Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \25\UTC 2010

Prezado(a),

Tome iniciativas a partir da gloriosa Esperança em Cristo, para uma existência e Vida em novidade, conforme estabelece a Palavra, para que 2011 expresse bênçãos incontáveis em você. Se isso ocorrer, o Senhor será glorificado, pelo testemunho das transformações percebidas e desejadas.

Tais alterações se efetivam por intermédio da dinâmica (de dínamo), que remete para a ideia de formação de energia, luz, explosão – em pouco tempo, pouco espaço e sob forte pressão.

Busque ao Senhor com intensidade e fervor. Construa uma altar com horários específicos de busca, seja de joelhos, seja andando e chorando, mas não pare enquanto não alcançar a bênção. Tome inciativas concretas e bem definidas.

Lembre-se: “Tudo é possível ao que crer!”

Esperança 

Neste período, de festas e expectativa de um novo ano em Paz (amor, saúde, esperança, graça, prosperidade e alegria):

Clique em ENTER e ACESSE o Verbo de Deus – o Cristo Vivo – e busque Nele o favor imerecido – a Graça –, para que seus pecados sejam DELETADOS.

Mas faça a sua parte e proteja-se APAGANDO os ARQUIVOS com VÍRUS, provocadores da morte eterna. Receba o DOWNLOAD da nova Vida em Cristo, TECLE em GRAVAR e COLE ao Eterno.

Proteja a sua MEMÓRIA e usufrua dos avanços tecnológicos, porém, não mude o PROGRAMA preestabelecido a você pelo MONITOR da Vida.

Não dê ESPAÇO ao DEMO e jamais perca a senha:

– Só Jesus Salva!

Grave isso no PENDRIVE de sua MEMÓRIA!

Pr. Mesquita – Lucene, Cristian, Lilian, Élen e Livian.

Anúncios

Read Full Post »

Cerimônina de transferência de liderança da igreja, em que aparecem os pastores Luiz Sellari, Jônatas Câmara e Samuel Câmara (ajoelhado junto da esposa Rebekah). Foto: adbelem.org.br

O que teria motivado a ação

A ação que provocou a quebra do acordo de transição da igreja AD em São José dos Campos (SP) da liderança do pastor Sellari ao pastor Samuel, líder da AD em Belém Pará, fora motivada pela restauração do vínculo ao Ministério Belenzinho (SP), liderado pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, também presidente da CGADB.

Segundo informações de advogados do Belenzinho, “pastor Sellari procurou pastor José Wellington, pessoalmente, e disse que pretendia corrigir o ‘erro’ cometido, a partir do rompimento com o próprio pastor José Wellington e o consequente acordo – agora rompido – com pastor Samuel Câmara”.

A nova postura do pastor, que ocasionou a reviravolta no destino da igreja, teria ainda sido motivada pelas “mudanças na liturgia do culto em São José dos Campos, implantadas por pastor Samuel Câmara”. Ainda segundo a mesma fonte, “a igreja fora transformada  em ‘comunidade'” – estilo liberal na liturgia em relação à tradição assembleiana.

Read Full Post »

Fac-símile da decisão da justiça de São Paulo

ENTENDA O CASO:

Pastor Samuel Câmara assume AD em S. José dos Campos

Pará assume igreja em SP e provoca euforia

Read Full Post »

Muitos gnósticos e outros críticos de carteirinha ao Criacionismo tentam diminuir a capacidade de influência real das Sagradas Escrituras sobre a humanidade, mas seus esforços resultam em vão.

Aprouve ao Senhor que se estabelecesse no decorrer dos 1.500 anos, período em que a Bíblia fora escrita, fatos que são tão atuais hoje, quanto naqueles tempos.

Mesmo negando a inspiração divina e ficando somente nos moldes da transpiração humana, não se pode fugir de aspectos que dão veracidade aos escritos. Para isso, é somente levar em consideração a época, aspectos culturais e históricos, endereçamento, o relato, o autor e comparar com os fatos registrados hoje, dos quais não se tinha conhecimento naquela época.

Diante de tudo isso, percebe-se que a Bíblia é atualizada e trata sim de fatos modernos, embora dentro da visão cultural da época.

