Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 9 de janeiro de 2016

SINAIS DA VOLTA DE JESUS

Com um comentarista à altura, a Lição-CPAD deste domingo, indica facilidade de ministração, em função de tudo quanto estamos vivendo atualmente. O tema confere com a atualidade. Vivemos tempos do Fim, período que antecede à Volta de Jesus.

Pastor Elinaldo Renovato tem propriedade, conhecimento, sabedoria e valores, a indicar-lhe credenciais para tal assunto.

Por sugestão de um colega, ofereço subsídios e trechos retirados de meu livro sobre Escatologia, FRONTEIRA FINAL, editado pela CPAD.

TRÊS PERGUNTAS

“E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a Ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Quando serão essas coisas; e que sinal haverá da tua Vinda e do Fim do mundo?”, Mt 24.3.

O texto mateano registra a conversa do SENHOR com os discípulos, no capítulo 24, a partir do verso 3, e começa com três perguntas básicas, a nortear meu comentário:

  • Quando será isso;
  • Qual é o sinal da tua Vinda;
  • E do Fim.

Suntuoso e representativo, o Templo dos Judeus é o assunto central, e sua destruição o alarde que catapulta o discurso escatológico (do grego eschaton, ‘Fim’) de Jesus.

Aos judeus, o Templo é a Casa de Deus terminado por volta do ano 26, e que levara 46 anos para ser concluído, conforme João 2.20. Figurava como orgulho de Israel, sua principal maravilha. Estão todos admirados com a construção de Herodes, o Grande, tão maluco quanto empreendedor político.

Segundo Josefo, sua construção envolveu cerca de 10 mil trabalhadores e quando o cerco Romano começou, em 66, ainda havia resquícios de construção no Monte do Templo.

Era a maior representação religiosa: a estrutura física que empolga e orgulha, mexe com os desejos e fervilha a busca do poder temporal humano das riquezas representadas em tais estruturas representativas. Os discípulos estão assustados e fazem a tríplice pergunta em particular ao SENHOR.

Observe que a adoração no Novo Testamento muda e perde a localidade nacional, para a representatividade pessoal, do prédio temporal para o templo eternal, dos chamados ‘para fora’ (do mundo), daí eclésia (igreja). Cada membro do Corpo (de Cristo) figura como templo do Espírito (de Cristo). As estruturas externas e físicas, que atraem e criam disputas, perdem-se, tanto que os primeiros templos apareceram somente no final segundo século.

TEMPOS DIFERENTES

Pela composição frasal das perguntas, os discípulos unem como um mesmo evento, a Vinda do SENHOR (Parousia, presença ‘em glória’) e o Fim. Mas, nas respostas, o SENHOR separa os dois momentos.

RESUMO DE TUDO

No primeiro texto de resposta, dos versos 4 ao 14, o SENHOR resume a resposta a todas as perguntas, culminando com o Fim, quando o Juízo Final se estabelecerá.

O FIM

Por isso, não significa que o Evangelho terá de ser pregado em todo o mundo, como causa pétrea para que o SENHOR volte à Igreja. Caso isso fosse objetivo doutrinal próprio, não haveria a necessidade de a anunciação pelos anjos e ainda pelos judeus (Is 66.19), na Grande Tribulação, e no Milênio, respectivamente.

Esta justificativa está firmada em 1Coríntios 15.23-24: ‘Mas cada um na sua ORDEM: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua Vinda. DEPOIS virá o Fim, quando tiver entregado o Reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda potestade e força” (grifos meus. Leia até o 26, e o 54).

PRIMEIRA PERGUNTA

A primeira resposta diz respeito à ‘essas coisas’, aquilo que estava em discussão, com respeito ao Templo, especificamente.

Também o SENHOR separa os fatos, para que os judeus não se firmassem na crença de que o sofrimento a que estavam submetidos e que teriam de passar depois, seriam sinais próprios da manifestação em glória do SENHOR, próximo daquele momento.

Como estavam em submissão ao Império Romano, acreditavam que o Messias iria libertá-los brevemente. O próprio apóstolo Paulo cria assim e até diz: “Depois nós, os que ficarmos vivos…” (1Ts 4.17). Portanto esse sentimento passou para a Igreja Primitiva, que também fora terrivelmente perseguida por Roma, até Constantino, por volta de 338dC, quando ele assume a liderança da Igreja e a oficializa como religião do Império, criando a Igreja Católica (Mundial, