Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Mensageiro da Paz’

Pastor Alfredo Reikdal sempre demonstrou zelo pela causa do Mestre

Pastor Alfredo Emílio Reikdal partiu para a Eternidade hoje (23/3/10), às 3h, na capital paulista, aos 94 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Santa Catarina.

Reikdal destacou-se como obreiro da segunda geração de pioneiros das Assembleias de Deus no Brasil. Filho de europeus, Alfredo Reikdal sempre se mostrou decidido pela obra do Senhor. Embora fosse paranaense, iniciou suas atividades como ministro do Evangelho de Cristo em São Paulo, onde permaneceu, a partir de orientação de seu sogro, pastor Bruno Skolimowisk.

Durante 67 anos, pastor Reikdal liderou o Ministério do Ipiranga, bairro da Grande São Paulo, do qual era líder vitalício. Fundou ainda a Convenção de Ministros Ortodoxos das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo e Outros (Comoespo), em 1996. Até então fazia parte da Comadespe, também de São Paulo. Como líder e ensinador, pastor Reikdal sempre criticou a situação atual das Assembleias de Deus em função dos modismos assumidos e novas tendências teológicas.

Início e inserção na obra pró-Reino

Nascido no Paraná, em São José dos Pinhais, converteu-se ao Senhor em abril de 1929, ainda adolescente. Passou a anunciar o Evangelho na cidade de Curitiba, mas no início da década de 40, mudou-se para São Paulo. Em 1943, assumiu a liderança da igreja em São Paulo, então à Rua Bento Vieira, 53, no Ipiranga, bairro que marca a história da Independência brasileira – do Grito do Ipiranga. Com 170 membros e três congregações – Jabaquara, Itatiba e Amador Bueno – o Ministério Ipiranga, cresceu e chegou a cerca de 800 congregações e 160 mil membros.

Por sua beleza e estilo gótico, o templo da AD/Ipiranga, iniciado em 1955, é visitado por estudantes de Arquitetura e ainda compõe o Patrimônio Histórico de São Paulo

Nava do templo da AD/Ipiranga

Pioneiro fiel

Foi contemporâneo dos pastores Cícero Canuto de Lima, Paulo Leivas Macalão, José Pimentel, João Alves Corrêa, João de Oliveira, dentre outros.

As centenas igrejas ligadas ao Ipiranga se encontram em todo o Estado de São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e outros. O templo-central do ministério, no bairro do Ipiranga, na Grande São Paulo, é de estilo gótico e um verdadeiro cartão postal.

Das pregações que ouvi de pastor Reikdal sempre pude notar e exposição de uma teologia conservadora, seriedade naquilo que propôs realizar, com demonstração de caráter inabalável. O saudoso pastor José Dutra de Moraes, seu contemporâneo e com quem trabalhou em Jabaquara, meu primeiro líder e discipulador, sempre usava ilustrações referente à vida e obra do colega.

Pastor Alcides Favaro já atuava há anos, como presidente em exercício. Da escola de seu líder ele e seus demais pares, em respeito ao velho pastor, jamais quiseram assumir o ministério definitivamente.

O corpo está sendo velado no templo, à Avenida Ricardo Jafet, 214, no Ipiranga. O sepultamento ocorrerá amanhã (24), às 16h, no Cemitério da Paz, no Morumbi.

Onde se larga a cruz?

Inserimos abaixo um dos artigos de pastor Alfredo, publicado no Mensageiro da Paz da 1ª. quinzena de 1939 (Não alteramos os estilos gráfico e literário).

É muito triste ver, em nossos dias, crentes trocarem, antes do tempo, sua cruz pelas coisas deste mundo, ao em vez de a levarem até ao lugar em que a podem trocar pela coroa da vida, prometida pelo infalível Senhor de todas as coisas e Pastor das nossas almas.

Muitos há que, ao ouvirem o Evangelho, tomam o seu “lenho”, dão alguns passos, mas, para larga-lo, logo após, ao encontrar as primeiras dificuldades. Para alguns, é bastante serem desprezados pelos amigos, pelo mundo ou ameaçados por uma pequena perseguição, para largarem a cruz que tomaram para levar até o fim.

