeus. Eles detêm a supremacia econômica-política, com o MCE (união européia), e a maioria dos países mais ricos do mundo – o Grupo dos 7 ou Clube de Roma.

A promessa para Sem é religiosa. “Bendito seja o Deus de Sem”. Dos semitas, descendem as três maiores religiões do mundo – judaísmo, cristianismo e islamismo.

Dos filhos de Jafé saíram os colonizadores. Os europeus, especialmente por meio da Inglaterra e Portugal, colonizaram a África, repartindo-a como queriam e causando um grande transtorno às tribos, que até hoje lutam e são dominados, sofrendo com pestes, fome, degradação completa.

É um povo tomado de feitiçarias e adoração a ídolos. Chegam a oferecer seus filhos e a matar outros para serem oferecidos aos demônios, a exemplo do que faziam os cananeus. Muitas vezes Israel copiava seus pecados (2Rs 17.16-17 e 2Cr 33.1-6).

Dado a pecados de libação a deuses de vidas humanas, muitos povos foram exterminados da face da terra. A própria degradação moral os consumiu como os assírios, os maias e astecas, entre outros. O amor-livre na França quase os consumiu, pois não possuíam mais crianças, e ainda hoje procuram adotar crianças. O amor-livre quebra todas as barreiras morais, viabilizando o sexo entre qualquer pessoa, sem se importar com qualquer tipo de parentesco.

Fica claro dentro do quadro geopolítico do mundo de hoje o cumprimento da profecia de Noé (Mesquita, Antônio, Pontos Difíceis de Entender/CPAD, 2006).

Ainda como luz para o fato que descrevo, os cientistas falam de um período em que “a população sofreu um grande corte populacional, ao qual poucos indivíduos sobreviveram para transmitir seus genes… Mas também é possível que existam elementos da história humana que predispõe as linhagens a se sobreporem em determinados períodos”, diz o pesquisador Poznik (O grifo é meu).

O que ele diz, mesmo que não tenha essa pretensão, confirma tanto a questão do Dilúvio quanto a das três linhagens a partir de Noé, como as descrevo em meu livro Pontos Difíceis de Entender, inserido acima (sem atualização).

 

Read Full Post »

Na Bíblia cristã, isto é, Pentecostal, são citados somente dois Arcanjos: Miguel e Gabriel. Miguel é o Arcanjo Guerreador e Gabriel, Mensageiro do Senhor. Este anunciou o nascimento de Jesus Cristo.

Arcanjo tem como prefixo arc, (arc-anjo) que significa principal, superior… São tidos como Príncipes do Senhor. Porém, a tradição católica apresenta mais um arcanjo, chamado Rafael com base em uma fonte apócrifa – o livro de Tobias.

ARCANJO MIGUEL

“Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda”, Jd 1.9. “Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia”, Dn 10.13. “E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos”, Ap 12.7.

ARCANJO GABRIEL

“E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas”, Lc 1.19. “Alegres novas” é o mesmo que Boas-Novas, que significa Evangelho ou Mensagem. “Estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio, voando rapidamente, e tocou-me, à hora do sacrifício da tarde”, Dn 9.21.

SENHOR COM VOZ DE ARCANJO

Uma das citações bíblicas, na Volta de Jesus, fala de sua voz, como de Arcanjo (Príncipe): “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro”, 1Ts 4.16.

RAFAEL – O SUPOSTO ARCANJO

Segundo a tradição católica romana, este Arcanjo teria como principal característica ajudar na cura dos doentes e, por isso, seria o guardião da saúde, incluindo a saúde espiritual. Mas, o tal arcanjo Rafael é de existência duvidosa, tanto por sua atuação – pois essa atividade não era própria no Antigo Testamento –, quanto por estar citado no Livro de Tobias, um apócrifo (livro não canônico, não reconhecido como inspirado).

Nem só a Igreja, mas também, e principalmente, os judeus não o consideram como inspirado, mas apócrifo (não autêntico). Os protestantes basearam o Velho Testamento no mesmo número e livros aceitos pelos judeus, seguindo apóstolo Paulo, que demonstra essa autoridade, em Romanos 3-1-2: “Qual é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas”.

