Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \30\UTC 2009

O lançamento da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) é super interessante porque reúne informações abrangentes, que auxiliam os leitores no entendimento das Sagradas Escrituras. O Manual Bíblico SBB, publicação sem tendência doutrinária, foi criada para ser usada com a Bíblia em qualquer versão ou tradução. O diferencial deste livro é a junção em uma só obra de valiosas informações que antes só podiam ser encontradas em vários livros e de diversas referências.
 
O Manual analisa cada livro bíblico parte por parte e oferece resumos e anotações. Ilustrações, mapas e diagramas – todos em cores – esclarecem o significado do texto bíblico e permite que interesses específicos sejam investigados em detalhe.

Lançamento reúne informações que auxiliam os leitores no entendimento das Sagradas Escrituras

Lançamento reúne informações que auxiliam os leitores no entendimento das Sagradas Escrituras

Dividido em quatro seções
1) Introdução à Bíblia – Começando a estudar a Bíblia; A Bíblia no seu contexto; Entendendo a Bíblia; Transmitindo a história; A Bíblia hoje; 2) O Antigo Testamento – Os Cinco Livros; a História de Israel; Poesia e Sabedoria; Os profetas; 3) O Novo Testamento – Os Evangelhos e Atos; As Epístolas; 4) Auxílio Rápido – O guia de consulta rápida é um diretório da Bíblia e do material contido no livro. Ele aponta os principais personagens, lugares, acontecimentos e ensinamentos bíblicos.
 
A riqueza do conteúdo da obra não pára por aí. Ela contém ainda: Guia da Bíblia de 680 páginas, dividido em seções, com anotações explicativas sobre palavras-chave e questões de significado e interpretação; 126 artigos de especialistas sobre o contexto e o uso da Bíblia, além de assuntos de interesse especial; mais de 700 fotografias e ilustrações coloridas, retratando com vivacidade o mundo dos personagens e acontecimentos bíblicos; 68 mapas colocados em pontos fundamentais, com localizações e outros detalhes necessários ao estudo do texto, 20 quadros e diagramas, apresentando informações históricas e contextuais de forma visual e prática.
 
Identificação
O Manual Bíblico SBB é uma verdadeira edição acadêmica em papel cuchê, no formato de 16 x 24,5cm, 816 páginas, em quatro cores e belas fotos de páginas duplas, de capa dura e ilustrada, a R$ 59,90. Informações pelo 0800-727-8888.

Eu gostei da obra e a recomendo.

Anúncios

Read Full Post »

A Folha Online divulgou hoje (domingo) notícia distribuída pela agência da Efe (da Cidade do Vaticano), sobre o anúncio. O papa Bento 16 disse que os restos mortais estão na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma.

Segundo o líder católico “recentemente uma sonda foi inserida no sarcófago que se conserva sob o altar maior local, e revelou a existência, no interior do sarcófago, de um precioso tecido de linho de cor púrpura laminado em ouro puro e outro de cor azul com fios de linho, assim como de grãos de incenso vermelho e substâncias protéicas e calcárias”.

Foram encontrados ainda “pequenos fragmentos ósseos, que foram submetidos a exames por ‘especialistas que desconheciam de onde provinham, e que deram como resultado pertencer a uma pessoa que viveu entre o primeiro e o segundo século’”, acrescentou o papa.

“Tudo parece confirmar a unânime e incontrastável tradição de que se tratam dos restos mortais do apóstolo Paulo, o que nos enche de profunda emoção”, afirmou o pontífice.

Segundo Bento 16 os restos mortais do apóstolo Paulo estão na na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma (Foto www.vatican.va)

Segundo Bento 16 os restos mortais do apóstolo Paulo estão na na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma (Foto http://www.vatican.va)

Possibilidades

Não obstante a importância da descoberta para a história cristã (caso ela seja comprovada) ela é de difícil autenticação científica em função do tempo. Não havia na época, meios favoráveis para tal preservação, pois o apóstolo viveu justamente na pior fase do cristianismo. Ele sofrera perseguição tanto dos judeus quanto dos romanos, embora detivesse as duas cidadanias.

Outro fator que pode ser negativo quanto à comprovação, diz respeito a ausência de referências pessoais de Paulo, para comprovar o achado e também os próprios achados. As preciosidades encontradas no sarcófago, como linho de cor púrpura, laminado de ouro, parece não condizer com o que Paulo pregava: “…não ambicioneis coisas altas , mas acomodai-vos às humildes…” (Rm 12.16).

Porém, caso seja real, é uma grande descoberta que reforça os preceitos cristãos estabelecidos pelo Criador, por meio do apóstolo Paulo. Ele estabelecera as doutrinas da Igreja do Senhor, através das Epístolas pastorais. Por outro lado, nada, além da própria Palavra revelada e da ação do Espírito em cada crente, serve para validar a Palavra. As descobertas arqueológicas ou provas científicas não têm autoridade para isso, conforme afirmamos no livro Pontos Difíceis de Entender/CPAD.

Bento “lembrou os vários escritos de Paulo de Tarso, entre eles as Cartas aos Romanos, nas quais fala do ‘homem novo’” e que o “homem velho é aquele cujo pensamento só está no ter, no possuir, no bem-estar, na influência, na fama…”.

O líder católico critica o homossexualismo quando afirma que “O ‘homem novo’ deve (…) …reconhecer o casamento entre um homem e uma mulher para toda a vida, como ordenamento de Deus e algo restabelecido por Cristo”.

Read Full Post »

As críticas foram transmitidas pelo próprio pastor Samuel Câmara, em seu programa semanal na RedeTV, no sábado, dia 13 de junho. Elas realçaram as discussões realizadas durante as eleições da CGADB, em abril.

  

Para justificar sua crítica, tornando fatos internos da CGADB expostos a membros da denominação e também ao mundo secular, pastor Samuel disse que a CGADB não é igreja, mas uma organização de filiação de pastores e evangelistas da AD, assim como categorias profissionais seculares, a exemplo de associações e sindicatos. 

 

A crítica mais contundente diz respeito à devolução de cheques sem fundos, emitidos pela CGADB. O assunto foi exposto pelo pastor Silas Malafaia, atual primeiro-vice-presidente da CGADB, durante a Convenção em abril. Lá, após a exposição do assunto, o tesoureiro da CGADB, pastor Jonas, foi convidado pelo presidente a defender-se das acusações, mas se perdeu e não teve sucesso. Com isso acabou não reeleito, condição que fora atribuída por muitos em função da explicação aquém do esperado. 

