Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cancelamento’

CGADB - Res SC e WJr

A eleição da CGADB ainda não acabou.  De fato e de direito nem começou, pois estava e permanece sob sentença judicial (sub judice).

Temos um resultado à margem da legalidade e, portanto, da Lei, sem efeito prático ou legal. A liminar que estabeceu o cancelamento da eleição permanece em pleno vigor.

Quando ela for julgada, creio que no bojo da própria ação – o seu núcleo agora é recorrente (o fato dizia respeito à eleição do dia 9) -, entendo que não terá em suas peças a eleição em si, que legal e juridicamente inexiste. Como se diz no meio, ‘O que não está nos autos, não está no mundo’.

Por outro lado, existiu deliberadas desobediências e obstruções à Justiça, agravadas pela execução da eleição:

1) As inscrições fraudulentas foram reinseridas e validadas;
2) O interventor nomeado pela Justiça foi impedido de acesso;
3) A eleição foi mantida, mesmo após cancelamento;
4) Os IPs reduzidos a 5, foram abertos, quase que pontualmente a 1.000! (?);

O segundo fato enumerado acima ocasionou o registro de Boletim de Ocorrência, e ciência ao juiz competente.

Enfim houve má fé e busca unilateral, à revelia, e peitou-se de forma notória a Justiça, como se estivessem acima de tudo e de todos.

PROBABILIDADES

1) A eleição deverá ser considerada nula, e outra convocada pela Justiça, com o devido interventor;

2) A participação de Wellington Júnior, que está sub judice, poderá ser questionada, pois é parte diretamente interessada tanto pessoalmente quanto da CGADB, e sua participação na questão da desobediência é óbvia;

3) Caso Wellington Júnior participe dessa possível eleição, a ser convocada pela Justiça, teríamos o seguinte quadro:
A) Cerca de 21 mil votos válidos, desta vez sem os 10.479 inaptos.
B) Caso todos votem (e não somente 74% como ocorreu), Wellington Júnior ganharia, pois Samuel Câmara teve 8 mil, menos da metade;
C) Mas, mantendo-se os mesmos percentuais ou a proximidade deles, chegando a cerca de 15 mil votos computados, Samuel Câmara venceria com seus 8.141, contra 7.455 de Wellington Júnior.

CANDIDATO PATROCINADO

Nota-se ainda que o patrocínio da CGADB à causa de Wellington Júnior, em meu ponto de vista é ilegal, pois ele não é e nem representa a mesma. Portanto, deveria responsabilizar-se por seus atos e não estar sob a tutela da instituição.

SECULARIZAÇÃO

Mesmo se desconsiderarmos o candidato concorrente direto, não há como, de boa fé e consciência limpa, sem considerar a ética e equidade cristãs, aceitar tal postura incongruente.

Por outro lado, embora fosse desnecessário evocar a dualidade entre o profano e o sagrado, e mostrar-se piegas, fica evidente esse clamor.

NADA DE FÉ, NADA DE GRAÇA…

Não há de se dizer em cristianismo, Biblia,  Fé, Oração etc, o que seria blasfêmia, se nem ao menos nos preocupamos em postarmos acima do terrenal, temporal, e nos revestirmos do celestial!

Não existe Céu Infernal nem tampouco Inferno Celestial; pé em duas canoas; o tão criticado por nós e famigerado Relativismo, e ainda a Contextualização, apetrechos da Teologia Liberal. Temos de seguir ao menos a Teleologia!

Todo esse interesse demonstrado nada tem que ver com a Igreja, edificação do Corpo de Cristo, mas com coisas fisicas, humanas, temporais e poder de barganha, a retratar o abismo que separa o Rico e o Lázaro!

OUTRA POSSIBILIDADE

Por fim, cito o desabafo de um colega: ‘Espera-se um advogado veementemente crédulo no Direito, mas, cá neste país, cuja prática do ‘jeitinho’ é brasileiro, e a corrupção legitimada no profano e no ‘sagrado’, titubear ou coxear, passa a ser tido como ‘cautela, prudência e caldo de galinha’.

A exemplo de teólogos, que na Idade Média discutiam a Bíblia batendo o charuto no cinzeiro, comemorar um vitória assim, com cerveja ou com guaraná não faz a menor diferença!

Anúncios

Read Full Post »

ATUALIZADO- Por determinação da Justiça do Rio, a eleição da mesa diretora da CGADB foi cancelada.  Desde ontem, o interventor já havia sido impedido e registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia e comunicou o juiz de Careiro (MA), estabelecido pelo Superior Tribunal de Justiça como centro de todas as ações, como Foro competente.

Todas as determinações da Justiça foram descumpridas, inclusive a do cancelamento das 10.479 inscrições irregulares, após provas substanciais, embora tivessem conhecimento por meio de carta precatória de intimação, expedida por Careiro (MA), e mantida pelo juiz Thomas Souza, do Foro Regional de Madureira. A única liminar que ele não manteve foi a de exclusão do nome de Wellington Junior, que concorreria sob judice.

Até agora o interventor foi nomeado somente para gerir as questões, que dizem respeito à eleição – substituir a Comissão Eleitoral –, porém, uma intervenção geral não estaria descartada, tendo em vista o enfrentamento e jogo de braço diante das decisões judiciais.

Abaixo o despacho do juiz, cancelando a eleição, diante dos fatos.

CGABD - CANCELAMENTO

INSCRIÇÃO FRAUDULENTA

Uma das inscrições fraudulentas (fac simile abaixo) já teve o registro de voto. Trata-se do missionário Reginaldo de Deus Pereira, atualmente membro da Igreja AD em Rio Cumprido, Grande Rio, presidida pelo pastor Davi Nobre Rocha, que acaba de declarar a ilegalidade e colocar-se à disposição, para comprovação, junto do pastor inscrito à revelia.

IMG-20170409-WA0050

COMISSÃO ELEITORAL

Presidente e vice da Comissão Eleitoral, promotores de Justiça Antônio Lorenzete (RN), e Wilson Brandão (PA), respectivamente, ontem (sab,8abr), durante abertura do Processo Eleitoral (foto abaixo).
CGADB- Comisão Eleitoral.jpg

Read Full Post »