Outros deixam a cruz, em troca dos gozos temporais e das coisas ilícitas; mas têm a mesma sorte da mulher de Ló; pouco a pouco, voltam ao Egito. Felizes são aqueles que tomam a cruz e fazem como diz a Escritura: livram-se de todo o embaraço, desviam-se das astutas ciladas do Diabo.

Às vezes, somos colocados como Moisés, entre dois caminhos: de um lado, a glória do Egito (o mundo), com todas as honras e todo o esplendor da corte faraônica. De outra parte, o sofrimento, o vitupério de Cristo. Sejamos sábios, saibamos escolher sem olhar a aparência, mas perscrutamos a realidade do futuro; carreguemos a cruz, até trocá-la por uma coroa.

Deixemos “faraó” com toda a Sua glória e fiquemos com Jesus, o qual nos espera e nos quer abraçar, com amor. O segredo da vitória daqueles que andam sob o peso do madeiro, não está em abandona-lo em meio a viagem e sim em leva-lo até ao fim da jornada. Jesus levou a cruz até o Gólgota, termo visível da estrada que nós podemos contemplar.

Mas há um caminho invisível, que conduz ao céu; é por essa estrada que devemos caminhar. Mesmo que o nosso corpo sofra sob o peso da cruz, não impede que o nosso espírito, pela fé, voe com Jesus, até ao céu. O nosso Salvador terminou Seu jornadear, com a cruz, no Calvário; mas, segundo Deus, o fim foi o céu, na glória, a Sua Direita.

Imitemos Jesus, levando a nossa cruz até ao céu; prossigamos nesta estrada até chegarmos as moradas que Jesus nos foi preparar, ainda que os nossos companheiros atirem, para longe, a sua cruz.

O céu é o lugar onde se troca a cruz, pela coroa.

Anúncios

Read Full Post »

 

Mudança de Cultura

 

Pr. Cyro Mello, secretário-Adjunto da CGADB

 

A Mesa Diretora da CGADB tomou uma decisão muito feliz (como todas as demais), ao incentivar a antecipação das inscrições. Essa iniciativa começou a partir da 4ª AGE, em Porto Alegre, como o nobre companheiro pode muito bem lembrar. Como se tratava de uma mudança de cultura, essa transição precisou ser planejada. Em Porto Alegre, ainda foi possível fazer inscrições no primeiro dia da AGE, mas a partir desta 39ª AGO, o último dia foi 20 de janeiro (com exceções aos ministros residentes da cidade do Rio de Janeiro).

 

É claro que não foi uma mudança cultural tão simples, porque foram exatamente 174 dias, um pouco menos de 6 meses, em que as inscrições estiveram abertas. De 1 de agosto/2008 até 20 de janeiro/2009! Para as próximas AGOs e AGEs, certamente não haverá aquela velha “agonia” de se deixar tudo para os últimos 30 minutos, do último dia de inscrição. Como estamos praticamente no início do nosso segundo centenário é razoável pensar que não sofreremos mais essa tal “agonia”. As intermináveis filas e as “pastas” insuficientes são fatos do passado. Eu creio nisto! O maior beneficiado sempre será o próprio ministro.

 

O total de inscritos ultrapassa a casa dos 17 mil. Isto representa 50% do número de ministros ativos (entre missionários e ministros jubilados), aproximadamente! Sem dúvida, antes de iniciar a primeira seção, o presidente já terá o total exato de inscritos, como reza o Artigo 7º do nosso Regimento Interno. Quando escrevi este texto, a Comissão Jurídica ainda se debatia entre processos, impugnações, liminares e contestações, diante de seus algozes. Desde 1930 que uma Comissão com esta nomenclatura não atua tão intensamente. Se bem que essas pechas de “impugnação”, e “liminar” não existiam nessa época. Os viventes desses idos afirmam com a face e a mão direita levantada aos céus, que os primeiros onze versículos da primeira carta do Apóstolo Paulo (com a maiúscula) eram lidos, entendidos e praticados pelos pioneiros. Tempo bom aquele!

 

Não sabemos quando teremos outra Assembléia tão concorrida. Quem sabe meus netos estejam aqui para testemunhar. Talvez as próximas eleições sejam regidas por outro sistema menos oneroso. A propósito, não é por acaso que estamos completando nosso primeiro centenário.