 

Porém, após análise do caso por uma comissão, indicada pelo presidente, o próprio pastor Silas Malafaia, da chapa do pastor Samuel Câmara, sugeriu a aprovação das contas, o que aconteceu.

 

A Nota esclarece fatos, que não foram explicados pelo pastor Samuel, e acabam clareando alguns pontos que ficaram obscuros em sua fala.  

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O presidente da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB, no exercício de suas atribuições estatutárias;

Considerando o ofensivo pronunciamento do membro Samuel Câmara, levado ao ar em programa televisivo no dia 13 de junho de 2009, oportunidade em que suscitou inverídicas suspeitas sobre a lisura das assembleias gerais da CGADB e respectivos procedimentos eleitorais, que ensejaram a reforma dos Estatutos e a reeleição de Membros da Mesa Diretora, estendendo seus ataques à atual e às anteriores administrações da entidade;

Considerando que o pronunciamento do membro Samuel Câmara denigre, direta ou indiretamente, a imagem, a honra e a dignidade da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB, assim como de seus dirigentes e todos os membros convencionais;

Considerando que, de acordo com as normas estatutárias, cabe ao presidente da Mesa Diretora o direito de defesa, em Juízo e fora dele, da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB);

O BEM DA VERDADE e por meio do Mensageiro da Paz (a nota ainda será publicada), vem prestar os seguintes esclarecimentos, a todos quantos possam interessar:

REFORMA DOS ESTATUTOS

1) As reformas do Estatuto Social da CGADB, algumas delas por proposta do próprio convencional Samuel Câmara, se deram por imperiosa necessidade de sua adequação aos ditames do Novo Código Civil (Lei nº 10406/2002) assim como à realidade da própria CGADB, sendo a penúltima realizada na cidade Maceió (AL). A última reforma (AGE de Porto Alegre-RS), foi efetivada principalmente para permitir a eleição eletrônica, que foi inaugurada com sucesso na AGO de Vitória, Estado do Espírito Santo, mediante a utilização de urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral daquele acolhedor Estado, sendo, inegavelmente, uma grande vitória e profundo avanço, dado o expressivo número de eleitores que participam das AGOs.

DO PROCEDIMENTO ELEITORAL 

2) Todos os procedimentos eleitorais da CGADB, sem qualquer exceção, sempre foram realizados às claras e de forma democrática, e sem manipulação, com inteira observância das disposições legais e estatutárias. Todos os convencionais tiveram plena liberdade para se inscrever como candidatos aos cargos eletivos. Prova disto que o próprio denunciante Samuel Câmara vem participando de sucessivas eleições, como candidato, tendo sido eleito, inclusive, como 1º vice-presidente da Convenção Geral, biênio de 2005/2007, afora outras funções eletivas que exerceu junto à Mesa Diretora, fatos que jamais poderá negar mesmo porque estão registrados nos anais da Convenção Geral. A reeleição do pastor José Wellington Bezerra da Costa, como presidente, e a eleição dos demais membros da Convenção Geral, a par da estrita observância das disposições estatutárias, devem ser tributados ao livre e consciente exercício do direito de voto dos convencionais que compareceram às sessões da Assembléia Geral, a exemplo dos respeitáveis votos atribuídos ao denunciante Samuel Câmara, restando-lhe apenas a lamúria de sua mal conduzida campanha. Duvidar da lisura, da condução e do resultado das eleições, como o fez deliberadamente o denunciante, equivale a subestimar a própria inteligência dos convencionais que participaram do certame. 

3) Quanto às inscrições de convencionais, principalmente daqueles que participaram da última eleição, são infundadas as denúncias propaladas pelo membro Samuel Câmara, a exemplos dos demais fatos que ele veiculou em programa de televisão. Inicialmente, convém esclarecer que as inscrições foram acompanhadas pelo próprio convencional Samuel Câmara e seus assessores, tendo resultado na confecção de um relatório subscrito por ele (Samuel Câmara) e pelos membros da Comissão Eleitoral. E é oportuno informar que as impugnações do denunciante foram examinadas e rejeitadas pela Comissão Eleitoral, por ausência de qualquer irregularidade. Não era verdadeira a alegação de falta ou intempestividade de pagamento das taxas de inscrições ou de anuidades envolvendo 1.626 inscrições. Todas foram pagas a tempo e modo, cumprindo ressaltar que alguns convencionais, residentes na cidade do Rio de Janeiro, efetuaram os respectivos pagamentos no dia 21 de janeiro de 2009, porque o dia 20 de janeiro de 2009, último dia de prazo, foi FERIADO na cidade do Rio de Janeiro e, de acordo com o artigo 132, § 1º, do Código Civil, “Se o dia do vencimento cair em feriado, considerar-se-á prorrogado o prazo até o seguinte dia útil”. E nada melhor do que cumprir a Lei, como sempre foi do feitio dos membros da Convenção Geral, cuidado que o denunciante demonstrou não possuir. Por outro lado, o denunciante insinua que 1.300 convencionais compareceram somente no dia da votação, mas não estariam inscritos no prazo do edital. Mais uma inverdade pronunciada pelo membro Samuel Câmara. Todos os 1.300 convencionais estavam inscritos. Por sua vez, não se pode censurar os convencionais que optaram por comparecer ao local de votação somente no dia da eleição, visto que a participação dos atos correlatos ao pleito é de livre iniciativa de cada convencional. Curioso que o denunciante Samuel Câmara, deliberadamente, deixou de mencionar os convencionais que ele apresentou às vésperas da eleição, e, portanto, fora do prazo regimental, os quais foram inscritos em cumprimento de decisões judiciais provisórias proferidas em ações que eles ajuizaram contra a CGADB perante a Comarca de SERRA, Estado do Espírito Santo.

 DO CADASTRO E DO REGISTRO DE CONVENÇÃO

4) Sob o enfoque deste tópico, também carece de veracidade a denúncia do membro Samuel Câmara. Nenhum convencional pode ignorar que o cadastramento e o registro de convenções são atos de competência da Mesa Diretora, a teor do artigo 39, III, do Estatuto Social, submisso a homologação da Assembleia Geral. A inscrição da entidade convencional que o denunciante mencionou em programa de televisão preencheu todos os requisitos do Estatuto da CGADB, especialmente quanto ao prazo de seis meses anteriores a data da AGO. Bem por isso que seus membros concretizaram suas inscrições no prazo do edital da última eleição, mediante o pagamento dos respectivos valores, tudo a demonstrar a inveracidade das afirmações do denunciante.

