Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘pastor José Wellington’

Bombaim receberá a próxima Conferência Mundial das ADs

Bombaim receberá a próxima Conferência Mundial das ADs

A próxima Conferência Mundial das Assembléias de Deus será realizada em março de 2011, em Bombaim, na Índia. A data foi anunciada na última quinta-feira (27), em Maceió, durante a realização da Convenção regional da AD alagoana, pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB e membro da Comissão Organizadora do Comitê Mundial das ADs. Ele esteve neste mês, nos Estados Unidos, para a reunião do Comitê, que definiu o local e data.

Pastor José Wellington anunciou a data da Conferência Mundial na última quinta-feira (27), em Maceió, durante a realização da Convenção regional da AD alagoana (Foto: Solmar Garcia - www.adalagoas.com.br)

Pastor José Wellington anunciou a data da Conferência Mundial na última quinta-feira (27), em Maceió, durante a realização da Convenção regional da AD alagoana (Foto: Solmar Garcia - http://www.adalagoas.com.br)

Segundo pastor Wellington, o Comitê está orientando os interessados em participar do evento, que antecipem o visto de entrada ao país, pois não é fácil conseguir o visto para entrar na Índia. Por outro lado, o país figura como um dos maiores perseguidores de cristãos. Em alguns Estados a intolerância é ainda mais intensificada. Há alguns meses, vários templos foram destruídos e cristãos mortos, por seguidores do hinduísmo.

Distribuída pelo Conselho de Comunicação da CGADB, pastor Antônio Mesquita, presidente. Contato:

comunica@cgadb.org.br

mesquita.jornalismo@gmail.com

Read Full Post »

As críticas foram transmitidas pelo próprio pastor Samuel Câmara, em seu programa semanal na RedeTV, no sábado, dia 13 de junho. Elas realçaram as discussões realizadas durante as eleições da CGADB, em abril.

  

Para justificar sua crítica, tornando fatos internos da CGADB expostos a membros da denominação e também ao mundo secular, pastor Samuel disse que a CGADB não é igreja, mas uma organização de filiação de pastores e evangelistas da AD, assim como categorias profissionais seculares, a exemplo de associações e sindicatos. 

 

A crítica mais contundente diz respeito à devolução de cheques sem fundos, emitidos pela CGADB. O assunto foi exposto pelo pastor Silas Malafaia, atual primeiro-vice-presidente da CGADB, durante a Convenção em abril. Lá, após a exposição do assunto, o tesoureiro da CGADB, pastor Jonas, foi convidado pelo presidente a defender-se das acusações, mas se perdeu e não teve sucesso. Com isso acabou não reeleito, condição que fora atribuída por muitos em função da explicação aquém do esperado. 

 

Porém, após análise do caso por uma comissão, indicada pelo presidente, o próprio pastor Silas Malafaia, da chapa do pastor Samuel Câmara, sugeriu a aprovação das contas, o que aconteceu.

 

A Nota esclarece fatos, que não foram explicados pelo pastor Samuel, e acabam clareando alguns pontos que ficaram obscuros em sua fala.  

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O presidente da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB, no exercício de suas atribuições estatutárias;

Considerando o ofensivo pronunciamento do membro Samuel Câmara, levado ao ar em programa televisivo no dia 13 de junho de 2009, oportunidade em que suscitou inverídicas suspeitas sobre a lisura das assembleias gerais da CGADB e respectivos procedimentos eleitorais, que ensejaram a reforma dos Estatutos e a reeleição de Membros da Mesa Diretora, estendendo seus ataques à atual e às anteriores administrações da entidade;

Considerando que o pronunciamento do membro Samuel Câmara denigre, direta ou indiretamente, a imagem, a honra e a dignidade da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB, assim como de seus dirigentes e todos os membros convencionais;

Considerando que, de acordo com as normas estatutárias, cabe ao presidente da Mesa Diretora o direito de defesa, em Juízo e fora dele, da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB);

O BEM DA VERDADE e por meio do Mensageiro da Paz (a nota ainda será publicada), vem prestar os seguintes esclarecimentos, a todos quantos possam interessar:

REFORMA DOS ESTATUTOS

1) As reformas do Estatuto Social da CGADB, algumas delas por proposta do próprio convencional Samuel Câmara, se deram por imperiosa necessidade de sua adequação aos ditames do Novo Código Civil (Lei nº 10406/2002) assim como à realidade da própria CGADB, sendo a penúltima realizada na cidade Maceió (AL). A última reforma (AGE de Porto Alegre-RS), foi efetivada principalmente para permitir a eleição eletrônica, que foi inaugurada com sucesso na AGO de Vitória, Estado do Espírito Santo, mediante a utilização de urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral daquele acolhedor Estado, sendo, inegavelmente, uma grande vitória e profundo avanço, dado o expressivo número de eleitores que participam das AGOs.

DO PROCEDIMENTO ELEITORAL 

2) Todos os procedimentos eleitorais da CGADB, sem qualquer exceção, sempre foram realizados às claras e de forma democrática, e sem manipulação, com inteira observância das disposições legais e estatutárias. Todos os convencionais tiveram plena liberdade para se inscrever como candidatos aos cargos eletivos. Prova disto que o próprio denunciante Samuel Câmara vem participando de sucessivas eleições, como candidato, tendo sido eleito, inclusive, como 1º vice-presidente da Convenção Geral, biênio de 2005/2007, afora outras funções eletivas que exerceu junto à Mesa Diretora, fatos que jamais poderá negar mesmo porque estão registrados nos anais da Convenção Geral. A reeleição do pastor José Wellington Bezerra da Costa, como presidente, e a eleição dos demais membros da Convenção Geral, a par da estrita observância das disposições estatutárias, devem ser tributados ao livre e consciente exercício do direito de voto dos convencionais que compareceram às sessões da Assembléia Geral, a exemplo dos respeitáveis votos atribuídos ao denunciante Samuel Câmara, restando-lhe apenas a lamúria de sua mal conduzida campanha. Duvidar da lisura, da condução e do resultado das eleições, como o fez deliberadamente o denunciante, equivale a subestimar a própria inteligência dos convencionais que participaram do certame. 