Tobias é um dos 13 livros apócrifos que, embora reconhecidos como não inspirado, também pela Igreja Católica Romana, está inserido em sua Bíblia (Velho Testamento).

Sua história também não convence: “Foi o Arcanjo enviado por Deus para curar a cegueira de Tobias e acompanhá-lo numa longa e perigosa viagem para conseguir uma esposa”.

Os arcanjos atuavam pró-Israel (nação) e nunca de forma individual, como no caso. Quando havia o envolvimento individual – Daniel e no nascimento do Senhor – havia o interesse tanto nacional quanto mundial.

Nos casos individuais, os anjos são capazes para tal e não necessitaria da intervenção de um Arcanjo. O trabalho dos anjos é atuar a favor dos salvos, com respeito à própria salvação: “E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, Até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés? Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?”, Hb 1.13-14.

Não se vê essa atuação nem no Velho e tampouco no Novo Testamento. Nos casos de curas divinas, o que se tem é a interferência divina por meio de homens ungidos. No VT os profetas e sacerdotes eram homens usados para esse fim.

A CREDIBILIDADE DO ESTRANHO LIVRO

É fácil entender o porquê de o livro não ser reconhecido. A história é pitoresca, não menos fictícia, e não convence, até mesmo quanto ao motivo da cegueira de Tobias.

Ele dormia sob um ninho de andorinha, à beira de um muro em sua casa, e o pássaro, ao defecar, acertou os seus olhos, tornando-o completamente cego (Tb 2.11). Outras referências conclamam a não aceitação do livro como inspirado, haja vista sua história sair totalmente do foco bíblico.

O livro trata de um homem piedoso, mas teve seu filho degolado, era ridicularizado pelos vizinhos e levava corpos de mortos para sua casa, onde os escondia, após os recolher a cada dia das ruas, para depois sepultá-los. Era insultado e ridicularizado pelos chefes, parentes e amigos. Era esmoleiro e até sua mulher Ana o censurava duramente (12.22).

É uma história de pobreza extrema, sofrimento e ainda contém a doutrina espírita da justificação pelas obras. Embora o texto exalte a humildade de Tobias, mas em outro trecho ele reclama da situação, com um anjo: “Que alegria posso eu ter ainda? Estou nas trevas sem poder ver a luz do sol” (5.12).

Há também uma história estranha de uma mulher chamada Sara, dada a sete maridos e que um demônio de nome Asmodeu os matava (3.7). Por fim, aparece um anjo de nome Rafael (mas é citado com o anjo e não como Arcanjo): “e um santo anjo do Senhor, Rafael, foi enviado para curar Tobias e Sara, cujas preces tinham sido simultaneamente dirigidas ao Senhor”, 3.25.

Aparece ainda um anjo, que se apresenta como Azarias, filho do grande Ananias (5.18), guia de Tobias rumo à Média (império que se ligou ao Persa).

No Rio Tigre um grande peixe salta do rio para atacar Tobias e o anjo manda que Tobias mate o peixe e tome suas entranhas para serem usadas como remédio – o figado, o coração e o fel.

Não bastasse isso, tem mais espiritismo, pois quando quis saber sobre o poder de cura do coração do peixe, o anjo ensinou que sobre brasas a fumaça resultante do coração queimado expulsaria demônios (6). Depois o fígado do peixe também seria queimado para expulsar demônio de Sara, com quem Tobias deve casar-se, mesmo com medo do demônio que matava os seus maridos. Sara é chamada de donzela (virgem).

Embora Tobias é tido como curado por Rafael, fora Azarias que o ensinou como ser curado e não o curou propriamente. Mais uma vez, de forma estranha e longe dos preceitos bíblicos, Tobias é orientado a usar o fel do peixe, colocando-o sobre os olhos para ser curado.