Dentre tantos outros assuntos, ela fala de:

– avião como águia, conforme profecia em Deuteronômio: “Como a águia desperta a sua ninhada, move-se sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os, e os leva sobre as suas asas” (32.11). Fato ocorrido nos anos setentas, durante a Operação Tapete Mágico, quando Israel repatriou israelenses dispersos;

– barragem (“Os rios tapa, e nem uma gota sai deles, e tira à luz o que estava escondido”, Jó 28.11);

– força gravitacional Terra e o vazio da atmosfera (“O norte estende sobre o vazio; e suspende a terra sobre o nada” e “Prende as águas nas suas nuvens, todavia a nuvem não se rasga debaixo delas”, Jó 26.7,8);

– Terra redonda, contrariando até mesmo a condenação papal à ciência, na Idade Média (“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar”, Is 40.22 e “Então o SENHOR disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR, e disse: De rodear a terra, e passear por ela”, Jó 1.7);

– astronomia (“O que fez a Ursa, o Órion, e o Sete-estrelo, e as recâmaras do sul”, Jó 9.9);

– anatomia humana (“De pele e carne me vestiste, e de ossos e nervos me teceste”, Jó 10.11);

– sistema de composição de texto, usado até o século passado (“E que, com pena de ferro, e com chumbo, para sempre fossem esculpidas na rocha”, Jó 19.24);

– meteorologia (”A secura e o calor desfazem as águas da neve; assim desfará a sepultura aos que pecaram”, Jó 24.19; “Quando deu peso ao vento, e tomou a medida das águas”; “Quando prescreveu leis para a chuva e caminho para o relâmpago dos trovões”, 28.25-26; “Da recâmara do sul sai o tufão, e do norte o frio. Pelo sopro de Deus se dá a geada, e as largas águas se congelam”, 37.9-10; e  “Fazendo ele soar a sua voz, logo há rumor de águas no céu, e faz subir os vapores da extremidade da terra; faz os relâmpagos para a chuva, e dos seus tesouros faz sair o vento”, Jr 10.13);

– fundição (“O ferro tira-se da terra, e da pedra se funde o cobre”, Jó 28.2);

– calor no centro de Terra (“Da terra procede o pão, mas por baixo é revolvida como por fogo”, Jó 28.5);

– vulcão (“Ele estende a sua mão contra o rochedo, e revolve os montes desde as suas raízes”, Jó 28.9);

– racionalidade humana em relação aos animais (“Que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?”, Jó 35.11);

Arraial do Cabo (RJ) - Foto: AMesquita

– limites do avanço de águas marítimas (“Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre; Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa? Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos, E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se parará o orgulho das tuas ondas?”, Jó 38.8-11 ePorventura não me temereis a mim? diz o SENHOR; não temereis diante de mim, que pus a areia por limite ao mar, por ordenança eterna, que ele não traspassará? Ainda que se levantem as suas ondas, não prevalecerão; ainda que bramem, não a traspassarão”, Jr 5.22);