3) Quanto às inscrições de convencionais, principalmente daqueles que participaram da última eleição, são infundadas as denúncias propaladas pelo membro Samuel Câmara, a exemplos dos demais fatos que ele veiculou em programa de televisão. Inicialmente, convém esclarecer que as inscrições foram acompanhadas pelo próprio convencional Samuel Câmara e seus assessores, tendo resultado na confecção de um relatório subscrito por ele (Samuel Câmara) e pelos membros da Comissão Eleitoral. E é oportuno informar que as impugnações do denunciante foram examinadas e rejeitadas pela Comissão Eleitoral, por ausência de qualquer irregularidade. Não era verdadeira a alegação de falta ou intempestividade de pagamento das taxas de inscrições ou de anuidades envolvendo 1.626 inscrições. Todas foram pagas a tempo e modo, cumprindo ressaltar que alguns convencionais, residentes na cidade do Rio de Janeiro, efetuaram os respectivos pagamentos no dia 21 de janeiro de 2009, porque o dia 20 de janeiro de 2009, último dia de prazo, foi FERIADO na cidade do Rio de Janeiro e, de acordo com o artigo 132, § 1º, do Código Civil, “Se o dia do vencimento cair em feriado, considerar-se-á prorrogado o prazo até o seguinte dia útil”. E nada melhor do que cumprir a Lei, como sempre foi do feitio dos membros da Convenção Geral, cuidado que o denunciante demonstrou não possuir. Por outro lado, o denunciante insinua que 1.300 convencionais compareceram somente no dia da votação, mas não estariam inscritos no prazo do edital. Mais uma inverdade pronunciada pelo membro Samuel Câmara. Todos os 1.300 convencionais estavam inscritos. Por sua vez, não se pode censurar os convencionais que optaram por comparecer ao local de votação somente no dia da eleição, visto que a participação dos atos correlatos ao pleito é de livre iniciativa de cada convencional. Curioso que o denunciante Samuel Câmara, deliberadamente, deixou de mencionar os convencionais que ele apresentou às vésperas da eleição, e, portanto, fora do prazo regimental, os quais foram inscritos em cumprimento de decisões judiciais provisórias proferidas em ações que eles ajuizaram contra a CGADB perante a Comarca de SERRA, Estado do Espírito Santo.

 DO CADASTRO E DO REGISTRO DE CONVENÇÃO

4) Sob o enfoque deste tópico, também carece de veracidade a denúncia do membro Samuel Câmara. Nenhum convencional pode ignorar que o cadastramento e o registro de convenções são atos de competência da Mesa Diretora, a teor do artigo 39, III, do Estatuto Social, submisso a homologação da Assembleia Geral. A inscrição da entidade convencional que o denunciante mencionou em programa de televisão preencheu todos os requisitos do Estatuto da CGADB, especialmente quanto ao prazo de seis meses anteriores a data da AGO. Bem por isso que seus membros concretizaram suas inscrições no prazo do edital da última eleição, mediante o pagamento dos respectivos valores, tudo a demonstrar a inveracidade das afirmações do denunciante.

DA ÚLTIMA ELEIÇÃO

5) A eleição levada a efeito durante a AGO em Vitória-ES, como dito acima, foi a primeira mediante processo eletrônico, com urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo. Todos os atos que a precederam, regulados no Estatuto Social e Regimento Interno da CGADB, foram rigorosamente cumpridos e fiscalizados, inclusive acompanhados pelo denunciante, ora pessoalmente, ora por seus representantes. Como se isso não bastasse, convém salientar que o próprio Tribunal cedente das urnas designou seus técnicos, que, diligentemente, acompanharam todos os procedimentos, culminando com a apuração e proclamação dos resultados. Como prova inequívoca da transparência, da oportunidade e lisura do pleito, mesários, escrutinadores, secretários, presidentes de mesas e fiscais foram indicados e recrutados pelos candidatos a presidente, até mesmo para a lacração das urnas, o que concorreu para o equilíbrio, a igualdade e a verdade dos resultados. Portanto, quando o denunciante se refere a suspeição e manipulação das eleições e seu resultado, em verdade o faz como ato de desespero, sem medir as consequências de suas inverídicas afirmações, sem a preocupação de atingir a honra, a imagem e a dignidade de consagrados servos de Deus, que, com dedicação e desvelo, cuidam de imensos rebanhos do Senhor da Seara.

 DAS DELIBERAÇÕES DO PLENÁRIO

6) A respeito das deliberações do Plenário, o denunciante Samuel Câmara demonstra estar desinformado quanto ao que dispõe o artigo 21 do Regimento Interno, que regulamenta a forma de aferir a votação de matérias submetidas a debate em plenário. Conferindo o Regimento da CGADB, é inegável que a conduta do presidente do conclave se ateve rigorosamente ao que determina o mandamento estatutário e regimental, não sendo verdadeira, portanto, a afirmação do denunciante sobre suposta conduta diversa do presidente da Mesa.

DO RELATÓRIO DA COMISSÃO ESPECIAL

7) As inverídicas afirmações do membro Samuel Câmara a respeito de gastos, encargos e compromissos financeiros da CGADB, principalmente no que se refere ao período de 2007 a 2008, comportam os seguintes esclarecimentos:

a) Como é do conhecimento de todos os membros convencionais, a CGADB tem vários órgãos que exercem atividades em sua estrutura administrativa, tais como: Mesa Diretora, Conselho Fiscal, Conselho de Ética, Comissão Jurídica, dentre outros. Todos os convencionais que integram esses órgãos, exercem suas atividades sem remuneração de qualquer espécie, cabendo à CGADB os custos de deslocamentos, hospedagem e alimentação dos de seus membros, quando no desempenho de suas atribuições estatutárias. Aliás, o próprio denunciante Samuel Câmara, enquanto integrante de órgãos da CGADB, também recebeu o mesmo tratamento, sem que desembolsasse, de si próprio, ou da igreja que preside, qualquer valor para cobrir suas despesas no desempenho de atividades estatutárias. Ao contrário do que insinuou o denunciante, todos os valores indicados no relatório da Comissão Especial nomeada são decorrentes de intensas e exaustivas atividades dos membros que integram os diferentes órgãos da CGADB, realizadas em diferentes regiões do país, sempre no interesse da entidade, como os convencionais tiveram a oportunidade de verificar e comprovar na última AGO. Não merecem credibilidade, portanto, as gratuitas afirmações do denunciante, mesmo porque desprovidas de qualquer prova em sentido contrário.

