Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘morte de pastor’

Empresário bem-sucedido na vida secular, pastor João Carlos Padilha de Siqueira, saudosa memória, fora convocado para a obra do Senhor e deixou tudo para servi-lo. Embora todos os filhos de pastor Carlos Padilha tenham espaço ministerial, João Carlos fora escolhido para suceder o pai, justamente por sua postura, com perfil de bom administrador e homem de decisões rápidas.

Casou-se novo e tomou o rumo empresarial, no que foi bem sucedido, mas acabou abandonando o mercado de gado, para trabalhar com ‘ovelhas’, do Reino de Deus.

Amigos que o acompanharam, disseram que tudo acontecia de forma rápida na vida desse homem. E ele mesmo reconhecia isso.

Seu ministério fora dividido em três etapas distintas, com pouca variação:

1) 7 anos em Pontal de Paranapanema;

2) 7 anos em Piedade;

3) 7 anos em Presidente Prudente (6,5 anos).

Apesar do apoio de seu pai, homem reconhecido e respeitado por sua postura e histórico ministerial, Carlos Padilha tinha vida própria. Um câncer terminou com sua existência humana, mas não tirou-lhe a promessa Eterna e suas marcas como ministro do Senhor.

Presença Celestial

No final, a família esteve reunida em vigília, para buscar resposta do Senhor por meio de um milagre. Todos se reuniram em seu quarto, onde oraram e cantaram ao Senhor, enquanto João Carlos somente mexia com as mãos, como se estivesse regendo, pois já não mais falava.

Um dos irmãos fez uma consagração de alguns dias ao Senhor, quando João Carlos disse-lhe:

– Já estou pronto!

Seu médico também teria falado com alguém da igreja, reconhecendo, de forma indireta, o poder da oração, como prolongamento de sua existência, e pediu para que a família parasse de orar.

O mesmo irmão que apresentou consagração ao Senhor, chegou a pensar, durante oração, em seu quarto:

– Desça Senhor neste lugar…

no que pastor João Carlos apontou e fez sinal, movendo as mãos, querendo indicar, segundo o irmão, a presença de anjos. No dia anterior, ele também chegou a arregalar os olhos e apontar!

Substituto

Após a morte do filho, pastor Carlos Padilha fora empossado e recebido em pé por toda a igreja. A região eclesiástica de Presidente Prudente chegou a ser cobiçada e até cogitou-se a posse e mudança de liderança, mas pastor Padilha, homem sério e de prestígio, antecipou-se a fatos e possíveis dissabores, ao reassumir a liderança. Sua decisão foi acatada e aplaudida por toda a igreja.

Read Full Post »

 

 

Pastor Bastos, em pé e ao lado de seus companheiros, pastores Pedrinho e Deusdeth

Pastor Bastos, como era conhecido, partiu para a Eternidade no dia 2, com 89 anos de idade. Ele assumiu a igreja em Fortaleza, em 1960, depois de passar por igrejas no interior do Ceará. Permaneceu como líder do Estado, no Ministério Templo-Central, quase toda a sua vida.

Era um homem simples, notadamente piedoso e de muita experiência com o Senhor. Sua trajetória ministerial teve sinais marcantes da presença divina, enquanto sua conversão carregou o principal ícone dos cristãos, justamente o conhecimento pela (leitura) da Palavra.

Sobre sua possível jubilação, pastor Bastos dizia que o servo do Senhor Jesus deve continuar enquanto tem forças. Não tenho pensamento de me jubilar agora. Acredito que o obreiro do Senhor só se aposenta quando chega ao Céu. Enquanto isso, contava com dois braços amigos dos respeitados companheiros pastores Pedrinho e Deusdeth.

Conversão após ler a Bíblia toda

A leitura da Bíblia toda foi o caminho para a conversão do pastor Sebastião Mendes Pereira, antes mesmo de assistir a um culto evangélico. A mensagem do primeiro culto foi pregada pelo saudoso missionário e escritor Orlando Boyer, no dia 10 de abril de 1938, no templo-central da Assembléia de Deus em Fortaleza, à Rua Tereza Cristina, 673. Ele pregou sobre o Salmo primeiro. O culto foi dirigido pelo pastor José Teixeira Rego que fez o apelo.