ERROS DOUTRINÁRIOS

Esse livro é composto de lendas, tem o tal anjo Rafael como coadjuvante e ainda claras heresias:

– Intercessão por meio de oração dos mortos (12.12);

– Caridade e obras como meio de salvação (4.11-12; 12.9;

– Um anjo diz ser de linhagem humana (5.16-19);

– Formas místicas de curandeirismo (6.5; 11.8);

– O tal anjo Rafael é tido como arcanjo pela tradição da Igreja Católica Romana.

Read Full Post »

As Sociedades Bíblicas Unidas (SBU), organização que congrega 147 Sociedades Bíblicas em todo o mundo, agora tem como presidente o doutor em Teologia Rudi Zimmer. Ele é diretor-executivo da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) e fora eleito por unanimidade.

Zimmer atua na SBB há 20 anos e também fora professor de seminário teológico. na SBB, foi eleito por unanimidade pela. O anúncio foi feito em 17 de maio, durante reunião da Diretoria Mundial, realizada na abadia de Missenden, Buckinghamshire, Inglaterra.

Zimmer recebe o reconhecimento de seu trabalho pela SBU

Criada em 1946, as SBU têm o objetivo de criar estratégias de cooperação mútua que facilitem o processo de tradução, produção e distribuição das Escrituras Sagradas, numa linguagem que as pessoas possam compreender e a um preço que possam pagar. Esse movimento pela difusão do Livro Sagrado teve início em 1804, com a fundação da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira, em Reading, Inglaterra.

Com MBA em Administração pela Fundação Instituto de Administração (FIA), o novo presidente fala fluentemente inglês, espanhol e alemão, além do português. Pastor luterano, Zimmer continua ensinando e orientando os estudos bíblicos em sua igreja local. “Deus colocou mais esse desafio em minha vida. Agradeço a todos pelo voto de confiança. Peço que intercedam por mim, para que eu consiga cumprir mais essa missão, contribuindo para que a Palavra de Deus alcance ainda mais corações mundo afora”, declara Rudi Zimmer.

Para ocupar a vice-presidência da Diretoria Mundial, foi escolhido o secretário-geral da Sociedade Bíblica do Líbano, Michael Bassous. Com doutorado em Administração e Liderança de Organizações, Bassous é membro do Comitê Executivo da Diretoria Mundial, entre outros cargos regionais e globais dentro da SBU.

A Sociedade Bíblica do Brasil é uma entidade sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, assistencial, educativa e cultural. Sua finalidade é traduzir, produzir e distribuir a Bíblia, um bem de valor inestimável, que deve ser disponibilizado a todas as pessoas. Além disso, por seu caráter social, desenvolve programas com o objetivo de promover o desenvolvimento espiritual, ético e social da população brasileira.

Read Full Post »

Marca histórica de produção da Bíblia no Brasil

Agora em maio a Gráfica da Bíblia vai completar a impressão de 100 milhões de Bíblias. Para agradecer a Deus esta grande conquista, a Sociedade Bíblica do Brasil vai realizar um grandioso Culto em Ação de Graças no dia 10 de junho, no Ginásio Poliesportivo José Correa, em Barueri.

Vários pastores já confirmaram a mobilização de suas igrejas para participarem com caravanas. Qualquer um pode juntar-se à SBB, divulgando este evento e também mobilizando a sua igreja, trazendo um ou vários ônibus para esse culto, que representa a vitória de todo o povo de Deus.

Material de divulgação

É somente solicitar a quantidade desejada de material para a divulgação que a SBB enviará imediatamente.

1) Convite Especial_____unidades (para pastores e autoridades)

2) Folder do Evento_____unidades (para pastores e autoridades)

3) Folhetos_____unidades (para todos os irmãos).

Confirmação de caravanas

Para ajudar na organização do evento, a SBB solicita a gentileza de informar a quantidade provável de convidados que a igreja conduzirá. Esta quantidade pode variar para mais ou para menos.

“Com esta previsão em mente, vai ser possível tomar todas as providências para oferecer o máximo de conforto a todos. Divulgação Ajude-nos na divulgação deste evento em todas as igrejas sob sua liderança e também entre pastores do seu relacionamento”, solicita a Sociedade Bíblica.