b) Quanto às dividas fiscais apontadas (INSS e FGTS), convém ressaltar que é absolutamente inverídica a informação da existência de “apropriação indébita” de valores descontados dos empregados da CGADB. O relatório da Comissão Especial nomeada dá conta de que os valores descontados de salários foram quitados. Logo não procedem as afirmações do denunciante. Quanto ao saldo apontado como objeto de parcelamento junto ao órgão governamental competente, aguarda-se deferimento de requerimento formulado em estrita observância das normas legais.

c) Com relação aos compromissos assumidos, é oportuno esclarecer que as finanças da CGADB são alimentadas pelas anuidades e taxas de inscrições dos membros convencionais de sorte que, em razão da ausência de provisão de fundos de vários cheques recebidos de convencionais, a entidade teve momentânea dificuldade para saldar seus compromissos, mas, conforme consta do relatório da Comissão Especial, os títulos de créditos mencionados pelo denunciante foram resgatados. Por não ser de seu interesse, o denunciante omitiu, propositadamente, o parecer final da aludida comissão, que não foi por ele contestado em plenário, onde está expresso que: “Diante dos fatos analisados e dos comentários citados, somos de parecer de que os relatórios financeiros de 2007 e 2008, apresentados pela CGADB, sejam aprovados, com a incorporação deste relatório e documentos, com atendimento as recomendações aqui constantes, em especial com o preparado das demonstrações financeiras em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos. De igual modo, esta comissão considerando os aspectos envolvidos e a documentação apresentada, conclui que, tendo em vista a matéria discutida, não se identifica nenhum elemento evidenciador de improbidade administrativa.” Deve ser destacado que a Comissão Especial em referência foi composta por convencionais dotados de formação técnica adequada, e com a participação de representante do denunciante Samuel Câmara. O parecer acima parcialmente transcrito foi submetido à discussão e apreciação do plenário, tendo sido APROVADO POR UNANIMIDADE pelos convencionais, dentre eles o próprio denunciante Samuel Câmara.

DA DOCUMENTAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO

8 No que se refere aos documentos de inscrição dos candidatos, o pronunciamento do membro Samuel Câmara, igualmente, está permeado de inverdades. De todos os que se candidataram aos mais diversos cargos eletivos da CGADB, foi exigida a documentação regimentalmente determinada, conforme dispõe o artigo 41 e seguintes do Regimento Interno, com prazos de impugnações. Por outro lado, é absolutamente inverídica a afirmação de que o subscritor da presente teria presidido sessão da Comissão Eleitoral, até porque os membros daquele órgão, que atuaram com total independência, jamais permitiriam a ingerência de terceiros em seu funcionamento. É lamentável observar, mas o denunciante, propositadamente, confunde a pessoa física dos candidatos com a pessoa jurídica da CGADB.

9) Finalmente, destaca o subscritor desta nota, em nome da Mesa Diretora e todos os demais órgãos da CGADB, que não é cabível, por impertinente, a ressuscitação de questões exaustivamente debatidas e já decididas, soberanamente, pelos membros convencionais, não sendo demais acrescentar que as denúncias do membro Samuel Câmara configuram comportamentos espiritualmente reprováveis, cabendo ao Senhor da Seara avaliá-las segundo seus santos propósitos e juízos. Bom seria que o precioso espaço do programa de televisão fosse utilizado pelo membro Samuel Câmara para a propagação do Santo Evangelho, porque é com esse magno propósito que ele foi consagrado ao Ministério da Palavra. 

Fraternalmente, em Cristo Jesus, Senhor Nosso
Rio de Janeiro, 18 de junho de 2009

JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA
Pastor-presidente

FONTE: http://prjosewellington.blogspot.com 

Read Full Post »

Pastor José Wellington e pastor Wellington Junior foram homenageados por terem sido reconduzidos às presidências da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) e do Conselho Administrativo da CPAD, respectivamente. Os dois foram reeleitos durante a 39ª. CGADB, que ocorreu em Serra, Grande Vitória, de 20 a 24 de abril. 

Recebido com aplausos pastor José Wellington adentra o templo em São Paulo

Recebido com aplausos pastor José Wellington adentra o templo em São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pastor Wellington, sua esposa Wanda Freire e o filho Wellington Junior durante o culto

Pastor Wellington, sua esposa Wanda Freire e o filho Wellington Junior durante o culto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                    

O  preito ocorreu no último dia 4 de maio, durante Reunião de Obreiros, que ocorre todas as primeiras segundas-feiras de cada mês, na AD em Belenzinho, zona leste da capital paulista. 

Pastor Santana é recebido pelo presidente da CGADB

Pastor Santana é recebido pelo presidente da CGADB

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Obreiros lotaram o templo para a primeira reunião após a eleição

Obreiros lotaram o templo para a primeira reunião após a eleição

 

Obreiros de todo o Estado e de várias partes do país estiveram presentes. Dentre eles, membros da nova mesa diretora, como o primeiro tesoureiro eleito, pastor Antônio Silva Santana, de Ribeirão Preto (SP), pastor Josias de Almeida, de Cubatão-SP, segundo tesoureiro eleito e Lucinfrancis Barbosa, 2º vice do Conselho Administrativo da CPAD (Macapá-AP). Pastor Oscar Moura e seu filho (Cadeeso-ES) também estiveram presentes. 

 

 

Sorridente pastor Wellington ouve canção...

Sorridente pastor Wellington ouve canção...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

... que exaltou suas qualidades e com o famoso ‘Vote no velhinho...’, por conjunto musical do Amapá

... que exaltou suas qualidades e com o famoso ‘Vote no velhinho...’, por conjunto musical do Amapá

 

 

 

Ensino da Palavra 

Ensinaram a Palavra o pastor Divoncir de Jesus (EUA), irmão de Uriel de Jesus. Com propriedade ele pregou sobre as qualidades de obreiros cooperadores do apóstolo Paulo. No período da tarde, pastor Carlos Padilha (Presidente Prudente-SP), alertou a todos sobre a brevidade da Volta do Senhor e teceu comentários sobre os sinais, como a gripe “suína” que amedronta o mundo. “Temos de estar prontos agora!”. 