Natural de Fortaleza, Sebastião Mendes Pereira, o pastor Bastos, muitas vezes foi chamado de bode, forma agressiva que o catolicismo romano usava para atacar os cristãos no Nordeste. Noutras vezes, o padre da cidade postava em frente da igreja, com católicos romanos fazendo barulho, para atrapalhar a realização do culto ao Senhor.

Início no Ministério

Após sua conversão começou a trabalhar na obra do Senhor Jesus, foi batizado nas águas no dia 31 de julho de 1938, e no Espírito Santo no dia 29 de julho de 1939. Depois disso o Senhor o chamou para a sua obra. Comecei a cooperar ativamente como professor da Escola Dominical, em 1939, e, em 1941, no mês de janeiro, já com 19 anos.

Como dirigente de congregação atuava em um dos principais bairros de Fortaleza, chamado Mucoripe, onde dirigi por nove anos. Trabalhou com pastor José Teixeira, que fora pastor em Petrópolis (RJ) depois retornou para Fortaleza. E a convite do missionário sueco Nels Julius Nelson, que chegou ao Brasil no dia 21 de março de 1921, em Belém do Pará, assumiu a igreja em Fortaleza no dia 1º de maio de 1932.

Carreira ministerial

Depois de dirigir uma congregação, em Fortaleza, por 9 anos, em 1º de dezembro de 1951, a convite do pastor José Teixeira Rego, assumiu o pastorado da igreja em Betânia. Em 6 de setembro de 1953, fui solenemente ordenado pastor pelo missionário Nels Nelson e José Teixeira. Depois de 9 anos, com a morte do pastor José Teixeira, em 5 de dezembro de 1960, missionário Nels Nelson, que era o presidente de honra e o ministério local, o convidaram para cooperar como pastor na igreja de Fortaleza.

Cooperou um ano com pastor Armando Chaves Cohen, gerente da CPAD, em 1961; trabalhou com pastor Emiliano Ferreira como co-pastor e vice-presidente até 1º de maio de 1985. Neste dia, pastor Emiliano foi chamado ao descanso Eterno, quando então pastor Bastos assumiu o pastorado da igreja e a liderança da Convenção dos Ministros da Assembléia de Deus no Ceará, em 3 de maio de 1985.

Sua maior bênção, dizia ter sido a salvação, o batismo no Espírito Santo e a chamada para a obra de Deus. A maior alegria do obreiro é saber que ele está dentro do plano e da vontade de Deus. Mesmo novo, quando iniciou, cresceu porque, dizia, “Deus ajudou e me dava graça e sabedoria. Não tinha grandes problemas. Deus nos abençoava. Sempre tive o espírito de servir, amar e cooperar e evangelizar”.

Início da AD no Ceará

Contava pastor Bastos que a igreja no Ceará nasceu uma igreja avivada em 7 de setembro 1929, em Fortaleza com o pastor cearense Antônio Rego Barros. Porém, seu real início ocorrera em 20 de julho de 1914, num lugar chamado São Francisco de Uruburatama, hoje Itapagé, pela segunda crente batizada no Espírito Santo no Brasil chamada Maria de Nazaré. Ela foi a Fortaleza testificar para os seus parentes em 1914, mas sua família não a recebeu. Ela se transferiu para presbiterianos independentes, que aceitaram a mensagem pentecostal.

Em julho de 1914, Adriano de Almeida Nobre, a mando da igreja AD em Belém foi ao Ceará e fundou a igreja em São Francisco de Uruburatama. Quando ele chegou houve muitas conversões e Jesus batizou cerca de 200 crentes no Espírito Santo. Morreu e foi sepultado no cemitério do Caju, no Rio de Janeiro, em 1939. Depois de 1914, a igreja espalhou-se pelas regiões litorâneas norte do Estado e muitas foram criadas e organizadas até que chegou a vez de Fortaleza.

Read Full Post »