– natureza – fauna e flora (“Quando se funde o pó numa massa, e se apegam os torrões uns aos outros? Porventura caçarás tu presa para a leoa, ou saciarás a fome dos filhos dos leões, Quando se agacham nos covis, e estão à espreita nas covas? Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus filhotes gritam a Deus e andam vagueando, por não terem o que comer?”, Jó 38.38-41 e “Sabes tu o tempo em que as cabras montesas têm filhos, ou observastes as cervas quando dão suas crias? Contarás os meses que cumprem, ou sabes o tempo do seu parto? Quando se encurvam, produzem seus filhos, e lançam de si as suas dores. Seus filhos enrijam, crescem com o trigo; saem, e nunca mais tornam para elas. Quem despediu livre o jumento montês, e quem soltou as prisões ao jumento bravo, Ao qual dei o ermo por casa, e a terra salgada por morada?  Ri-se do ruído da cidade; não ouve os muitos gritos do condutor. A região montanhosa é o seu pasto, e anda buscando tudo que está verde. Ou, querer-te-á servir o boi selvagem? Ou ficará no teu curral? Ou com corda amarrarás, no arado, ao boi selvagem? Ou escavará ele os vales após ti? Ou confiarás nele, por ser grande a sua força, ou deixarás a seu cargo o teu trabalho? Ou fiarás dele que te torne o que semeaste e o recolha na tua eira? A avestruz bate alegremente as suas asas, porém, são benignas as suas asas e penas? Ela deixa os seus ovos na terra, e os aquenta no pó, E se esquece de que algum pé os pode pisar, ou que os animais do campo os podem calcar. Endurece-se para com seus filhos, como se não fossem seus; debalde é seu trabalho, mas ela está sem temor, Porque Deus a privou de sabedoria, e não lhe deu entendimento. A seu tempo se levanta ao alto; ri-se do cavalo, e do que vai montado nele. Ou darás tu força ao cavalo, ou revestirás o seu pescoço com crinas?  Ou espantá-lo-ás, como ao gafanhoto? Terrível é o fogoso respirar das suas ventas. Escarva a terra, e folga na sua força, e sai ao encontro dos armados. Ri-se do temor, e não se espanta, e não torna atrás por causa da espada. Em verdade os montes lhe produzem pastos, onde todos os animais do campo folgam.  Deita-se debaixo das árvores sombrias, no esconderijo das canas e da lama. As árvores sombrias o cobrem, com sua sombra; os salgueiros do ribeiro o cercam. Eis que um rio transborda, e ele não se apressa, confiando ainda que o Jordão se levante até à sua boca. Podê-lo-iam porventura caçar à vista de seus olhos, ou com laços lhe furar o nariz?”, 40.20-24);

– animais monstruosos (“Contemplas agora o beemote, que eu fiz contigo, que come a erva como o boi. Eis que a sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre. Quando quer, move a sua cauda como cedro; os nervos das suas coxas estão entretecidos. Os seus ossos são como tubos de bronze; a sua ossada é como barras de ferro. Ele é obra-prima dos caminhos de Deus; o que o fez o proveu da sua espada”, Jó 40.15-19 e “Poderás tirar com anzol o leviatã, ou ligarás a sua língua com uma corda? Podes pôr um anzol no seu nariz, ou com um gancho furar a sua queixada? Porventura multiplicará as súplicas para contigo, ou brandamente falará? Fará ele aliança contigo, ou o tomarás tu por servo para sempre? Brincarás com ele, como se fora um passarinho, ou o prenderás para tuas meninas? Os teus companheiros farão dele um banquete, ou o repartirão entre os negociantes? Encherás a sua pele de ganchos, ou a sua cabeça com arpões de pescadores? Põe a tua mão sobre ele, lembra-te da peleja, e nunca mais tal intentarás. Eis que é vã a esperança de apanhá-lo; pois não será o homem derrubado só ao vê-lo?  Ninguém há tão atrevido, que a despertá-lo se atreva; quem, pois, é aquele que ousa erguer-se diante de mim? Quem primeiro me deu, para que eu haja de retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu. Não me calarei a respeito dos seus membros, nem da sua grande força, nem a graça da sua compostura”, Jó 41);

– endorfina e sua produção pelo organismo humano por meio da alegria (“O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos”, Pv 17.22; “O espírito do homem susterá a sua enfermidade, mas ao espírito abatido, quem o suportará?”, Pv 18.14);

– carpintaria (“O carpinteiro estende a régua, desenha-o com uma linha, aplaina-o com a plaina, e traça-o com o compasso; e o faz à semelhança de um homem, segundo a forma de um homem, para ficar em casa”, Is 44.13);

– barreira de ozônio (Cobriste-te de nuvens, para que não passe a nossa oração”, Lm 3.44);

– formação das nações (“Por estes foram repartidas as ilhas dos gentios nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, entre as suas nações”; “Estas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, nas suas nações; e destes foram divididas as nações na terra depois do dilúvio”, Gn 10.5,32);

– separação da Terra, a pangeia (“E a Éber nasceram dois filhos: o nome de um foi Pelegue, porquanto em seus dias se repartiu a terra, e o nome do seu irmão foi Joctã”, Gn 10.25);

– petróleo (“E o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; e fugiram os reis de Sodoma e de Gomorra, e caíram ali; e os restantes fugiram para um monte”, Gn 14.10); 

– veículos modernos, sua velocidade e acidentes (“Os carros correrão furiosamente nas ruas, colidirão um contra o outro nos largos caminhos; o seu aspecto será como o de tochas, correrão como relâmpagos”, Na 2.4);

– sistema moderno de outdoor (“Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo”, Hc 2.2) – Fonte: Bíblia Sagrada, Versão Digital, Freeware.