Base da anunciação dos pentecostais 

Por fim, pastor José Wellington exortou os ministros presentes a saírem das quatro paredes e evangelizar, sem perder tempo. “Temos de pregar que Jesus Cristo salva, cura, batiza no Espírito Santo e voltará para nos levar para os Céus. Precisamos falar de Jesus. É a Palavra que tem poder e ela não voltará vazia”, observou. 

Presidentes de Conselhos e Comissões 

Durante a Reunião de Obreiros, pastor José Wellington apresentou outros presidentes de Conselhos e Comissões da CGADB presentes, pastores:

Paulo Freire, presidente do Conselho de Doutrina;

João Carlos Padilha, presidente do Conselho Fiscal;

Evandro de Souza Lopes, presidente do Conselho de Ética e Disciplina;

José Pereira da Silva, presidente do Conselho Consultivo;

Alexandre Florêncio da Silva, presidente do Conselho de Ação Social;

Antônio Mesquita, presidente do Conselho de Comunicação;

José do Prado Veiga, da Comissão de Temário; 

José Fernandes Filho, da Comissão de Relações Públicas (Região Sudeste).  

Fotos: Pr. Juarez Ferreira Lima

Read Full Post »

Divulgada lista de diretores de Conselhos,

Comissões e órgãos da Convenção Geral

Nesta semana, a Convenção Geral (CGADB) divulgou a lista de membros e respectiva diretoria dos órgãos, que atuarão com a mesa diretora durante o próximo quadriênio. São 20 órgãos que representam a instituição em todos os segmentos, entre 13 conselhos, cinco comissões, mais a Secretaria de Missões (Senami) e a Escola de Missões (Emad). Alguns ainda não elegeram suas diretorias.

Cadastro 

O presidente do Conselho de Comunicação, pastor Antônio Mesquita, solicita a todos os membros deste Conselho que enviem, por meio de seu email (mesquita.jornalismo@gmail.com) seus contatos: endereço completo, telefone, email e sua igreja/convenção. O cadastro servirá para troca de informações, atualização de pautas, reuniões e distribuição de notícias de interesse geral. 

Composição dos órgãos da

Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil 2010-2013

 

CONSELHOS

Conselho Administrativo da CPAD

Diretoria

José Wellington Costa Junior (SP) presidente,

Kemuel Sotero Pinheiro (ES) 1º vice-presidente,

Dermerval Lopes de Cerqueira (BA) 2º vice-presidente,

Orcival Xavier (DF) 1º secretário,

Lucifrancis Barbosa Tavares (AP) 2º secretário.  

 

Eleitos

Região Norte

Lucifrancis Barbosa Tavares (AP),

Carlos Alberto Santos (AC),

Possidônio Martins dos Reis (PA), suplente. 

 

Região Nordeste                    

Dermeval Lopes Cerqueira (BA),

Osires Teixeira Pessoa (CE),

Cleudson Carlos Ferreira de Souza (BA), suplente.  

 

Região Sudeste

Jose Wellington Costa Junior (SP),

Lourival Machado (RJ),

Kemuel Sotero Pinheiro (ES),

Álvaro Oliveira (ES), suplente.

 

Região Centro-Oeste

Orcival Pereira Xavier (DF),

Elienai Cabral (DF),

Sebastião Silva Cunha (suplente).  

 

Região Sul

Daniel Sales Acioli (PR),

Juvenil Santos Pereira (SC),

Douglas Scheffel (PR) suplente.  

 

 

Conselho Fiscal

Diretoria

João Carlos Padilha de Siqueira (SP) presidente,

Israel Alves Ferreira (BA) vice-presidente,

Perci Fontoura (PR) 1º secretário,

Rinaldo Alves dos Santos (DF) relator,

Joel Holder (RO) membro.

 

Suplentes

Moisés de Melo e Silva (AM),

Antonio José Azevedo Pereira (CE),

Álvaro Alen Sanches (MG),

Jesus Vieira Vilande (RS),

Samuel Lima dos Santos (DF). 

 

 

Conselho Consultivo 

Região Sudeste

José Pereira da Silva (SP) presidente

Horácio da Silva Junior (RJ),

Sebastião Antonio Alves (SP). 

 

Região Sul

Volmar Mucine (SC),

Moisés Ramos (PR). 

 

Região Centro-Oeste

Carlos Chaves de Castro (MS),

José Genésio da Silva (MT).

 

Região Nordeste

João Severino Fernandes (PE),

Samuel Oliveira (PE).

 

Região Norte

Jacob Monteiro da Silva (AP),

Luiz Gonzaga de Lima (AC). 

 

 

Conselho de Doutrina

Paulo Roberto Freire da Costa (SP) presidente,

Emanuel Barbosa Martins (SP),

Paulo Lopes Correa (RJ),

Carlos Alberto Silva (SP),

Martins Alves da Silva (RN),

Evilásio Conceição Bastos (BA),

João Oliveira de Souza (RS),

Neemias Pereira da Rocha (GO),

José Antonio Gonçalves (MT),

Lázaro Humberto Lemes (AC),

Antonio Xavier dos Santos Vale (TO). 
 

 

Conselhos Regionais 

Região Sudeste

Raimundo Soares de Lima (SP) presidente,

Samuel Rodrigues (SP),

Alcides Favaro (SP),

Adilson Farias (RJ),

Luiz Francisco dos Santos (SP),

Moisés Moreira de Oliveira (RJ),

Adeílton Neres de Souza (ES),

Arnaldo Candeias (ES),

Ivan Pereira Bastos (ES),

Adão Alves de Araújo (MG),

Sérgio Eleotério Coelho (MG),

João Alto da Silva (RJ),

Álvaro Alén Sanches (MG). 

 

Região Nordeste

Nestor Henrique Mesquita (PI) presidente,

José Rodrigues Nunes (BA),

Ubiratan Cavalcante Alves (PE),

José Carlos de Lima (PB),

Emídio Barbosa de Lima Brito (PB),

Elinaldo Renovato de Lima (RN),

Pedro Aldi Damasceno (MA),

José Alves Cavalcante (MA),

Virgínio José de Carvalho Neto (SE),

Maurino Pinheiro do Nascimento (CE),

Francisco Erivelton Gonçalves (—), 

Adonias Angelo Barros (—),

Amaro Antonio Cristovam Filho (—),

Simas Dias dos Santos (—).