 

 O local escolhido para realização do evento é o Centro de Exposições de Carapina, cidade de Serra, na Grande Vitória, Espírito Santo. O convencional dispõe de espaço suficiente para votar com adequado conforto. Para esse fim a Comissão Eleitoral tem envidado todos os esforços para proporcionar uma votação tranquila, dentro dos princípios que regem nossa conduta cristã, quais sejam, a legalidade, o direito e a boa ordem.   

 

Abertura

 

A abertura do evento será no dia 20, às 19 horas, no próprio local das plenárias. O preletor da noite de abertura será o presidente da Convenção Geral, pastor José Wellington Bezerra da Costa e os preletores dos devocionais serão os pastores Hidekazu Takayama (PR), José do Prado Veiga (SP), Daniel Silva (AL), Pedro Aldi Damasceno (MA), Genildo Simplício (SP), Josué Brandão (BA), José Antonio dos Santos (AL) e Gilvan Rodrigues (PB).

 

As esposas dos ministros terão palestras específicas, sob a coordenação da irmã Wanda Freire Costa, que preside a União das Esposas de ministros das Assembléias de Deus (Unemad). O local das palestras será um plenário separado, especialmente preparado para esse fim.

 

Temário

 

O temário desta AGO, conforme consta no Edital de Convocação e publicado no Mensageiro da Paz, órgão oficial da CGADB, será o seguinte:

 

1) Posicionamento da CGADB quanto à nulidade ou anulabilidade do casamento, união estável e concubinato, e a revisão do posicionamento acerca do divórcio. 

 

2) Ênfase aos princípios pentecostais, face à celebração do Centenário das Assembléias de Deus.

 

3) Perigos que ameaçam as Assembléias de Deus no Brasil:

    a) Mornidão;

    b) Modismos neo-pentecostais;

    c) Remoção dos marcos antigos;

    d) Omissão dos valores eclesiásticos.

 

4) Julgamento de recursos contra decisões da Comissão Eleitoral, conforme disposto no artigo 32 do Estatuto Social e artigo 58 do Regimento Interno.

 

5) Apreciar e deliberar sobre relatórios da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal, relativos ao período do mandato, conforme disposto no artigo 8º – III, do Regimento Interno.

 

6) Eleição e posse da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal.

 

Horário

 

Todas as normas reguladoras do processo eleitoral estão estabelecidas nos artigos 39 ao 127 do Regimento Interno. Cada sessão da Assembléia Geral funcionará no período das 9 às 12h e das 14 às 17h.

 

Para maior viabilidade dos trabalhos a Mesa Diretora pretende fazer uma única seção a cada dia (É claro, com espaço para almoço!)

 

De acordo com o disposto no artigo 17 do Estatuto Social, poderão votar pelo sistema eletrônico oficial ou manual, somente os convencionais presentes e, evidentemente, inscritos para esta Assembléia Geral.

 

A sessão destinada à realização da eleição funcionará a partir das 8h, do dia 23 de abril, ininterruptamente, até a conclusão dos trabalhos de apuração e a totalização dos votos. A proclamação do resultado pela Comissão Eleitoral e a posse dos eleitos ocorrerão no mesmo dia.

 

Cada convencional deverá estar atento para o fato de que a finalização do recebimento dos votos ocorrerá às 17h, somente sendo admitido votar após esse horário, o associado que já estiver na respectiva seção eleitoral, mediante recebimento de senha e entregue à mesa sua credencial ou documento de identificação.

 

Esperamos que, uma vez mais, a bondade do Todo-Poderoso seja derramada em nossos corações, por Cristo Jesus, “de quem somos e servimos” (At 27.23). Finalizo com as palavras de Samuel, ao afirmar em Mispa, depois da flagrante derrota dos filisteus diante do povo de Deus: “Até aqui nos ajudou o Senhor” (1Sm 8-12)!

 

Read Full Post »

Conheça os pastores que estarão concorrendo a cargos na Mesa Diretora e no Conselho Fiscal da CGADB para o quadriênio 2009-2013 nas eleições que ocorrerão no dia 23 de abril de 2009 em Serra, Grande Vitória (ES), por ocasião da 39ª AGO da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil. 