DA ÚLTIMA ELEIÇÃO

5) A eleição levada a efeito durante a AGO em Vitória-ES, como dito acima, foi a primeira mediante processo eletrônico, com urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo. Todos os atos que a precederam, regulados no Estatuto Social e Regimento Interno da CGADB, foram rigorosamente cumpridos e fiscalizados, inclusive acompanhados pelo denunciante, ora pessoalmente, ora por seus representantes. Como se isso não bastasse, convém salientar que o próprio Tribunal cedente das urnas designou seus técnicos, que, diligentemente, acompanharam todos os procedimentos, culminando com a apuração e proclamação dos resultados. Como prova inequívoca da transparência, da oportunidade e lisura do pleito, mesários, escrutinadores, secretários, presidentes de mesas e fiscais foram indicados e recrutados pelos candidatos a presidente, até mesmo para a lacração das urnas, o que concorreu para o equilíbrio, a igualdade e a verdade dos resultados. Portanto, quando o denunciante se refere a suspeição e manipulação das eleições e seu resultado, em verdade o faz como ato de desespero, sem medir as consequências de suas inverídicas afirmações, sem a preocupação de atingir a honra, a imagem e a dignidade de consagrados servos de Deus, que, com dedicação e desvelo, cuidam de imensos rebanhos do Senhor da Seara.

 DAS DELIBERAÇÕES DO PLENÁRIO

6) A respeito das deliberações do Plenário, o denunciante Samuel Câmara demonstra estar desinformado quanto ao que dispõe o artigo 21 do Regimento Interno, que regulamenta a forma de aferir a votação de matérias submetidas a debate em plenário. Conferindo o Regimento da CGADB, é inegável que a conduta do presidente do conclave se ateve rigorosamente ao que determina o mandamento estatutário e regimental, não sendo verdadeira, portanto, a afirmação do denunciante sobre suposta conduta diversa do presidente da Mesa.

DO RELATÓRIO DA COMISSÃO ESPECIAL

7) As inverídicas afirmações do membro Samuel Câmara a respeito de gastos, encargos e compromissos financeiros da CGADB, principalmente no que se refere ao período de 2007 a 2008, comportam os seguintes esclarecimentos:

a) Como é do conhecimento de todos os membros convencionais, a CGADB tem vários órgãos que exercem atividades em sua estrutura administrativa, tais como: Mesa Diretora, Conselho Fiscal, Conselho de Ética, Comissão Jurídica, dentre outros. Todos os convencionais que integram esses órgãos, exercem suas atividades sem remuneração de qualquer espécie, cabendo à CGADB os custos de deslocamentos, hospedagem e alimentação dos de seus membros, quando no desempenho de suas atribuições estatutárias. Aliás, o próprio denunciante Samuel Câmara, enquanto integrante de órgãos da CGADB, também recebeu o mesmo tratamento, sem que desembolsasse, de si próprio, ou da igreja que preside, qualquer valor para cobrir suas despesas no desempenho de atividades estatutárias. Ao contrário do que insinuou o denunciante, todos os valores indicados no relatório da Comissão Especial nomeada são decorrentes de intensas e exaustivas atividades dos membros que integram os diferentes órgãos da CGADB, realizadas em diferentes regiões do país, sempre no interesse da entidade, como os convencionais tiveram a oportunidade de verificar e comprovar na última AGO. Não merecem credibilidade, portanto, as gratuitas afirmações do denunciante, mesmo porque desprovidas de qualquer prova em sentido contrário.

b) Quanto às dividas fiscais apontadas (INSS e FGTS), convém ressaltar que é absolutamente inverídica a informação da existência de “apropriação indébita” de valores descontados dos empregados da CGADB. O relatório da Comissão Especial nomeada dá conta de que os valores descontados de salários foram quitados. Logo não procedem as afirmações do denunciante. Quanto ao saldo apontado como objeto de parcelamento junto ao órgão governamental competente, aguarda-se deferimento de requerimento formulado em estrita observância das normas legais.

c) Com relação aos compromissos assumidos, é oportuno esclarecer que as finanças da CGADB são alimentadas pelas anuidades e taxas de inscrições dos membros convencionais de sorte que, em razão da ausência de provisão de fundos de vários cheques recebidos de convencionais, a entidade teve momentânea dificuldade para saldar seus compromissos, mas, conforme consta do relatório da Comissão Especial, os títulos de créditos mencionados pelo denunciante foram resgatados. Por não ser de seu interesse, o denunciante omitiu, propositadamente, o parecer final da aludida comissão, que não foi por ele contestado em plenário, onde está expresso que: “Diante dos fatos analisados e dos comentários citados, somos de parecer de que os relatórios financeiros de 2007 e 2008, apresentados pela CGADB, sejam aprovados, com a incorporação deste relatório e documentos, com atendimento as recomendações aqui constantes, em especial com o preparado das demonstrações financeiras em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos. De igual modo, esta comissão considerando os aspectos envolvidos e a documentação apresentada, conclui que, tendo em vista a matéria discutida, não se identifica nenhum elemento evidenciador de improbidade administrativa.” Deve ser destacado que a Comissão Especial em referência foi composta por convencionais dotados de formação técnica adequada, e com a participação de representante do denunciante Samuel Câmara. O parecer acima parcialmente transcrito foi submetido à discussão e apreciação do plenário, tendo sido APROVADO POR UNANIMIDADE pelos convencionais, dentre eles o próprio denunciante Samuel Câmara.

DA DOCUMENTAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO

8 No que se refere aos documentos de inscrição dos candidatos, o pronunciamento do membro Samuel Câmara, igualmente, está permeado de inverdades. De todos os que se candidataram aos mais diversos cargos eletivos da CGADB, foi exigida a documentação regimentalmente determinada, conforme dispõe o artigo 41 e seguintes do Regimento Interno, com prazos de impugnações. Por outro lado, é absolutamente inverídica a afirmação de que o subscritor da presente teria presidido sessão da Comissão Eleitoral, até porque os membros daquele órgão, que atuaram com total independência, jamais permitiriam a ingerência de terceiros em seu funcionamento. É lamentável observar, mas o denunciante, propositadamente, confunde a pessoa física dos candidatos com a pessoa jurídica da CGADB.

9) Finalmente, destaca o subscritor desta nota, em nome da Mesa Diretora e todos os demais órgãos da CGADB, que não é cabível, por impertinente, a ressuscitação de questões exaustivamente debatidas e já decididas, soberanamente, pelos membros convencionais, não sendo demais acrescentar que as denúncias do membro Samuel Câmara configuram comportamentos espiritualmente reprováveis, cabendo ao Senhor da Seara avaliá-las segundo seus santos propósitos e juízos. Bom seria que o precioso espaço do programa de televisão fosse utilizado pelo membro Samuel Câmara para a propagação do Santo Evangelho, porque é com esse magno propósito que ele foi consagrado ao Ministério da Palavra. 

