Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Carlos Gomes’

Crianças assistidas pela AD em Joanesburgo, África do Sul (missionário Ismael de Jesus), foto-ilustração, de meu arquivo

A mais recente viagem missionária feita pelo pastor Paulo Mesquita, secretário-executivo de Missões da Assembleia de Deus em Alagoas (Semadeal), durou 12 dias e serviu para constatar o quanto a Europa e a África estão carentes de obreiros para a evangelização e desafios ainda maiores. Dois deles são a quebra de paradigmas – como o ceticismo regado pelo materialismo – e a necessidade de investimentos financeiros para que novos templos sejam construídos.

 

Pastores Mesquita e Carlos Gomes (foto), líder da Assembleia de Deus em Penedo, na região do Baixo São Francisco, estiveram na ilha de São Tomé, no continente africano, onde participaram, como convidados, da 1ª Escola Bíblica de Obreiros. Depois do evento, embarcaram, por conta própria, para a Suíça e visitaram os obreiros assembleianos que lideram regiões eclesiásticas em Zurique e Genebra.

Os dois partiram no dia 22 (jun), com a intenção de chegar a São Tomé e Príncipe onde seriam recebidos pelo pastor Jacinto Reis dos Santos, líder da Assembleia de Deus Missionária. Entretanto, como não tinham alternativa de voo, ficaram em Portugal e partiram na noite do dia seguinte.

Na manhã do dia 24, já estavam na ilha e aproveitaram para descansar e preparar o material que ministrariam durante a Escola de Obreiros. “Ministrei sobre Homilética, O Líder e a Visão de Futuro, além do Caráter do Obreiro na Liderança. O curso aconteceu durante dois dias, em tempo integral, e teve a participação de mais de trinta obreiros da igreja, entre diáconos, presbíteros, evangelistas e pastores, com suas respectivas esposas. Deus abençoou bastante a atividade”, informou pastor Mesquita.

A programação da Escola Bíblica incluiu ainda cultos à noite. O encerramento aconteceu no dia 28, exatamente no culto de instrução à Igreja. O secretário-executivo de Missões foi o responsável pela ministração da Palavra de Deus. “Falei com base em Romanos 1.16”, contou o obreiro.

No dia 30, os alagoanos visitaram as congregações nas cidades de Guadalupe, localizada no Distrito de Lobata, a 15km de São Tomé, e de Neves, no Distrito de Lembá, distante 27km da capital. O templo na cidade de Guadalupe tem estrutura singela, pois é feito de madeira. O de Neves é de alvenaria e tem 150 congregados, aproximadamente. Já na capital São Tomé, a igreja tem capacidade para 400 pessoas sentadas.

A Assembleia de Deus Missionária em São Tomé foi fundada em 1998, após visita de jovens obreiros brasileiros. A Convenção de Alagoas, já comandada pelo pastor José “Neco” Antonio dos Santos, enviou tempos depois, pastor Pedro Tavares Cavalcante, sua esposa, irmã Noemi e a filha do casal, Elisiã, para liderar a congregação. Com a transferência dos missionários para outra nação, o trabalho seguiu firme, mas com a liderança dos próprios habitantes da ilha.

“Na conversa que tive com os obreiros e, principalmente, com pastor Jacinto Reis dos Santos, eles destacaram o quanto são gratos ao ministério assembleiano de Alagoas, sobretudo aos pastores José Neco e Pedro Tavares. Os irmãos dizem que o nosso Estado teve grande visão missionária para expandir o Evangelho a um local tão carente como é São Tomé”, relatou pastor Paulo Mesquita.

O secretário de Missões destacou ainda que a maior necessidade da Igreja na África é a falta de templos e de obreiros para tocar a obra.

Estratégia para ganhar europeus

No dia 1º, os dois obreiros alagoanos partiram para Portugal, depois de uma despedida calorosa em São Tomé. Pastor Carlos Gomes ministrou durante o culto.

Na Europa, mesmo com as facilidades e qualidade de vida, a dificuldade da Igreja é semelhante à África. A estratégia para se ganhar os europeus para Jesus deve ser diferente, segundo pastor Paulo Mesquita, em decorrência ao comportamento fechado da população.

“Na África você pode pregar o Evangelho tranquilamente, assim como no Brasil, mas na Suíça é necessário autorização do Poder Público. Além disso, há necessidade gritante de missionários capacitados para combater o ceticismo, acompanhado do materialismo. O povo é muito fechado, introspectivo e vai exigir atitudes mais abertas dos obreiros. Lá, percebi que os pastores abraçam o tempo todo as pessoas, carentes destes afetos”, descreveu o secretário de Missões.

Em Genebra, os alagoanos visitaram a Assembleia de Deus liderada pelo pastor conterrâneo Carlos Henrique. Um grupo de 50 irmãos adora ao Senhor no templo. Na capital suíça, os obreiros também visitaram pontos turísticos e com destaque à catedral e museu de João Calvino, localizada no centro da cidade. Vale ressaltar que se deu em Genebra o início das discussões que fundamentaram as teses teológicas do Calvinismo, movimento revolucionário protestante.

No dia 3 de julho, os pastores estiveram em Zurique, onde participaram do culto liderado pelo pastor Robson Souza, natural de Pernambuco. Cerca de 100 pessoas estiveram presentes, sob a forte influência do movimento pentecostal no Nordeste, conforme relatou pastor Mesquita. No dia seguinte, os dois retornaram ao Brasil, novamente via Portugal.

Créditos e Fontes: Portal AD Alagoas

Thiago Gomes, novasdeesperanca@gmail.com

Anúncios

Read Full Post »