Hot site

Visite o site do evento e divulgue o endereço para o seu mailing de emails: http://www.100milhoesdebiblias.org.br

Read Full Post »

A nova edição do Seminário de Ciências Bíblicas será realizada nos dias 1 e 2 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ). Iniciativa da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o evento tem como objetivo transmitir às igrejas, lideranças cristãs e comunidade universitária um pouco do conhecimento envolvido na arte de traduzir a Bíblia Sagrada e difundir os seus ensinamentos a todas as pessoas.

Realizados desde ano 2000, esses encontros já alcançaram milhares de pastores, líderes cristãos, obreiros, professores de escola bíblica e seminaristas. Para celebrar esta primeira década de existência, a SBB promoverá diversas edições do evento ao longo de 2010, com palestras diferenciadas. A edição do Rio de Janeiro terá dois painéis, além de espaço para uma sessão de perguntas e respostas.

As palestras serão realizadas na Capela da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Campus Maracanã. O moderador do evento será o Maurício Price, presidente do Diretório Estadual da SBB no Rio de Janeiro. Haverá também apresentações musicais do Coral Altivoz da UERJ, Coral Corporativo da Petrobras e Coral Arthur Lackschevitz.

A entrada é franca. Inscrições podem ser feitas no dia e no local. Serão fornecidos certificados de frequência aos participantes. Mais informações pelos telefones 21-2221.9883, ramal 463 ou por meio do site www.sbb.org.br.

Programação

1 de  setembro – das 19h30 à 22h30

§        Os desafios e perspectivas da obra bíblica no mundo – Paulo Teixeira. A palestra traça panorama dos maiores desafios para o desenvolvimento da obra bíblica no mundo. Tem como enfoque principal a tradução e publicação das Escrituras Sagradas, a partir das diretrizes da Assembleia Mundial das Sociedades Bíblicas Unidas, realizada em Newport, País de Gales, em 2004.

Paulo Teixeira é teólogo e linguista, especialista em Língua e Literatura Hebraicas e secretário de Tradução e Publicações da SBB.

2 de setembro – das 19h30 às 22h30

§        Interpretação da Bíblia para o homem de hoje – Lécio Domas. A interpretação da Bíblia deve levar em consideração as distâncias cronológica, geográfica e cultural. É preciso atender a alguns requisitos como, por exemplo, crer que a Bíblia é a Palavra de Deus. Faz-se necessário, também, que sejam atendidos determinados princípios: contexto; histórico, gramatical, teológico e prático.

Lécio Domas é especialista em Educação Religiosa, escritor com 15 obras publicadas e professor de Teologia do Antigo Testamento, Liderança e Métodos de Estudos Bíblicos há 20 anos. Membro da Diretoria Nacional da SBB e do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira. É docente nacional e credenciador de docentes do Instituto Haggai do Brasil e pastor batista há 21 anos, atualmente pastorea a Igreja Batista Dois de Julho, em Salvador (BA).

Maurício Price – o moderador. Pastor e pregador avivalista é presidente do Diretório Estadual no RJ e Conselheiro Nacional da Sociedade Bíblica do Brasil. É membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil e coordenador da Capelania Universitária Evangélica. Graduado em Medicina na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), é ainda radialista e evangelista, escritor e colunista de vários jornais e revistas cristãs.

Seminário de Ciências Bíblicas no Rio de Janeiro
Data:              1 e 2 de setembro de 2010
Horário:         Das 19h30 às 22h
Local:              Capela da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Endereço:      Rua São Francisco Xavier, 524 – Campus Maracanã – Rio

Inscrição:       Gratuita

Informações: 21-2221.9883, ramal 463 e 2101.1300

Release distribuído pela Assessoria de Imprensa da SBB – 11-3289.2139, Denise Lima: 11-9611.7381 e Luciana Garbelini: 11-9292.2131

Read Full Post »

Older Posts »