Fraternalmente, em Cristo Jesus, Senhor Nosso
Rio de Janeiro, 18 de junho de 2009

JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA
Pastor-presidente

FONTE: http://prjosewellington.blogspot.com 

Read Full Post »

Entre centenas de projetos sociais mantidos pelas Assembléias de Deus no Brasil, a Rede Globo de Televisão divulgou na sexta-feira (19/6) o trabalho realizado no Rio Paraguai pela AD em Corumbá. A igreja liderada pelo pastor João Martins, mantém o barco Bom Pastor, que trafega pelo citado rio, desde Corumbá até o Paraguai, passando pelo território da Bolívia. Centenas de ribeirinhos, especialmente dessas nações vizinhas recebem atendimento médico, odontológico, acompanhamento social e ajuda, por meio da distribuição de cestas básicas, roupas e sapatos. 

Barco com o reflexo na água remete para a beleza do Pantanal

Barco com o reflexo na água remete para a beleza do Pantanal

A viagem teve a participação de profissionais norte-americanos que sempre participam. São profissionais liberais como médicos, dentistas e enfermeiros, que doam suas férias ao “Bom Pastor”. 

A divulgação pela Tevê Globo ocorreu a partir de nossas sugestões, após consulta ao Conselho de Comunicação da CGADB, da colega jornalista e pauteira da rede de televisão, Rosângela. 

Outras sugestões de atividade social – de quaisquer áreas – podem ser enviadas pelo email mesquita.jornalismo@gmail.com ou comunica@cgadb.org.br 

Já cobrimos a viagem 

Em março de 2006, acompanhamos a viagem ao lado do câmera Carlos Carvalho, com cobertura jornalística para o programa da AD, Movimento Pentecostal

Um dos momentos das gravações (passagem) com o câmera Carlinhos

Um dos momentos das gravações (passagem) com o câmera Carlinhos

Escola concorrida, hospital-modelo e assistência no Pantanal

Além do Barco Bom Pastor – projeto que nasceu em novembro de 97 –, a igreja mantém ainda uma escola modelo no município e um hospital-modelo. Tudo por meio do Departamento de Assistência Social da Igreja, o Sasc. As atividades sociais da igreja, às vezes, suplanta o Estado, resguardando as proporções.

Com 230 alunos, a escola mantém aulas do ensino fundamental, com apoio da Prefeitura. Fornece bolsas de estudo e atinge a faixa etária a partir dos 4 anos de idade. A escola funciona há 30 anos e tem dois prédios, com toda a infra-estrutura necessária. Todo esse trabalho já foi enaltecido pela Rede Globo (Jornal Nacional), com matéria na igreja e no barco. A Universidade Federal do Estado também já acompanhou o projeto. 

Histórico da viagem 

Participaram da viagem, no barco de 21×4,5m, à velocidade de cerca de 15km/h, pastor João Martins, sua esposa Eva Oliveira Martins, a dirigente do Círculo de Oração, Leide Pereira, que também é enfermeira, pastor Francisco Antônio Vicente de Faria, vice-líder da igreja, o missionário Euclides Barreto, o pastor que trabalha na Bolívia, Paulo Rodriguez Chavez, o cozinheiro Jaime, os comandantes Leonel e Ramon, o maquinista José, o pequeno empresário Adriano, o administrador do barco, irmão José, a médica boliviana Gladis Isabel Yamparo Guarachi, a dentista de Corumbá, membro da AD, Thatiana Nagashava Mustafá e a equipe do programa. 

Toda equipe participante posa para o registro no retorno

Toda equipe participante posa para o registro no retorno

Olha só o tamanho do peixe... Só que não passa de um orelhão em Corumbá

Olha só o tamanho do peixe... Só que não passa de um orelhão em Corumbá

Saímos de Corumbá na terça-feira à noite, para uma viagem que cobriria a semana. Todas as refeições, banho e pernoite ocorrem no próprio barco, que conta com 3 camarotes e cerca de 15 lugares.

Entretanto, na quarta-feira, o barco apresentou avaria em seu leme. As tentativas de conserto durante todo o dia não surtiram efeito. A saída foi prosseguir de voadeiras (barcos de motor à popa) até às comunidades paraguaias, no dia seguinte. 

Saímos por volta das 7h da manhã, rumo às aldeias indígenas. Com cerca de 1h30 de viagem os barcos chegaram ao primeiro local: Porto Esperanza. Alícia foi a primeira a ser atendida pela dentista Thatiane. Essa comunidade de índios chamacocos é formada por cerca de 100 famílias e 500 pessoas.

Sem comentários...

Sem comentários...

Dezenas de pessoas se aglomeraram nas proximidades do prédio da escola da comunidade. Fomos recebidos pelo pastor e professor Carmelo Romero. Antes houve contato com o líder local – uma espécie de prefeito.

Tudo parecia novidade, embora muitos demonstrassem o que queriam de imediato: atendimento médico e odontológico. Foi a única assistência que tiveram no período. As estruturas para a instalação do atendimento são precárias, mas satisfaz às necessidades. 

As imagens do pôr e do nascer do sol compensam o esforço. É um festival de beleza, juntada aos animais vistos. 

Deixamos para trás o local onde está a Marinha Paraguaia, na Bahia Negra, e a Comunidade Indiana, pois em função de sua população não daria para incluí-las no atendimento. 

As comunidades indígenas são formadas por pessoas abandonadas e sem qualquer atendimento oficial. A última visita foi há meses, da mesma missão – o Bom Pastor da Assembleia de Deus em Corumbá. 

O atendimento começa logo, pois é preciso correr contra o tempo e ainda atender a outra comunidade, antes que escureça. 

Pessoas doentes, algumas com dor de dente chegam à escola e começam a ser organizadas para as consultas. Crianças com olhares tímidos e idosos ficam à espera de atendimento. 

A dentista Tatiane se prepara e extraí dentes ou pedaços, que não mais vão provocar dores, até mesmo de crianças, com enormes dentes de leite. 

A médica boliviana Gládis se entende melhor, mas a mistura do espanhol com a língua nativa, às vezes, complica. O atendimento emociona. São pessoas praticamente abandonadas à espera de auxílio. As atividades no local parecem parar no tempo. 

Os indígenas criam cabras – mas não consomem o leite – e porcos. Vivem ainda da caça e pesca, bastante escassas, pois não há nenhum controle. Suas construções são feitas de Carandá – uma espécie de palmeira, comum na região.