 

Região Sul

Bento Alcebíades Teixeira (RS),

Aparecido Storbem (PR),

Vilson Label (SC). 

 

Região Centro-Oeste

Elias Longo (MS),

Wellington Carlos Almeida Rocha (GO),

Wanderly Tavares Ferreira (DF),

Ruimar Fonseca de Souza (DF),

João Agripino de França (MT),

José Marcelino da Silva (DF). 

 

Região Norte

Eliel Morais de Almeida (AP),

Celso Gregório de Lima (AC),

Adão Pereira do Nascimento (RR),

Nivaldo dos Anjos Silva (PA),

Jonatas Câmara (AM),

João de Deus Mariano Campos (PA),

Manoel Angelo Chagas (RO). 
 

 

 

Conselho de Educação e Cultura  

Douglas Roberto de Almeida Baptista (DF) presidente,

Geziel Padilha (SP),

Emanuel da Silva (RJ),

Terrency Bernhard Jonhson (SP),

Eliezer Bernhardt Morais (RS),

José Alves da Silva (PR),

Rubens Ciro de Souza (MT),

Sadraque Muniz (RO),

Orlando Gaia (AP),

Altair Germano da Silva (PE),

Manoel Monteiro (BA).
 

 

Conselho Consultivo 

José Pereira da Silva (SP) presidente,

João Severino Fernandes (PE),

Samuel Oliveira (PE),

Umberto Batista da Silva (ES),

Alexandro Huguerini (RJ),

Sebastião Antonio Alves (SP),

Moisés Lacour (PR),

Samuel Rodrigues Moreira (PR),

José Genésio da Silva (MT),

Sebastião de Andrade (TO),

Manoel Custódio Montes (RJ). 

 

 

Conselho de Ética e Disciplina 

Evandro de Souza Lopes (SP) presidente,

Waldemar Nascimento de Oliveira (PA),

Samuel da Silva (RJ),

Edi Marcos Vinagre de Lima (SP),

José da Silva Neto (PI),

Oscar Domingos de Moura (ES),

Jorge Luiz Pereira de Souza (CE),

Wandercy da Silva Lourenço (RJ),

Edegar de Souza Machado (RS),

Sidraque Pinheiro da Silva (DF),

Otaviano Miguel da Silva (DF).

 

 

Conselho de Ação Social 

Região Sudeste

Alexandre Florêncio da Silva (SP) presidente,

José Felipe da Silva (SP),

Nahor Gonçalves de Oliveira (ES). 

 

Região Norte

Davi Rodrigues do Nascimento (RO),

Manoel Luiz Miranda (RO). 

 

Região Nordeste

Pedro Ribeiro Filho (CE),

Jairo Teixeira Rodrigues (AL). 

 

Região Centro-Oeste

Salatiel Ricardo da Silva (DF),

Silas Paulo de Souza (MT).

 

Região Sul

Nehemias da Silva (RS),

Ezequiel Machado (SC).  

 

 

Conselho de Comunicação e Imprensa  

Antônio Mesquita (RJ) presidente,

Levi Agnaldo dos Santos (SP),

Cilas Sepulcro (ES),

Jorge Daniel de Assis (ES),

Manoel Francisco de Freitas (RJ),

Jean Gerade Junior (MS),

Juvanir de Oliveira (MT),

Raimundo Feitosa (MT),

José Suilmar Caetano Ferreira (DF), 

Gessé Figueira (PR),

Jair M. Ibaldo (RS),

José Olmir (RS),

João Carlos Vieira Vilande (PR),

Silas Rosalino de Queiroz (RO),

José Antonio Francisco Campos (TO)

José Maria de Lima Segundo (AP),

Carlos Augusto M. Bahia (AP), 

Raimundo Nonato Saraiva (CE),

Messias de Castro e Silva (CE),

Jonas Gomes do Nascimento (MA),

Raimundo Alexandre de Paulo Pereira (—).  

 

 

Conselho de Capelania 

Região Sudeste

Agostinho Gomes da Silva Filho (SP) presidente,

Elias Cristo de Melo (SP),

Ezequiel Siqueira (RJ),

José Luiz Miguel (ES),

Antonio Gomes (ES),

Paulo Canelas de Moraes (RJ). 

 

Região Norte

Manelito Costa Carvalho (RO),

Eliezer Tenório Soares (AP),

Josias Pinheiro de Paula (AC),

João Silva (RR),

Carlos Natalino Brito de Andrade (PA),

José Carlos de Souza (TO). 

 

Região Nordeste

José Afonso Maia Uchoa (CE),

Roberto de Morais de Oliveira Filho (SE),

Arnóbio Tavares Lima (AL),

Ailton José Alves Filho (PE),

Álvaro Cavalcante (PB),

Irã Santana Mesquita (PI),

Moacir Luiz dos Santos (MA),

Abedenego Xavier dos Santos (RN),

Joezer Cruz Santana (BA).

 

Região Centro-Oeste

Victorio Galli Filho (MT),

Juliano Stephanini (MS),

Raimundo Nonato Souza dos Santos (DF),

Valcir F Camara Canto (DF). 

 

Região Sul

Alci Schneid (RS),

Linderson Marcos Romano (PR),

Carlos Mafra (SC). 

 

 

Conselho Político

Ronaldo Fonseca de Souza (DF) presidente,

Paulo Roberto Freire Costa (SP) vice-presidente,

Geremias dos Santos Couto (RJ) secretário,

Lelis Washington Marinhos (SP) relator. 

Membros

Amadeu Ferreira (AP),

Helder Cotta Paiva (AC),

Daniel Barbosa Lopes (RR),

Riter Jose Marques de Souza (PA),

Moacir Pereira Da Silva (TO),

Carlos Roberto dos Santos (RO),

Reginaldo de Almeida (ES),

Reginaldo Loureiro Pereira (ES),

Jurandir Loureiro (ES),

Delfino Brunelli Junior (SP),

Francisco Carlos Filho (RJ),

Elias José de Oliveira (RJ),

Almir Neres de Souza (ES),

José Fernandes de Oliveira (ES),

Bernardino Rodrigues da Silva (ES),

Jorge Jubileu (RJ), 

Roque Vilande (RS),

Cirso de Lima (SC),

Edilson Santos Siqueira (PR), 

Lídio Nogueira Lopes (MS),

José Auricélio Martins Rodrigues (DF),

João Coelho (GO),

Claudio Passos Neres (DF),

Geremias de Brito (MT), 

Gedeão Rosa dos Santos (PE),

Fernando Silva (PB),

José Eriovaldo de Farias (PB),

Antonio Jácome de Lima Junior (RN),

Florêncio Nunes Neto (CE),

Pedro Cavalcante Falcão (CE),

José Barbosa Limeira (AL),

Joel Teixeira de Souza (PE),

José Edilson da Costa (CE),

Marcos Vinicius Girão Borba (SE),

Raimundo Pereira de Andrade (PI). 
 

