Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘São José do Rio Preto’

A liminar que tirava pastor Wanderley de Melo da presidência da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto (SP) foi derrubada. Pastor Aparecido Perozin nem mesmo chegou a assumir a liderança. Irmão do pastor José Perozin, ex-líder que morrera em janeiro de 2009, e um dos vices do mesmo, Aparecido Perozin ainda move contra Wanderley Melo outros dois processos sobre o caso.

Leonardo Lopes Sardinha, juiz substituto da 2ª Vara Cível de Rio Preto, extinguiu o processo, reconduziu Melo e ainda declarou Aparecido litigante de má-fé, condenando-o a multa de 1% sobre o valor da causa, de R$ 8 mil, e à indenização de R$ 5,5 mil pelo fato de ele ter entrado com o mesmo pedido em varas judiciais diferentes.

Perozin acusa Melo de assumir a presidência da igreja com base em uma carta falsa, que teria sido deixada pelo seu irmão, indicando a substituição, em caso de sua morte. O afastamento de Wanderley Melo chegou a ser concedido pelo juiz Jaime Trindade, da 6ª Vara Cível, mas foi suspenso devido ao processo existente na 2ª Vara.

Anúncios

Read Full Post »

Pastor Wanderley Melo foi afastado pela justiça

O pastor Wanderley Melo da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto, a 450km da capital paulista, foi afastado do cargo pela Justiça. Ele assumira a igreja em janeiro, quando seu líder pastor José Perozin faleceu de infarto, no dia 4 de janeiro. Pastor Aparecido Perozin, irmão do falecido e um dos três vices da diretoria anterior, deverá assumir a igreja e no prazo de 90 dias, reunir os 150 ministros membros do Ministério e convocar a eleição para a nova diretoria. Aparecido assumirá a igreja na próxima segunda-feira, com reforço policial, caso necessário, segundo seu advogado.

Pastor José Perozin faleceu em janeiro

Pastor Wanderley teria sido eleito por aclamação, logo após o velório do pastor Perozin. Sua eleição foi influenciada por uma carta que teria sido deixada pelo pastor Perozin, indicando-o como seu substituto. Para acatar o último desejo do líder, pastor Wanderley acabou eleito. Porém, a assinatura da dita carta, apresentada pela esposa do falecido Claudete Perozin é falsa segundo a Polícia Técnica. A sentença do juiz Jaime Trindade, da 6ª Vara Cível de Rio Preto, baseou-se na prova pericial: “Em face da conclusão da prova pericial, apontando como falsa a indicação do nome de Wanderley Melo pelo presidente anterior falecido, assim por se evitar a prática de atos ruinosos imputáveis aos requeridos, sem legitimidade para o exercício da representação, nomeia-se o requerente como administrador provisório, e com prazo de 90 dias, exclusivamente com o fito de convocar eleição e administrar entidade (…).”

A decisão judicial foi divulgada ontem, pela Agência Bom Dia (Júlio Cezar Garcia).

Segundo a notícia, a decisão judicial “se deu no pedido de liminar feita pelo advogado Carlos Galvani, presidente da Comissão Jurídica da (Convenção Estadual das Assembléias de Deus (Confradesp) do Belenzinho em São Paulo, e relator da Comissão Jurídica da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB). Conforme Júlio Cezar Garcia, o advogado de Wanderley, João Mineiro, ainda não fora intimado da decisão.

O templo em Rio Preto é visto de longe e se destaca pelo bom gosto. Foto: Cristian Mesquita

“Perna curta”

Segundo a mesma fonte, o laudo pericial fora requisitado pelo delegado Júlio Cezar Pesquero ao Instituto de Criminalística da Polícia Civil. A Polícia afirma que a assinatura na carta do pastor José Perozim, que teria indicado pastor Wanderley Melo para substituí-lo, em caso de morte, é falsa. A carta fora apresentada no dia 7 de janeiro, três dias após a morte do presidente. Segundo informação extra-oficial, a carta fora registrada em cartório no dia 5.

Pastor José Perozin, também advogado militante, era zeloso e não economizou no investimento no templo, onde era sempre visto trabalhando, desde a construção. Foto: Cristian Mesquita

O Ministério

São José do Rio Preto é um rico centro administrativo do interior paulista, com mais de 400 mil habitantes. O Ministério em Rio Preto foi emancipado há muitos anos da Região Eclesiástica de Catanduva. Estava ligada à Confradespe (SP) e atualmente à Comadetrin (MG). O templo é um verdadeiro cartão postal à cidade. É revestido de mármore, tem bancos almofadados e abriga cerca de 6 mil pessoas. Os membros chegam a 8 mil e tem 180 congregações. Pastor José Perozin liderava a igreja desde 1985.

O documento foi “questionado pelo irmão do ex-presidente, o que deu início ao inquérito. Com o resultado da perícia, que afirma que a assinatura não é  de José Perozim, o delegado Pesquero encaminhou o inquérito ao Fórum de Rio Preto com pedido de indiciamento do pastor por uso de documento falso. O advogado de Wanderley Melo, João Mineiro Viana, entrou com habeas corpus e conseguiu suspender o indiciamento, enquanto o Ministério Público analisa se denuncia o pastor por uso de documento falso”.

Read Full Post »