A água vem do Rio Paraguai e do jeito que sai do seu leito, ainda turva e vai para as principais necessidades do povo, inclusive para beber, com uma observação: o transporte da água cabe às mulheres ou crianças. 

Na Comunidade 14 de Maio tudo se repete. Pouco após as 13h local, chegamos ao prédio recém construído por uma Ong japonesa. 

Alguns moradores mostram feridas. Elas são tratadas pela médica, como ocorreu com Abrela Varela, de 60 anos, enquanto uma criança mostra seu rosto tomado por uma doença de pele. 

O líder da comunidade Rudí Barouça, de 24 anos, acompanha de perto todos os movimentos, mas também reconhece a importância da atividade de amor cristão e agradece. Ele diz que o atendimento é muito importante aos moradores que chega ao número de 350 de 59 famílias. 

Projeto de treinamento missionário 

Show de beleza refletido nas imagens que registrei

Show de beleza refletido nas imagens que registrei

As igrejas que quiserem programar treinamento missionário com equipe própria poderão agendar viagem no Barco Bom Pastor. A estrutura necessária para a viagem pode ser oferecida pela igreja em Corumbá, e somente o custo ficaria por conta da igreja convidada. Toda a equipe pode ser da própria igreja sul-mato-grossense, mas a igreja convidada poderá levar médicos e dentistas (pode ser somente um de cada profissão ou mais), recreadora para crianças, evangelista, líder de Missões, dentre outros.

É o que fazem equipes norte-americanas que são convidadas por meio da Eetad, em Campinas. Segundo informações dos organizadores, os profissionais de saúde norte-americanos fazem fila para disputar uma vaga no “Bom Pastor” e doar suas férias a serviço do Mestre no Pantanal. 

Há vagas também para mulheres, que podem ter camarote com camas e banheiro reservados. A tripulação do barco é formada de pessoas da própria igreja em Corumbá. São bastante fraternas e dominam com facilidade todas as informações e técnicas necessárias. 

O barco pode fazer até duas viagens por mês, com cerca de uma semana cada uma, com saída na segunda-feira pela manhã, e volta na sexta ou sábado. A experiência é gratificante, causada pela satisfação de poder fazer alguma coisa por pessoas que mostram brilho nos olhos quando percebem que estão sendo auxiliadas por meio de atendimento médico, odontológico, espiritual e ainda com cestas básicas e roupas. 

É uma obra de visão cristã, fé, ousadia, crença firmada nas transformações ocasionadas pela pregação do Evangelho de Cristo, e acima de tudo, de amor divino pelas almas perdidas (e abandonadas). 

Além disso, há locais que necessitam de obreiros. Estes podem ficar ligados à igreja de origem como seu missionário e sob a supervisão eclesiástica da AD em Corumbá, portanto, com apoio ministerial. 

As informações poderão ser obtidas na própria igreja em Corumbá:

Pastor João Martins, Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Rua Cabral, 1.43, centro, Corumbá (MS) 79332-030. Telefone 67-3231.1674, site: www.adcorumba.com.br, email:  iead-corumba@ibest.com.br

Clique aqui e assista a reportagem da Rede Globo.

Fotos: Antônio Mesquita

Read Full Post »

“Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens”, Mt 5.13.

Creio que poucos conhecem o real valor do sal o que acaba por tirar a importância da parábola estabelecida por Jesus, quando Ele compara o crente como tal.

Ao estabelecer esta parábola, o Senhor não só indicou o valor estabelecido por sua presença, por meio da ação da Palavra, explícita no poder do Espírito Santo em cada crente, mas quis ensinar que a Igreja, como Corpo de Cristo é, acima de tudo, dinâmica e ativa, jamais passiva. O sal tem propriedades que o faz um elemento acionador, isto é, põe em ação, em movimento, faz funcionar.

Como elemento estimulador onde o sal é introduzido causa mudança, transformações e não deixa nada a permanecer inerte. O sal impõe mudanças. O próprio Senhor deu mostras dessa ação. Ele revolucionou o mundo e impôs transformações que até hoje norteiam a vida humana.

Historicamente temos exemplos clássicos de ajustamentos sociais, a partir de valores impostos pelo cristianismo. O valor do trabalho, do respectivo salário e reconhecimento, como galardão, é algo que provém da Bíblia, assim como a valorização da mulher, primor pela saúde, inúmeras leis, direitos e deveres, o descanso semanal – o domingo –, Dia do Senhor (daí o nome Domingos, kuriakos, no grego).

Embora a sociedade pós-moderna esteja notadamente corrompida é atribuição de a Igreja é investir-se da autoridade expressa nos valores expressos no sal e salgá-la com o objetivo de livrá-la do apodrecimento.

Importância e valor do sal

Quando o Senhor lançou para a comparação entre o crente e o sal, a importância desse produto, no contexto daquela época, extrapolava muitíssimo a idéia de valores que temos hoje do sal. Era um produto muito mais imprescindível à sobrevivência humana que hoje, e essencial a todos os tipos de vida animal.

Formado por minúsculos cristais, portanto transparente e incolor quando puro, pode apresentar colorações de tons cinza, amarela e vermelha, quando impuro.

Se por um lado o produto se dissolve com facilidade na água, o sal de cozinha é composto por elementos – além de mais de 99% de cloreto de potássio –, responsáveis pela diminuição da umidade, que o torna imprestável, e o empedramento.

Além do uso para salgar alimentos para não permitir que estraguem, difundida no Egito já há cerca de 4.000 anos aC, o sal era usado pelos gregos e romanos como moeda em suas operações de compra e venda. A palavra latina salário deriva-se de sal, pois parte dos vencimentos de legiões romanas era paga com sal. Depois foi incorporada ao soldo.

Ainda hoje um dos principais acessos a Roma, então capital do império chama-se Via Salaria, por onde caravanas transportavam a riqueza para os romanos.

Referência de nobreza

Na Idade Média, o sal era transportado por estradas construídas especialmente para esse fim. Na mesma época, os europeus fizeram fortunas com o sal como tempero.

A até o século 18, a ordem de assento de nobres em uma mesa de banquete era indicada pelo posição de um saleiro de prata maciça colocado na mesa. Os menos ilustres ficavam abaixo do sal, mais distantes do anfitrião.

Produto medicinal e matéria-prima

Mesmo no final do século 19 e começo do século 20 o sal, além de ser usado como condimento e produto medicinal passou a ser uma das matérias-primas essenciais para a indústria química e têxtil.

