Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘chuvas no rio’

A rede de faculdades Anhanguera de São Paulo prometeu envolver-se na campanha de arrecadação de fundos para ajuda a desabrigados em Niterói. Na semana passada, estivemos com Ana Teresa Traballi, supervisora da Anhanguera em Indaiatuba-SP. A intermediação ocorreu por meio da igreja AD na cidade, liderada pelo pastor Raimundo Soares de Lima. A igreja é proprietária do prédio onde funciona a escola e parceira da Anhanguera. A faculdade deverá realizar campanha envolvendo todos os alunos da rede, presente em várias cidades de São Paulo.

 

Faculdade Anhanguera em Indaiatuba – área e prédios pertencentes à AD local, liderada pelo pastor Raimundo Soares de Lima

O Comitê Emergencial, criado no último dia 11, na AD em Fonseca, liderada pelo pastor Celso Brasil, já realizou outros contatos em busca de parceiros. O projeto do Comitê visa construir residências a desabrigados da tragédia em Fonseca, Niterói (RJ). A ong Patriarca Assistência Social (PAS), que já presta atendimento a centenas de crianças, oferece sua área no Morro do Castro, em São Gonçalo, para a construção de apartamentos ou casas.

O primeiro passo será a viabilidade do local, por meio de projetos patrocinados pela Prefeitura de São Gonçalo, com documentação, urbanização e projetos de construção. Para isso o vereador Josias Muniz já marcou visita ao local com os secretários de Obra e de Habitação, nesta quarta-feira.

Também estamos em contato com pastor Silas Malafaia para a viabilização de campanha em seu programa.

Tentaremos ainda contato com o presidente da CGADB, pastor José Wellington, para saber do interesse da Convenção Geral em participar do projeto. Seria um bom momento de a Assembleia de Deus mostrar a sua ação e envolver-se no projeto de auxílio humanitário, com vistas ao mandamento do Senhor de amor ao próximo.

Irmãos necessitados

Para saber do número de necessitados, em especial membros da igreja desabrigados, o Comitê vai acessar o cadastro mantido pela PAS. A partir de então, começaremos a planejar o número de moradias, simultaneamente ao trabalho de levantamento quanto ao número possível, de acordo com a dimensão da área oferecida pela igreja. 

 

 

Muitos irmãos, como o presbítero Rogério da Hora, perderam a esperança de voltar as suas casas em função dos riscos, além de terem perdido familiares. Irmão Rogério perdeu e esposa, irmã Vanda, que morreu na casa, que ele supervisiona, em nossa companhia

Casas pré-fabricadas

Antes de optar pelo tipo de construção, o contato com vereador Josias Muniz, secretário da PM em São Gonçalo, deverá ser efetivado para a legalização e viabilidade de construção na área oferecida pela igreja/PAS, além da apresentação de projetos de urbanização e construção.

Após, caso a construção de casas seja viável (considerando valores e espaço físico do local), o projeto usado em Santa Catarina, na igreja liderada pelo pastor Nilton Santos, deverá ser escolhido por sua praticidade, rapidez e valores.

Participação/igrejas

As igrejas poderão participar do projeto por meio de cotas, com valores que vão desde uma unidade a partes da mesma.

Recibo de doação

O recibo de doação poderá ser fornecido pela entidade (PAS), com respectivo CNPJ e todos os participantes receberão Certificado de Participação e convite para a entrega.

Cronograma de construção

Primeira fase será a de preparo de documentação e projeto. Embora contarmos com a participação da Prefeitura de São Gonçalo, temos a previsão de iniciar o projeto em maio/2010, pois dependemos de todo o trâmite legal por parte da Prefeitura.

A segunda fase, em seguida, será de urbanização da área, para depois, começar a construção. Caso seja a opção por casas pré-moldadas, o que dependerá da disposição da área – dimensões, topografia etc – a construção será rápida e de baixo custo, considerando outras opções.

Cotização

A cotização seria dividida em: Área – Doada pela Patriarca Assistência Social (PAS); projeto e urbanização, pela Prefeitura de São Gonçalo; e construção, matéria-prima, mão de obra e mobílias, seriam viabilizadas por meio de doações.