Diga a verdade, o Senhor é glorioso, não é mesmo?!

 

Read Full Post »

O Produto Interno Bruto (PIB) da América Latina deverá cair anualmente entre 1 e 12%, neste século, em função do aumento da temperatura do planeta. A região vai sofrer o aumento da temperatura e deverá ficar entre 1 e 6ºC mais quente.

Tais mudanças vão atingir tanto a América Latina quanto Caribe, não obstante constituírem a segunda região do mundo, que menos emite poluentes à atmosfera.

Estas informações fazem parte do relatório apresentado pela Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP-16), em Cancún, no México.

Os considerados eventos extremos são as marcas das alterações climáticas, como a mudança no volume das chuvas e do derretimento das geleiras, além de furacões, temporais, secas e incêndios em florestas.

O grande impacto será no setor agrícola, abastecimento de água e o de geração de energia, a partir da mudança dos ciclos das chuvas. Conforme o relatório, a diminuição da produção agrícola será entre 20% e 40% nas culturas de banana, café, cacau e cana-de-açúcar, tão egoisticamente explorada por usineiros e governos, no Brasil.

Em regiões paulistas, usineiros põem fogo na cana para facilitar colheita, sob a ‘complacência’ de autoridades, inclusive da Justiça, como em Ribeirão Preto. A fuligem da cana causa doenças respiratórias e muita sujeira

Segundo o relatório, “As evidências científicas mostram que o aquecimento global provocado pelo aumento das emissões de gases do efeito estufa, provenientes das atividades humanas, está causando mudanças climáticas evidentes”.

Conforme prevê a Bíblia, há milênios, “…haverá fomes, e pestes, e terremotos em vários lugares” (Mt 24.7).

Read Full Post »

Variantes Textuais do NT Grego

Em mais uma obra de 624 páginas, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) investe no segmento de obras acadêmicas, com o lançamento da obra Variantes textuais do NT Grego, de Roger L. Omanson. Baseado no texto grego das Sociedades Bíblicas Unidas, 4ª edição, este livro acompanha O Novo Testamento Grego (SBB, 2009), explicando os cerca de 1,4 mil pontos do texto em que há variantes textuais, listadas no aparato crítico, ao pé da página.

Trata-se de uma ampliação, atualização e simplificação do livro Comentário Textual, escrito há mais tempo pelo renomado biblista Bruce Metzger, e que apenas pode ser lido em inglês ou em sua tradução ao espanhol.

O autor deste trabalho é Roger Omanson, um dos consultores de tradução das Sociedades Bíblicas Unidas, à qual está ligada a SBB. Nesta obra, Omanson inseriu também uma série de notas que tratam da segmentação, isto é, lugares em que diferenças da acentuação (paroxítona ou oxítona, por exemplo) ou de pontuação (ponto ou ponto de interrogação, por exemplo) resultam em diferenças de tradução.

Um dos méritos de Omanson foi adaptar o comentário de Metzger às necessidades dos tradutores do Novo Testamento, que muitas vezes não são especialistas em crítica textual.

O autor procura apresentar um assunto altamente técnico numa linguagem o menos técnica possível. Por dirigir-se a tradutores, Omanson mostra como as diferenças entre o texto e as variantes se refletem em diferentes traduções no Novo Testamento.

O livro foi traduzido ao português e, nesse processo, foram introduzidas referências a traduções para este idioma, como as edições de João Ferreira de Almeida, Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), Nova Bíblia de Jerusalém e a tradução da CNBB, entre outras.

Para ler e estudar esta obra com real proveito é indispensável ter em mãos O Novo Testamento Grego.

Read Full Post »