Produtos a partir do sal

Do total de sal extraído no mundo, somente cerca de 5% é destinado ao consumo humano. A maior parte de Cloreto de sódio é industrializado para produzir cloro gasoso, soda cáustica, sódio, barrilhas, ácido clorídrico, hipoclorito de sódio, carbonato de sódio, vidro, cerâmica, alumínio, plásticos, borracha, hidrogênio, tecidos, cosméticos, sabão, detergentes, tinturas, remédios celulose, indústria da alimentação, pecuária, e centenas de produtos das indústrias químicas, metalúrgicas e de alimentos.

Uso medicinal

Na área medicinal o sal pode ser usado para amenizar dores, estimular a circulação, aumentar a pressão arterial, combater inflamações. O gargarejo de sal com água morna é usado para amenizar inflamação na garganta e gengivas. O sal reduz também inchaços.

Efeitos diretos ao ser humano

O sódio e o cloro no sal são eletrólitos, minerais que conduzem eletricidade em nossos fluidos e tecidos. Os outros eletrólitos principais são o potássio, o cálcio e o magnésio. Nossos rins controlam a quantidade de eletrólitos e água, regulando os fluidos que ingerimos e expelimos de nossos corpos. Se essa quantidade estiver alterada, nossos músculos, nervos e órgãos não irão funcionar corretamente porque as células não conseguem gerar contrações musculares e impulsos nervosos.

O sal é responsável pela troca de água das células com o seu meio externo, ajudando-as a absorver nutrientes e eliminar resíduos; é responsável no processo de contração muscular; e ainda o homem precisa de sal para o crescimento e o equilíbrio de eletrólitos.

O sal também funciona como elemento que requer equilíbrio em sua ingestão. A baixa quantidade de sal é chamada de hiponatremia, um dos distúrbios de eletrólitos mais comuns, e pode causar inchaço cerebral e morte.

Quando há muita quantidade de sódio no corpo, a hipernatremia e os rins não conseguem eliminar o volume de sangue pode aumentar (porque o sódio retém água), o que por sua vez pode fazer o coração bater mais forte. Por causa disso, alguns médicos tratam a síndrome da fadiga crônica por meio do aumento da ingestão de sódio.

O valor do sal é tão concentrado que basta a ingestão diária de uma colher de chá, ou seja, 2,4g de sódio. Alguns estudos indicam quantidade ainda menor.

A presença do sódio preserva o alimento por remover umidade e afastar bactérias. Mas o emprego do sal vai ainda muito além. Além de remédio para eliminar infecções, preservar alimentos, suavizar a dor, pode também ser usado para a limpeza doméstica e desodorização de ambientes. Além disso, o sal é usado para derreter gelo, por meio da diminuição do ponto de congelamento.

Até mesmo no âmbito dos modismos religiosos pós-modernos – sobre os quais pretendemos comentar nesta série – se inclui o sal. É usado pelo xintoísmo para purificar coisas, enquanto budistas o usam para afastar o mal (Parte do Curso O MINISTRO E SEUS RELACIONAMENTOS, Parte 3, revista Manual do Obreiro,/CPAD).

Read Full Post »

J.F.PIMENTA

O terceiro maior templo evangélico do país está sendo erguido em Ribeirão Preto. É o grande templo da Igreja Assembléia de Deus, na Via Norte, bairro do Tanquinho. Quando for entregue, em meados de 2012, terá capacidade para 12 mil fiéis. A obra é uma ideia do pastor Antônio da Silva Santana (foto). Hoje, só existem dois templos maiores: o da Igreja Deus é Amor, para 36 mil pessoas sentadas, no Cambuci, região central de São Paulo; e o de Cuiabá, também da Assembléia de Deus, para 20 mil pessoas sentadas. O de Ribeirão será do tamanho do grande templo da Igreja Universal do Reino de Deus, localizado em Del Castilho, Rio de Janeiro, conhecido com o “Maracanã” do bispo Edir Macedo.

Igreja Assembléia de Deus
Início da obra: 2001
Término previsto: 2012
Área: 32.500 m²
Área construída: 18.800 m²
Local: Via Norte
Bairro: Tanquinho
Capacidade: 12 mil sentados
Custo: R$ 17 milhões
Material usado até agora
Ferragem: 400 toneladas
Concreto: 2.500 toneladas
Cimento: 15 mil sacas de 50 kg
Circunferência: 289 metros
Altura: 14 metros
Estacas: 482 (com sete metros de profundidade)

Assembléia de Deus terá 3º templo do país

Pastor Santana mostra sua ousadia com a construção do mega templo e ainda se dispor a uma consativa campanha para conquistar a 1ª. Tesouraria do concílio assembleiano

Pastor Santana mostra sua ousadia com a construção do mega templo e ainda se dispor a uma cansativa campanha para conquistar a 1ª. Tesouraria do concílio assembleiano

O terceiro maior templo evangélico do país está sendo erguido em Ribeirão Preto. É o grande templo da Igreja Assembléia de Deus. A obra, em fase de acabamento, pode ser vista de longe por quem trafega pela Via Norte, no bairro do Tanquinho. Quando for entregue, em 2012, terá capacidade para doze mil fiéis.

Hoje, só existem dois templos maiores: o da Igreja Deus é Amor, para 36 mil pessoas, no Cambuci, região central de São Paulo; e o de Cuiabá, também da Assembléia de Deus, para 20 mil pessoas. O de Ribeirão será do tamanho do grande templo da Igreja Universal do Reino de Deus, localizado em Del Castilho, Rio de Janeiro, também para doze mil pessoas, dez mil na nave principal e outras duas mil na nave auxiliar.
A informação, sobre a capacidade dos templos é da Eclésias, uma publicação evangélica mensal, sem vínculo com qualquer Igreja e editada em São Paulo.

Templo em forma de ginásio de esportes é um dos maiores do país

Templo em forma de ginásio de esportes é um dos maiores do país

Em Ribeirão

O templo de Ribeirão está sendo construído num terreno de 32.500 m², comprado no final da década de 90. Nas margens da Via Norte, na pista sentido centro-bairro, o local precisou ser aterrado e nivelado para receber a grande estrutura. A entrada principal será pela Via Norte. Nos fundos, está a rua Rafael Delfina, ainda de terra de batida, no trecho do templo.

A obra, iniciada em 2001, tem vários engenheiros e um único mestre-de-obra: o pastor Vitor Borges de Oliveira, 63. Pedreiro há quarenta anos, o pastor Vitor toca o grupo de trabalhadores que já teve 50 homens, nos primeiros anos, e hoje reúne cerca de dez.
A fase mais onerosa da obra, segundo o pastor Vitor, vai começar agora: é o cabamento. O templo tem que ser fechado, de preferência com vidro, numa circunferência de 289 metros. A cobertura, com estrutura de aço galvanizado, vai receber placas de alumínio com recheio apropriado para isolar calor e barulho. O piso da nave deve ser de granito. O púlpito e o tanque batismal ficarão na parte do fundo. As arquibancadas terão assentos de plástico individuais. Pelo seus cálculos, serão necessários mais R$ 9 milhões.

