Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \20\UTC 2013

Imagem

Luiz Fernando da Costa, do crime para Cristo

Após ouvir o testemunho do pastor-capelão Luiz Marcos Pinto, secretário-geral de Evangelismo da Assembleia de Deus em Porto Velho, Beira-Mar ajoelhou-se, fez uma confissão pública e recebeu Jesus Cristo como o seu Senhor e Salvador.

A conversão ocorreu em outubro, no Presídio de Segurança Máxima de Porto Velho (RO), onde permaneceu por cerca de 1 ano. Antes, ele esteve em Campo Grande (MS) e atualmente cumpre pena em Catanduvas (PR), também no Presídio Federal de Segurança Máxima, onde cursa Teologia pela Faculdade Teológica Batista do Paraná (FTBP).

Entrevistei o pastor Luiz Marcos Pinto, por telefone hoje (20mar13), sobre a conversão de Beira-Mar. Também obtive informações a respeito do preso e sua conduta, por meio de um agente federal de um dos presídios citados.

Segundo o agente, Beira-Mar lê muito –‘muito mais que nós’ (referindo-se a acadêmicos) – e é um preso que dentro do sistema prisional submete-se e responde às ordens sem dar problemas, pois ‘quem dá problema é preso-peba’, disse o agente, referindo-se a presos rebeldes e problemáticos.

Segundo a Folha (crédito no final do texto), Beira-Mar foi “aprovado no vestibular da FTBP (Beira-Mar realizará o curso à distância, por meio de apostilas. A primeira já foi entregue. A faculdade prevê, ao todo, 3.180 horas de aulas com temas relacionados à sociologia, filosofia, história, teologia, sociopolítica, metodologia, entre outros”.

Também informa o jornal que “Todas as provas serão acompanhadas por um professor da instituição que será escolhido por sorteio” e que “o traficante demonstrou interesse em estudar teologia durante um culto evangélico ministrado pelo capelão Luiz Magalhães, pastor da Igreja Batista do Bacacheri, de Curitiba”.

Ainda segundo o jornal, conforme “o professor Jaziel Guerreiro Martins, diretor da faculdade, Beira-Mar começou a questionar o capelão sobre questões relacionadas à fé e disse que gostaria de conhecer ‘mais a fundo’ a religião”.

Conversão

Porém, sua conversão ocorreu em Rondônia, onde pastor Luiz Marcos atua como capelão. Ele informou que já era ouvido por Beira-Mar havia um ano, embora nunca manifestara interesse religioso.

“Após um ano ouvindo a Palavra, ele me chamou para confessar seu interesse e quis que eu falasse novamente do meu testemunho, de como encontrei, no sistema prisional, o assassino de meu pai e fui até ele para perdoá-lo”.

Beira-Mar então disse-lhe:

– Eu não sou burro. Sei que existe um Criador (sem querer referir-se propriamente no Deus pregado pelo pastor), mas o que faz um homem chegar a esse ponto…?!

Após ouvir o testemunho do pastor Luiz Marcos, Beira-Mar quis receber Jesus Cristo como o seu Senhor e Salvador. Pastor Marcos pediu-lhe para que ajoelhasse e confessasse, em voz audível e publicamente, sua decisão.

Em seguida, Fernandinho pediu-lhe uma Bíblia e disse ao pastor: “Servirei a esse Deus, presente em sua vida”.

Diante do quadro, um dos detentos de nome Moisés e amigo de Fernandinho, demonstrou também sua conversão e houve manifestação de temor diante de todos.

Beira-Mar chegou a investigar a questão religiosa e o testemunho do pastor antes de abrir a sua alma para receber Jesus. Até então, segundo pastor Marcos, mantinha-se reservado, muito educado, mas com participação discreta e distante.

Depois do ocorrido, a chefe de Reabilitação do presídio não escondeu sua admiração pelo ocorrido. “Eu não sabia que ela estava vendo e ouvindo tudo por meio do sistema de câmeras”, ressaltou pastor Marcos.

No mês seguinte, o juiz-corregedor federal Marcelo Lobão, ao ser entrevistado pela Globo News (Rodrigues Alvares), permitiu que alguns detentos convertidos (os que quiseram ter suas imagens divulgadas) fossem filmados e também convidou pastor Marcos para a entrevista.

Igreja atrás das grades

Em todo o Estado de Rondônia, a Assembleia de Deus mantém centenas de presos frequentadores de cultos. Alguns já se tornaram membros da Igreja do Senhor, após confissão pública de fé, batismo nas águas e comunhão, por meio da Ceia do Senhor. “Temos cerca de 600 detentos nos cinco presídios do Estado. Ministramos batismos, Ceia, casamentos, culto de ensino bíblico e vigílias”, informou pastor Marcos.

Conversão e condenação

Beira-Mar foi condenado no Rio de Janeiro a mais 80 anos de prisão por ordenar assassinatos e, segundo a Folha, “revelou que estava cursando teologia, admitiu alguns crimes, disse que sofria muito e queria pagar o que deve à Justiça”.

Para o diretor da FTBP, Jaziel Martins, sua declaração “sugere que há um ‘mover de Deus’ em sua vida. ‘Existe algo dentro dele que o está levando para mais perto de Deus’, afirmou, pois seria ‘quase impossível’, alguém como Beira-Mar declarar que pretende pagar pelos crimes se não estiver motivado por uma mudança, mas disse que ele deve cumprir a pena imposta pela Justiça”.

Fonte usada: Fernandinho Beira-Mar começa a estudar Teologia em presídio federal, Luiz Carlos da Cruz, colaboração para a Folha, de Cascavel, 19/03/2013 – 10h50, http://folha.com/no1248704

Anúncios

Read Full Post »