Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Youtube’

Enquanto a Google mantém no ar através do YouTube o filme extremamente ofensivo ao islã sunita e não tão ofensivo ao xiita não se importando com as mais de 20 mortes induzidas por um mero trailer mal feito de 14 minutos, vamos dar uma olhada no que a mídia muçulmana vinha fazendo com os judeus, ANTES, deste caso todo estourar. (1) No dia 13 de setembro o jornal Assabeel que circula na Jordânia no nicho palestino (o que significa mais de 70% da população), publicou uma matéria com o título “A Corrupção Inata dos Judeus”. A matéria começa com uma compilação dos versos contra os judeus que existem no Corão e prossegue com um “libelo” onde os judeus são acusados de matar todos os profetas do islã, isto é: Adão, Enoch, Noé, Lot, Abraão, Isaac, Moisés, Aaron, David, Salomão, Esequiel, João Batista e Jesus (no total são 23 e historicamente nenhum foi morto por judeus). O jornal ainda prossegue afirmando que os judeus falsificaram a história para se adequar à ideologia sionista. Acusa os EUA de serem uma “colônia sionista” e que as guerras na Somália, Sudão e Cáucaso são incitadas pelos judeus. A matéria conclui com uma “verdade” e só um caminho a todo muçulmano: “matar todos os judeus.” (2) Num pronunciamento oficial publicado pelas agências de notícias do Irã, também no dia 13, inclusive com o áudio nos programas de rádio, até da BBC em árabe, o presidente Ahmadinejad acusou os judeus e os americanos de “destruir as nuvens de chuva que vão para o Irã criando uma terrível seca”, texto que parece ser retirado dos libelos contra os judeus publicados pela Igreja Católica na Idade Média. (3) No dia 10 de setembro, o jornal egípcio El Balad fez uma matéria detalhada de “como os judeus estão tomando conta do mundo.” Para estes egípcios os judeus trabalham em conjunto com os britânicos (colonizadores imperialista do Egito durante décadas) para dominar o mundo, com cooperação americana. Segundo o jornal, os judeus procuram “destruir qualquer autoridade comunitária para fortalecer o poder do Estado,… Reduzem internacionalmente o poder dos Estados para fortalecer a ONU,… Colocaram o poder da ONU nas mãos de cinco países do Conselho de Segurança” (China e Rússia são dois, mas isso não importa). Ainda segundo os egípcios, os judeus são culpados de: (a) criar uma cultura de igualdade entre os sexos para o homem perder o senso de comando da família, (b) destruir a instituição do casamento para que o Estado tome e crie os filhos dos casais fora da família, (c) criar formas de justificar o adultério, (d) criar leis de proteção às crianças para reduzir o poder das famílias e aumentar o desrespeito ao pai e à mãe, (e) insultar e ridicularizar o clero, mostrar como o clero é hipócrita e incitar os jovens a não obedecer a religião, (f) os judeus são acusados de impedir o castigo físico e outras punições de alunos nas escolas para fazer com que o poder dos professores seja perdido, (g) remover a capacidade financeira e espiritual de sustento dos idosos, (h) os judeus são culpados pela revolução nas roupas, na moda, que faz com que se perca os valores da identidade cultural; (i) adulterar a lembrança de culturas antigas e substituí-la por estórias em filmes ocidentais, (j) reescrever a história, incluindo a história islâmica e os textos do Profeta (Corão). (k) estabelecer partidos políticos e grupos a favor dos judeus na América e colocá-los no poder para conseguir a ocupação da América pelos judeus (há 5,5 milhões de judeus nos EUA numa população de 314 milhões de pessoas). Esse texto deveria colocar seu autor dentro de um asilo para doentes mentais, entre o quarto de Napolão e da Cleópatra, mas é oficialmente difundido num país muçulmano com mais de 80 milhões de habitante, que acham justo, matar pessoas porque Maomé foi mostrado de peito desnudo e tomando umas chineladas de três de suas mulheres com quem fazia sexo.

      Do Menorah, Rapidinhas, Jornal Eletrônico, 257 –, ipsis litteris

http://menorah.personata.com.br/PSRel/visualizaEmail.asp?cmbsURLTemplate=1,http://menorah.personata.com.br/PSRel/templates/vazio.htm&iidPesquisa=231&iidCliente=115973&idigito=0&tipo=e

Read Full Post »

Bastante claro, objetivo e em tom de alerta a toda a nação, pastor Paschoal Piragine Jr., da Primeira Igreja Batista em Curitiba, por meio do vídeo de cerca de 10 minutos e bem produzido, postado no Youtube, esclarece sobre os riscos de domínio, caso políticos petistas e de partidos com o mesmo ideário, cheguem ao Congresso e Governo federal.  Acostumar-se com a prática da iniquidade é o principal motivo que leva o povo a tornar-se promíscuo e sem freios, observou o líder cristão.

Ele fala em legislação da iniquidade – quando o homem se acostuma a pecar e se envolve em fatos que não mais ferem a sua suscetibilidade e o respeito à dignidade e moral humanos.

“O PT fechou questão sobre tais assuntos”, alertou e ainda citou o documento divulgado pela Igreja Católica Romana, por meio da CNBB (leia abaixo), em que conclama os seus fiéis a não votarem nos candidatos do PT. A gota d’água foi a expulsão de dois deputados católicos do PT, por terem se manifestado contra o aborto.

O Governo petista fechou questão sobre a aprovação do aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo, troca de sexo, patrocinado pelo SUS, adoção por homossexuais, proibição de se falar contra homossexuais – Lei da Mordaça – dentre outros… Estas buscas fazem parte do pacote PNDH-3, já ‘engatilhado’ para ser aprovado no próximo Governo, caso Dilma vença.

Por outro lado, Lula já exigiu, sob risco de perde do cargo, que todos os ministérios dêem apoio a questões ligadas a tais liberalizações, como os ministérios da Saúde e da Justiça, dentre outros, que estarão à disposição de todos os simpatizantes de tais ‘iniquidades’, casos queiram apoio.

Leia Nota da CNBB

CNBB pede que fiéis não votem em Dilma

RIO – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma carta na última segunda-feira na qual pede que os fiéis não votem na candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Leia a carta na íntegra:

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.

“Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César. Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir-se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus.

“Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.

“Na condição de Bispo Diocesano, como responsável pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que – por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -,denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender. A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; Mt 5,21).

“Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam.

Dom Luiz Gonzaga Bergonzini”

Read Full Post »