O pastor explicou que o templo vai disponibilizar 31 salas sobre sua laje da arquibancada. No local, poderão funcionar escolas e uma série de atividades sociais e de aprendizado. Para se ter uma ideia, cada compartimento, se transformado em sala de aula, poderá comportar 30 alunos. Mas a Assembléia de Deus promete construir outro prédio, na área do templo, para o funcionamento de uma escola, que deverá ser tocada pelo município ou Estado.

Pastor Santana é o tesoureiro da Assembléia

Perto de completar 77 anos, no dia 13 de junho, o pastor Antônio Silva Santana acaba de ser eleito o primeiro tesoureiro das Igrejas Assembléia de Deus do Brasil. A eleição foi o reconhecimento ao trabalho de evangelização que ele desempenhou especialmente em Ribeirão Preto. Ao chegar, há 25 anos, havia apenas quatro templos na cidade. Hoje são 45 e cerca de vinte mil fiéis, números que elevaram a Assembléia de Deus à condição de maior evangélica local. Na região, o crescimento também foi incomum. São 65 templos em 25 municípios. Sertãozinho tem 11.

Foi o pastor Santana, baiano de Cruz das Almas, quem orientou a compra do terreno, no começo dos anos 90. Ele planejou também a construção do templo para doze mil pessoas. As obras, iniciadas há nove anos, são bancadas unicamente com a colaboração dos fiéis.

“Aqui tudo é muito bem calculado. É claro que temos pressa em concluir o templo mas não devemos atropelar as nossas limitações”, disse.

O grande objetivo da Assembléia de Deus é promover os cultos em seus 45 templos espalhados por Ribeirão durante a semana e, aos domingos, reunir os fiéis no grande templo. O lugar sediará também grandes eventos, como o Congresso da Mocidade, que chega a reunir 15 mil pessoas; e a confraternização do Círculo de Orações.

Sabado, 23 de Maio 2009 – 20h8 (A Cidade, Ribeirão Preto-SP) http://eptv.globo.com/barraacidade/imagens/logo_eptv.jpg

Read Full Post »

 

SBB lança campanha para estimular a audição da Bíblia

 

Estivemos lá, acompanhados de Lucene, minha esposa, atendendo ao convite de meu amigo, pastor Eudes Martins, cordenador nacional da campanha. Encontramos vários pastores e amigos, como o Nogueira, da Casa da Bíblia em Fortaleza, pastor Jeferson (Central Gospel), pastor Lourival Guarani, que representou pastor Celso Brasil (AD/Fonseca/Niterói-RJ), com quem também congregamos, e o mestre Antonio Gilberto, além do pessoal, sempre simpático, da SBB.

No final cumprimentamos reverendo Rudi Zimmer, louvando ao Senhor com ele pela mensagem apresentada. Com propriedade e referências bíblicas, ele pregou com entusiasmo sobre a importância do ouvir. Ele enfatizou que a fé vem pelo ouvir e que o ver é escatológico e se cumprirá na revelação do Senhor.

Líderes cristãos do Rio e de outras regiões prestigiaram o lançamento da campanha

Líderes cristãos do Rio e de outras regiões prestigiaram o lançamento da campanha

A Campanha oferece material de apoio suficiente para dar o crescimento previsto e a dinâmica que a própria Palavra impôe. É um projeto ousado, mas bem realista, tendo em vista o potencial cristão em crescimento no país. Toda a estruturada do projeto foi apresentado pelo pastor Eudes em detalhes.

Abaixo publicamos o release distribuído pela colega Luciana Garbelini, da Assessoria da SBB.

Eventos realizados no Rio de Janeiro e em São Paulo marcaram o início da mobilização que deve atingir 10 milhões de brasileiros, em dois anos.

 

Duas solenidades marcaram o lançamento da campanha “É tempo de ouvir a Palavra de Deus“, iniciativa da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) cujo intuito é chamar a atenção de todos os brasileiros para a necessidade de se reservar um tempo diário de comunhão com a mensagem bíblica. A primeira delas aconteceu no dia 19 de maio, no Salão Velazquez do Guanabara Palace Hotel, no Rio de Janeiro. No dia 20 de maio, o evento foi realizado no Teatro Raul Cortez, na Fecomércio, em São Paulo. Ao todo, os eventos reuniram cerca de 400 convidados que, além de conhecerem os objetivos da campanha, também foram brindados com uma pequena amostra das gravações que serão utilizadas para estimular a audição e reflexão da mensagem bíblica. Em São Paulo, Erní Seibert, secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, deu as boas-vindas, revelando que a campanha se estenderá ao longo do biênio 2009-2010 e pretende atingir cerca de 10 milhões de pessoas.

Cid Moreira narrou texto bíblico ao público presente

Cid Moreira narrou texto bíblico ao público presente

Na capital fluminense, o evento contou com a participação de Cid Moreira, que narrou do livro de Romanos, o capítulo 10, versículos de 9 a 18, na Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH). Em São Paulo, uma equipe da Rádio Trans Mundial reproduziu a gravação em estúdio de Marcos 6.1-51, na tradução de Almeida Revista e Atualizada. Gravadas no formato MP3, essas duas traduções do Novo Testamento serão as principais ferramentas da campanha. Ambas estarão disponíveis, respeitando as preferências de cada público.

O coordenador nacional da campanha, Eude Martins, foi o responsável pela condução das solenidades, prestigiada por líderes de várias denominações cristãs, muitos deles convidados a dar seu testemunho. No Rio de Janeiro, participaram Paulo Lockman, bispo da 1.ª Região Administrativa da Igreja Metodista do Brasil, Maurício Price, pastor e presidente do Diretório da SBB no Rio de Janeiro, o cantor Sérgio Barata e o Reverendo Guilhermino Cunha, da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro e presidente de honra da SBB. Na capital paulista, os depoimentos foram dados por Elisiário Alves, bispo da Igreja Metodista Wesleyana do Brasil, Paulo Eduardo, pastor da Primeira Igreja Batista em São Paulo, Peder Refstie, comissário do Exército da Salvação, Phil Kenney, do Ministério Hosanna (EUA) e Jonathan Ferreira, pastor e fundador da Missão Antioquia e do Vale da Bênção. Uma oração especial foi dirigida pela missionária Durvalina Bezerra, do Seminário Teológico Betel Brasileiro. O louvor, nestas cidades, ficou por conta dos cantores Arlington Silva e André Sipriano, respectivamente.