 

Conselho de Missões

Cesino Bernardino (SC) presidente, 
Pedro Inácio da Silva (DF),

Natanael do Gama (DF),

José Antonio da Silva Sobrinho (MT),

Orlando Lima Monteiro (MS),  

Jael Costa Mota (SE),

Severino Rodrigues da Silva (AL),

Elis Clementino da Silva (PE),

Ismael Felix Pereira (CE),

Gilberto dos Santos (RN),

José Expedito Dias Reis (PI),

Daniel Matos Chaves (MA),

Hugo Noival (BA),

José Rogerio de Maria (CE), 

Paulo Magalhães (SP),

Antonio Rosa (MG),

Salatiel Fidelis (MG),

Altair Silveira (ES),

Josemil Souza de Rosário (ES),

Manasses Lins de Brito (RJ),

Paulo Rogério (RJ),

Francisco José da Silva (RJ),

Edvaldo Florêncio da Silva (RJ), 

José Antonio Viana (RO),

Marcone Pereira Oliveira (RR),

Josias Dias Fonseca (AP),

Jonas Francisco da Costa (AC),

Jaime Pires (PA),

Marinaldo Soares Souza (TO), 

Gesse Luiz Rosa (PR),

Joel Correa (RS).

 

 

 

COMISSÕES

Comissão de Planos e Estratégia de

Evangelismo e Discipulado 

Raul Cavalcante Batista (MA) presidente;

José Rodrigues da Luz (PA),

José Valter da Rosa (RO),

Max Edson Monteiro Baia (AP),

Antonio da Silva Souza (RR),

Pedro Ferreira Filho (TO), 

Jailton Simões (BA),

Josué Bezerra de Medeiros (AL),

Jairo Kaillo de Souza da Silva (RN),

Jerinaldo Messias (SE),

Francisco Tercio de Vasconcelos (PE),

Daniel Nunes da Silva (PB),

Francisco Almir Nobre (CE),

Mateus Francisco Chagas Silva (PI),  

Josualdo Mendes Dresler (GO),

Tugval Gomes Farias (DF),

Moisés Maciel de Matos (MS)

Antonio Gladear (DF),

Walter dos Santos (MT), 

Paulo Silas Reis (SP),

Sizaque Valadares (SP),

Elinelson Cortes da Silva (RJ),

Elias Alzemann (RJ),

João Batista Reis (RJ),

Samuel Luciano (RJ),

Cyro Mello (RJ), 

Miguel José da Silva (PR),

Josias Cecílio (SC),

José Santos do Rosário (SC). 
 

 

Comissão de Apologética 

Esequias Soares da Silva (SP) presidente,

Antonio Silva (SP),

Paulo César Lima (RJ),

Severino Pedro da Silva (SP),

Ezequias Soares (ES),

Francisco Eurico (PE),

José Gonçalves da Costa Gomes (PI),

Sergio Jara (MS),

Misael Figueiredo da Silva (DF), 

Silvio Ferreira Pimenta (PR),

Domingos F. Lamberty (RS). 

 

 

Comissão Jurídica

Abiezer Apolinário (BA) presidente,

Severino Francisco da Silva Filho (PE),

Paulo Moraes (SP),

Nilson Alves Filho (RJ),

Artur Carlos Lessa (ES). 

 

 

Comissão de Temário

José do Prado Veiga (SP) presidente,

Ozias Luiz do Nascimento (CE),

Dari Ferreira da Silva (PB),

Alcidnei Teixeira (RJ),

Marcio Rogério de Paula Silva (RJ),

Waldemar P Paixão (RS),

Sergio Mafra (SC),

Leidir Aparecido de Souza Ribeiro (MT),

Sebastião Pereira do Carmo (DF),

Deusdete Septitio Ramos (PA),

Aerton Souza Dias (RR). 

 

 

Comissão de Relações Públicas

José Fernandes Filho (SP) presidente,

Rogério Luiz R. de Souza (AC),

Edson Barbosa de Oliveira (RR),

Orcélio Nauar de Araujo (PA),

Sebastião Fernandes de Lima (AC),

Eliezer Soares de Lima (AC), 

Jessé Gomes de Souza (ES),

Delfino Brunelli Junior (SP),

Carlos Levi Mendes Conde (ES),

Moisés dos Santos Andrade (ES),

Walter Avelino (ES),

Walter Ferreira Lemos (RJ),

Eleucyr Crispim Costa (RJ), 

Raimundo Lucio Vidal Filho (PB),

Jaime Alexandre dos Santos (PE),

José Francisco Ferreira (PE),

José Rodrigues Pereira (AL),

Antonio José Dias Ribeiro (MA),

Crispiniano Lopes da Silva (SE), 

Manoel Pereira Xavier (DF),

João Martins (MS),

Marcos Roberto (DF),

Daniel Castro (DF),

Daniel Dias de Oliveira (MT), 

José Polini (PR),

João da Paixão (RS),

José Ferreira (SC). 

 

SENAMI

Secretaria Nacional de Missões

Jonas Francisco de Paula (RJ),

Ezequiel de Matos (RJ),

Edegar dos Santos Amorim (RJ). 

 

 

EMAD

Escola de Missões

Elizeu Garcia Martins (SP) diretor-executivo,

Edivaldo Aparecido Bueno (SP) vice-diretor-executivo,

José Cláudio Munhoz (SP) diretor Administrativo Financeiro,

Esequias Soares da Silva (SP) diretor Acadêmico;

Francisco Sales Ferreira (SP) secretário-geral. 