Conta bancária

Para doações em dinheiro:

Bradesco, agência 2809-6, conta poupança 1.003.060-9

Nome: Patriarca Assistência Social (PAS)

CNPJ 03.818.766/0001-76

Endereço

Rua Teixeira de Freitas, 418, Fonseca, Niterói (ponto final da linha 23 de ônibus coletivo Ingá)

www.patriarca.org.br, email: contato@patriarca.org.br

Fones 21-2625.2421 e 8899.0694 – Diretor-executico: Ezequiel Braça

Anúncios

Read Full Post »

Passamos cerca de 40 minutos antes no local aonde o morro veio abaixo. O caminho aos ‘sitios’ Monte das Oliveiras e Manancial, pela Rodovia Amaral Peixoto, próximo do início da Alameda, no Caramujo, estava impedido. O Morro do Bumba está a 50m da congregação do Viçoso Jardim. Ao menos seis irmãos estão desaparecidos. Algumas pessoas choram em frente ao templo, já aberto, para receber desabrigados. O dirigente Lenínvson Generoso acompanha tudo de perto.

As áreas do Projeto Crescer, do Patriarca Assistência Social (PAS), mantido pela nossa igreja, a AD em Fonseca, Niterói, estão lotadas. De todos, pudemos perceber que os pastores Ezequiel Braça, diretor-executivo do Projeto e o 2º vice-presidente da igreja Lourival Guarani, estavam visivelmente abatidos. Eles trabalharam desde a madrugada de terça. Pastor Ezequiel esteve com uma criança em seu colo, correndo pelas ruas em busca de socorro. “Ela morreu em meus braços”, disse quase chorando. Pastor Lourival tentou retirar irmã Wanda da Hora, morta prensada por uma geladeira, lama, pedaços de uma parede, que se rompeu com a força e peso da lama, e pedras que atingiram sua cabeça.

No primeiro momento, seu marido e presbítero Rogério e os filhos Rodrigo e Rafael, tentavam tirá-la, enquanto conversavam com ela. Em seguida, a parede se rompeu pelo ímpeto de um aluvião de lama e acabou matando-a. Rafael saiu ‘nadando’ na lama por um buraco na parede do lado da rua. Depois só restaram algumas casas penduradas no morro, ainda ameaçadas.

Morro desaba

Enquanto estávamos no Projeto Crescer recebemos a notícia da queda do Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, no Cubango, divisa com o bairro Fonseca, a cerca de 500m da Alameda, lado direito, no sentido Rio-Niterói. Cerca de 40 casas desmoronaram e cobriram em torno de 100 pessoas. Vinte foram resgatadas, dentre mulheres e crianças, além de dois corpos (até 1h). O secretário de Estado de Segurança, José Mariano Beltrame e dezenas de viaturas do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estavam no local. Por outro lado, por falta de isolamento, o número de veículos e de curiosos, aglomerados nas proximidades, confundiam o trabalho.

Em quase todos os cantos de Niterói podia se ver toneladas de terra à beira de morros e barrancos pelas estradas. Na Rodovia Amaral Peixoto inúmeras ‘armadilhas’ de terra e árvores cobriam parte da pista, sem sinalização. A ladeira do final da Rua Teixeira de Freitas, ao lado do Sítio das Oliveiras, estava totalmente coberta por terra, árvores e touceiras de capim, arrastadas pela chuva.

Ainda existem muitas pessoas soterradas e que não estão sendo procuradas. Em um dos locais, na divisa do município de São Gonçalo, três morros desabaram em um único ponto, soterrando 12 pessoas. Os corpos estão sob muitos metros de terra e não há atendimento no local. Familiares posam nas proximidades e choram os seus mortos, enquanto aguardam resgate.

Atendidos pelo Projeto Crescer

A igreja abriga no Sítio das Oliveiras 46 adultos, 13 crianças, 1 idoso e 1 portador de necessidade especial; no Sítio Manancial, são 70 adultos, 30 crianças e 3 idosos. Ao menos 50% dos desabrigados não são membros da igreja. A igreja no Viçoso começou ontem à noite a receber desabrigados do Morro do Bumba.

Todos recebem alimentação – o Projeto tem Cozinha Industrial, recém construída –, cobertores, colchões e roupas doadas por membros da igreja e comunidade. O trabalho é feito de forma fraterna com membros da comunidade. Um colégio ao lado do Projeto está com 96 pessoas. Dentre os abrigados, muitos perderam tudo: casa, utensílios, documentos, roupas…, outros estão com suas casas em risco de desabamento.

Hugo e João Gabriel, de 8 e 9 anos, atendidos pelo Projeto, mais um irmãozinho, morreram soterrados no Monte da Oliveiras, próximo ao Projeto. Na segunda-feira, os dois ficaram até mais tarde no Projeto por que aguardavam um padrinho, que levou chocolate aos dois irmãos. “Eles saíram felizes”, disse pastor Ezequiel, visivelmente chocado.

Read Full Post »