O diretor executivo da SBB, Rudi Zimmer, lembrou que, na revelação bíblica, ouvir é fundamental. “Mesmo que se diga que Deus é visto, como na passagem do espinheiro em chamas (Êxodo 3), esta visão apenas estabelece o cenário para a Palavra de Deus ser ouvida. A fé nasce do ouvir a Palavra de Deus”, observou. Por isto, segundo ele, e campanha visa, acima de tudo, ajudar as igrejas no trabalho de evangelização.

Rudi Zimmer pregou a Palavra com entusiasmo ao destacar o valor bíblico do verbo ouvir

Rudi Zimmer pregou a Palavra com entusiasmo ao destacar o valor bíblico do verbo ouvir

Mobilização nacional – Pesquisas apontam que 74% dos brasileiros entre 16 e 64 anos não serão alcançados pela Bíblia no formato impresso porque não sabem ler ou porque entendem muito pouco do que leem. Outro dado impressionante, divulgado em 2008 pelo Instituto Pró-Livro, revela que a Bíblia, embora seja o livro preferido dos leitores brasileiros, é lida com frequência por menos de 2,5% da população do país. “Como, então, alcançar essa grande massa de brasileiros que se somam ainda com aqueles que não leem porque não têm tempo? Essa é a pergunta que a SBB se faz constantemente enquanto organização cuja missão é distribuir a Bíblia a todas as pessoas e torná-la relevante aos brasileiros”, revelou o diretor executivo da entidade, destacando que a campanha pretende justamente alcançar uma parcela dessa população.

A SBB incentivará a formação de grupos de audição da Bíblia nas igrejas, nos seminários teológicos, nas casas das famílias, no trabalho, em hospitais, quartéis, presídios, comunidades terapêuticas, casas de repouso e em ambiente escolar. A meta, em dois anos, é formar 300 mil grupos de audição.

Para dar suporte à campanha, será feito um trabalho especial junto a igrejas e organizações visando criar grupos de audição da Bíblia. Serão disponibilizados aos interessados material informativo e de orientação sobre como fazer uma audição reflexiva da Palavra de Deus, além de cartazes e sugestões sobre como desenvolver o programa em diferentes comunidades. Mais informações poderão ser obtidas no site www.tempodeouvir.org.br.

A iniciativa tem como base o versículo 17, do capítulo 10 do livro de Romanos – Portanto, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo. A ação será dividida em duas etapas. A primeira delas acontecerá em 2009 – ano em que se celebram os 200 anos do nascimento de Louis Braille, criador do sistema de leitura para cegos que utiliza pontos em alto relevo. “Nosso foco prioritário será levar a Palavra de Deus a pessoas portadoras de necessidades especiais e em situação de risco social, especialmente as beneficiadas por nossos programas sociais”, revela Seibert.

Para isso, os grupos participantes do programa de audição do Novo Testamento contribuirão com recursos financeiros para que a metodologia também seja implantada entre os públicos assistidos pelos programas Luz no Brasil, Inclusão do Deficiente Visual, Ação Social para Situações Emergenciais, Ação Social nas Escolas, Ação Social pela Paz, Ação Social nos Hospitais e Incentivo à Cultura. “A sugestão é que o interessado em participar faça uma oferta mínima de R$ 10,00. Em contrapartida, a SBB se compromete a enviar um CD com o Novo Testamento, um guia de audição, além de um relatório para preenchimento, quando a audição é feita em grupo”, explica o coordenador nacional da campanha, Eude Martins. Os interessados em participar podem fazer sua inscrição através do site da campanha.

Além de estar alicerçada na Bíblia Sagrada, a campanha “É tempo de ouvir a Palavra de Deus“ tem como pilares aspectos que resultam em benefícios culturais, sociais e relacionados ao conteúdo bíblico. Na área cultural, pode-se destacar que ouvir é um estímulo à leitura, favorece o aprendizado, enriquece o repertório cultural e estimula a alfabetização. Promove, ainda, o resgate da arte milenar de se contar e ouvir histórias que, por muitos séculos, foi responsável pela transmissão da cultura e informação e, até hoje, é praticada em todo o mundo. Como benefício social, a audição de um texto em grupo favorece a socialização do indivíduo e estimula a construção de relacionamentos.

“No que se refere à mensagem bíblica, a leitura e audição das Escrituras estimulam o fortalecimento de valores éticos e morais, além dos sociais, como amor ao próximo e a preservação do meio ambiente. A Bíblia Sagrada é também um livro histórico, de leitura obrigatória àqueles que querem compreender a formação da civilização ocidental, além de reunir vários estilos literários, sendo importante fonte para o conhecimento da Literatura”, observa Erní Seibert, secretário de Comunicação e Ação Social da SBB.

Confira as principais características das gravações que serão utilizadas durante a campanha:

Novo Testamento na tradução de Almeida Revista e Atualizada – Em formato MP3, contém a íntegra do Novo Testamento narrado e dramatizado. São 22 horas de gravação reunidas em um único CD-ROM. A locução do texto bíblico contou com a participação de mais de 40 atores, que deram vida aos personagens bíblicos, conferindo emoção à narrativa. Para acompanhar a locução, foram produzidos efeitos especiais e uma trilha sonora em sintonia com cada passagem bíblica.

Novo Testamento na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – Em formato MP3, contém todo o texto do Novo Testamento narrado por Cid Moreira, em gravação inédita. São 30 horas de gravação reunidas em dois CD-ROMs. Tem linguagem de fácil compreensão e trilha sonora exclusiva.

A Sociedade Bíblica do Brasil é uma entidade sem fins lucrativos, de natureza religiosa, social e cultural. Sua finalidade é traduzir, produzir e distribuir a Bíblia, um bem de valor inestimável, que deve ser disponibilizado a todas as pessoas. Além disso, por seu caráter social, desenvolve programas com o objetivo de promover o desenvolvimento espiritual, ético e social da população brasileira. Fundada em 1948, construiu sua trajetória com base na missão de “difundir a Bíblia e a sua mensagem a todas as pessoas e a todos os grupos sociais, como instrumento de transformação espiritual, de fortalecimento de valores éticos e morais e de incentivo ao desenvolvimento cultural e social”. Visando atender à demanda nacional por Bíblias e ampliar a divulgação da mensagem da Palavra de Deus, a SBB, em 1995, implantou, em Barueri (SP), a Gráfica da Bíblia, que se constitui no maior parque gráfico destinado à impressão e encadernação de Bíblias da América Latina.

Read Full Post »

Older Posts »