 

Read Full Post »

 

Embora tivesse plena convicção quanto ao resultado da eleição, antes mesmo do pleito ocorrer, por alguns motivos não tive a ousadia de antecipar-me às eleições. No que diz respeito à crença e vida espiritual, queria que a plena vontade permissiva e diretiva do Senhor, ocorresse.

 

Quanto as minhas opiniões, elas foram assunto em minha casa, com a família, e com um ou dois amigos. Penso que era algo a não ser divulgado, falado, revelado, mas tão somente uma questão de pessoalidade. Estou publicando em função da proximidade entre meus cálculos (que deixei anotado em minha agenda), e o resultado. Penso que outras pessoas fizeram algo semelhante.

 

A lógica é simples: após ter acesso às inscrições por convenções regionais, publicadas em meu blog, fiz algumas contas e cheguei a um resultado surpreendente. Somei os números dos que apoiariam pastor José Wellington e dos que seriam pró-pastor Samuel Câmara. Incluí como pró-pastor Samuel votos/convenções que, a meu ver, figuravam como dúvidas quanto ao lado escolhido; e do total pró-pastor José Wellington extraí 20%.

 

Dos dois resultados finais pastor José Wellington permaneceu com exatamente

780 votos a mais.

O resultado oficial da eleição dera a ele

756 votos a mais.

 

Portas abertas

 

Dias antes da eleição, tive um sonho que mostrava pastor José Wellington dirigindo um veículo bem antigo, que seria parte do acervo dos pioneiros assembleianos – semelhante às peças que inserimos no Memorial da CPAD.

 

Ele subia uma rua pouco íngreme e parou pouco antes do local onde deveria entrar, para conversar com um irmão. Eu estava postado à porta do local. Era um casario com portas grandes, altas e de duas folhas. Havia uma rampa que dava acesso à porta, pois a casa ficava cerca de metro acima do nível da rua. Ele alinhou o veículo à frente da casa, para ganhar impulso e subir a rampa, avançou e entrou.

 

Notícia antecipada

 

Por minha convicção (também algo pessoal), no dia 22, à noite, compus o texto que seria a notícia do resultado da eleição do dia posterior (23), para posta-lo em meu blog, assim que a informação fosse confirmada, conforme segue:

 

Pastor Wellington vence as eleições da CGADB mais uma vez

 

Mais uma vez pastor José Wellington Bezerra da Costa venceu as eleições durante a realização da 39ª. Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB), realizada em Carapina, Serra (ES). Com número recorde de participantes (16,6 mil ministros inscritos), a Convenção foi exaustivamente disputada. (…).

 

A disputa exigiu uma estrutura gigantesca e profissionalização do sistema de captação dos votos. A CGADB contou com a participação e orientação do TRE do Espírito Santo e a votação foi realizada em urnas eletrônicas. Pastor José Wellington deve permanecer na presidência até abril de 2013, quando terá nova eleição. Em 2011 as Assembléias de Deus no Brasil completam 100 anos.

Read Full Post »

 

 

Pastor José Wellington recebe o colega e presidente da Conamad, pastor Manoel Ferreira

Pastor José Wellington recebe o colega e presidente da Conamad, pastor Manoel Ferreira

 

 

Durante a posse da nova mesa diretora da CGADB, no dia 24, pastor Manoel Ferreira, esteve presente para cumprimentar pastor José Wellington, presidente reeleito da Convenção Geral. Pastor Manoel Ferreira, também deputado federal, esteve acompanhado de seus filhos, pastores Samuel Ferreira, pastor da Assembléia de Deus no Brás, na capital paulista e pastor Abner Ferreira, líder da AD em Madureira, Grande Rio.

 

Ao receber o colega e dar-lhe a oportunidade para falar aos presentes, pastor José Wellington brincou:

– Não sei se o chamo de pastor, bispo, apóstolo ou deputado federal…

 

O líder da co-irmã, que esteve ligada à Convenção Geral até o ano de 1988, quando houve a ruptura, surgindo então a Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil – Ministério Madureira, leu um versículo bíblico, saudou a todos e parabenizou a nova mesa diretora eleita, em especial a seu colega de ministério, pastor José Wellington.

Read Full Post »

Eleição da Convenção Geral foi inédita

 

Além de inédita por suas peculiaridades, todas as urnas da eleição da nova mesa diretora e do Conselho Fiscal CGADB, funcionaram com perfeição. Segundo o técnico da TRE-ES, Alfredo Andrade, chefe da Seção de Voto Informatizado, das 180 somente uma urna teve de ser substituída, mas por causa de carga de bateria. O problema foi detectado em função de corte do fornecimento de energia elétrica. A substituição não alterou o processo e a votação permaneceu inalterada.

 

Inscritos e aptos

 

Dos 17.218 inscritos, incluindo 373 ministros da Ciadseta, que conseguiram votar por meio de liminar da Justiça, 4.339 não votaram.

 

No dia anterior, 11.386 já haviam sido credenciados e receberam pastas. No dia 23 – da votação – foram 12.879.

 

Apuração

 

Havia muita tensão entre os presentes que acompanhavam a apuração. Ainda no início, algumas vezes pastor Samuel chegara a ter vantagem de até 200 votos. Mas não demorou muito para que pastor José Wellington tomasse a dianteira e não mais perder.

 

Pastor Oscar Moura também passara à frente de pastor Silas Malafaia, assim como ocorrera com outros cargos. No final a vantagem foi aparecendo. A média de diferença oscilou entre 1.000 e 700 votos para a maioria dos cargos disputados.

 

Além de toda a assistência e acompanhamento do TRE, as pessoas da mesa de apuração possuíam condições ideais para a função. Dentre elas estavam juízes de Direito e promotores de Justiça. Pastor Wagner Gaby, ao lado de seus pares da Comissão Eleitoral, mais uma vez, conduziu o pleito com denodo.

 

Filas só pela manhã

 

Somente pela insistência de alguns obreiros, que gostam de votar pela manhã, registrou-se um pequeno transtorno em função de aglomeração em um único horário. No entanto, logo após o almoço, já não mais havia filas.

 

Um dos locais de votação ainda com fila

Um dos locais de votação ainda com fila

 

Quando votei, por exemplo, por volta das 14h, assim que almocei, fui para a minha seção e deparei-me com somente uma pessoa a minha frente. As demais seções apresentavam a mesma situação.