Fonte: Mensageiro da Paz (CPAD) * Ano 78 * nº 1.482 * 8 de novembro de 2008  http://www.cpad.com.br/cpad/down/MENSAGEIRO%20ESPECIAL.pdf

Read Full Post »

templo-nave-poa1.jpg

Com o templo totalmente cheio, a AD em Porto Alegre, liderada pelo pastor Ubiratan Batista Job, brilhou sob a graça divina, na abertura da 4ª AGE (Assembléia Geral Ordinário), no dia 25, segunda-feira, à noite. Notadamente tomado de pastores, o culto expôs a beleza pelo ânimo espiritual. 

visao-pulpito-coral1.jpg

Com as melodias da Orquestra da AD em Caxias do Sul e poesia dos hinos da Harpa Cristã, os cânticos tiveram o fervor e inspiração do pastor Daniel Regis, acordes que se completaram pela beleza da orquestra caxiense.

pastores-e-autoridades1.jpg

Estiveram presentes a governadora do Estado, Yeda Crusius, o ministro das Cidades, Márcio Fortes e o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, além de deputados e vereadores, como Marta Freire, da capital paulista. 

ubiratan-e-jw-lado1.jpg 

Pastor José Wellington pregou a palavra. Antes saudou as autoridades presentes e a todos os colegas, pastores e ministros do Evangelho. Com base em 1Timóteo 3.14-15, falou do cuidado do apóstolo Paulo para com a igreja, em especial com respeito da inserção de grupos agnósticos.

Falou do centenário das AD no Brasil e que muitas organizações seculares “não chegam a 50 anos, mas nós temos compromisso com o Deus que não se cansa, se manifesta e rejuvenesce a sua igreja a cada dia.

Observou, parafraseando Josué, que “até aqui nos ajudou o Senhor” e que a igreja sofreu muitas perseguições, que “passaram porque Deus nos deu o crescimento e hoje, se não nos aceitam, nos suportam”. 

Exortou a igreja a manter sua identidade, permanecer como luz e sal do mundo e a mostrar que “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente”. 

Devocional 

Na terça-feira, na primeira plenária, aberta em oração pelo presidente da CGADB, pastor José Wellington, ministrou a Palavra pastor José Antônio dos Santos – pastor Neco, a partir de Colossences 2.1-3, afirmou que de todos os 93 versículos, o apóstolo Paulo fez um resumo nesses primeiros versículos do capítulo 2. Com seu jeito peculiar, que reflete seu jeito simples de pregar, mas que aquece os corações na seqüência natural de sua fala, pela graça presente, numa clara demonstração de possuidor de ministério pastoral.  

Mesmo com exortação à prática com fervor do ministério pastoral, pastor Neco terminou sua prédica aplaudido por todos, o que figura como anormalidade, entre a AD, em especial, pastores, dada a aceitação de sua palavra. Em seguida, pastor José Wellington abriu a discussão ao falar sobre a necessidade de se adequar à escolha da liderança por meio de eleição, às leis seculares. 

O encontro de pastores ocorre no centro de convenções da PUC porto-alegrense em três auditórios com capacidade para 3 mil e dois de 1,5 mil pessoas, que acomodam os 4,2 mil inscritos.  

Início das discussões 

No início das discussões das alterações dos estatutos que regem as eleições internas, houve momentos calorosos. Por fim, como não havia condições de continuar, pastor José Wellington, após ouvir sugestões, propôs a discussão de pontos divergentes da alteração.   

À tarde, já havia consenso sobre as divergências e as propostas foram apresentadas para discussão em plenário, com ânimos amenizados. 

A proposta principal de alteração diz respeito à adequação dos estatutos, colocando-o em paridade com o sistema eleitoral secular do país, ressaltando algumas particularidades da CGADB. 

Mensageiro da Paz 

Também no período da tarde, houve a apresentação do novo projeto gráfico e editorial do Mensageiro da Paz. O jornal agora está mais claro e um pouco maior, semelhante aos jornais tablóides seculares. 

O editor-chefe do Jornalismo da CPAD e presidente do Conselho de Comunicação da CGADB, Antônio Mesquita fez a apresentação do jornal, enquanto adolescentes da AD em Porto Alegre, vestidos a exemplo dos jornaleiros do início do século passado, fizeram a entrega aos convencionais.

A cobertura completa da AGE você poderá ler no Mensageiro da Paz de abril.

Read Full Post »