 

Convencionais votaram em duas urnas

Convencionais votaram em duas urnas

 

Apuração

 

A apuração, iniciada por volta das 19h foi concluída uma hora depois. Todos os cargos tiveram apuração simultânea e mostrada em telões. Um telão mostrava o resultado na sala de apurações e outro, preenchia a ansiedade dos que ficaram do lado de fora.

 

Estrutura

 

Toda a estrutura montada no local atendeu perfeitamente os ministros. Para isso, o Pavilhão de Exposições de Carapina, em Serra, Grande Vitória, onde ocorreu o evento, recebeu adaptações, para dar o suporte necessário.

 

Na área de inscrições, por exemplo, foram instalados nada menos que 100 guichês, todos com atendimento.

 

Os 100 guichês lançam para a idéia da grandeza e do ineditismo do evento.

Os 100 guichês lançam para a idéia da grandeza e do ineditismo do evento.

 

Havia instalação para Achados e Perdidos, Centro de Atendimento ao Ministro (CAM), que registrou demanda acima do esperado, além de outros pontos de apoio.

 

Todos os espaços construídos receberam adaptações para a realização da CGADB

Todos os espaços construídos receberam adaptações para a realização da CGADB

Do lado de fora, dezenas de barracas e quiosques ofereciam desde pastel a livros e Bíblias. Do lado de dentro somente havia restaurantes oficiais. O local das refeições também era gigantesco.

 

O lado de fora do pavilhão de Carapina ficou colorido com dezenas de barracas e quiosques

O lado de fora do pavilhão de Carapina ficou colorido com dezenas de barracas e quiosques

 

Credenciamento da mídia

 

Quase uma centena de profissionais da mídia foi credenciada. Dentre todos estavam fotógrafos, jornalistas, radialistas, blogueiros e repórteres webs. Todos tiveram acesso à gravação, com exceção de gravação contínua das plenárias.

 

Sala do Conselho de Comunicação e Imprensa da CGADB

Sala do Conselho de Comunicação e Imprensa da CGADB

 

A RBN teve ainda autorização do Conselho de Comunicação da CGADB para instalar um veículo link no centro do local, para transmissões ao vivo. Foi o maior número de profissionais credenciados pelo Conselho.

 

Veículo do link da Rede Boas Novas

Veículo do link da Rede Boas Novas

 

 

Read Full Post »

Dos 17.218 inscritos e aptos para votar (incluindo 373 da Convenção Ciadseta, que foram incluídos por liminar, no dia 22, à noite), 4.339 não votaram. Além de a eleição constituir-se em um fato inédito, por sua grandeza e uso de urnas eletrônicas, não houve nenhum problema quanto ao uso das urnas. Segundo Alfredo Andrade, chefe da Seção de Voto Informatizado do TRE-ES, somente uma urna apresentou problema. Em função da falta de energia, registrou-se deu problema na bateria da urna. Porém, não influenciou em nada o andamento do sistema.

 

O resultado dos votos foram os seguintes:

 

Presidente

Pastor José Wellington Bezerra da Costa, 6.719 votos;

Pastor Samuel Câmara, 5.963.

 

Vices

1º vice – Silas Malafaia (RJ), 5.843;

Oscar Domingos Moura, 5.539;

Temóteo Ramos de Oliveira, 825.

 

2º vice – Ubiratan Batista Job (RS), 6.056;

Ival Teodoro, 5.643.

 

3º vice – Sebastião Rodrigues de Souza (MT), 6.212;

Sóstenes Apolo, 5.529.

 

4º vice – Gilberto Marques de Souza (PA), 6.263;

Pedro Lima, 5.594.

 

5º vice – José Neco dos Santos (AL), 6.315;

José Coutinho Guimarães, 5.420.

 

Secretários

1º secretário – Isaías Coimbra (RJ), 6.442;

Moisés Silvestre, 5.691.

 

2º secretário – Arcelino Brito de Melo (SC), 6.391;

Nilton dos Santos, 5.668.

 

3º secretário – Antonio Dionízio da Silva (MS), 6.502;

Domingos Junior, 5.525.

 

4º secretário – Isamar Ramalho (RR), 6.373;

Sebastião Fernandes, 5.590.

 

5º secretário – Roberto José dos Santos (PE), 6.313;

Valdomiro Pereira, 5.622.

 

Tesoureiros

1º tesoureiro – Antônio Silva Santana (SP), 6.026;

Jonas Francisco de Paula, 5.434.

 

2º tesoureiro – Josias de Almeida Silva (SP), 6.027;

Ivan Pereira Bastos, 5.629.

 

Conselho Fiscal

Joel Holder (RO), 6.410;

Israel Alves Ferreira, 6.341;

Perci Fontoura, 6.338;

Rinaldo Alves dos Santos, 6.337;

João Carlos Padilha de Siqueira, 5.914 (eleitos).

 

Samuel Lima dos Santos, 5.559;

Antônio José Azevedo Pereira, 5.467;

Jesus Vieira Vilandi, 5.402;

Moisés de Melo, 5.379;

Álvaro Além Santos, 5.220;

Samuel Rodrigues, 376;

Admar Vargas de Oliveira, 282.

Read Full Post »

Mais uma vez pastor José Wellington Bezerra da Costa venceu as eleições durante a realização da 39ª. Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB), realizada em Carapina, Serra (ES). Com número recorde de participantes (16,6 mil ministros inscritos), a Convenção foi exaustivamente disputada. O candidato da outra chapa, pastor Samuel Câmara, realizou uma campanha invejável em termos de investimento financeiro e secularização.

 

A disputa exigiu uma estrutura gigantesca e profissionalização do sistema de captação dos votos. A CGADB contou com a participação e orientação do TRE do Espírito Santo e a votação foi realizada em urnas eletrônicas. Pastor José Wellington deve permanecer na presidência até abril de 2013, quando terá nova eleição. Em 2011 as Assembléias de Deus no Brasil completam 100 anos.

Read Full Post »

APURAÇÃO ONLINE: 

Pastor Samuel Câmara (11): 5.476 – 45,85 

 

Pastor José Wellington (12): 6.466 – 54,15

 

Total de votos apurados: 94,36% (85 urnas)

 

Membros da Mesa: 

Os candidatos da chapa CGADB é Você (Pastor José Wellington) estão praticamente eleitos, com excessão do 1º vice-presidente e 1º tesoureiro.

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »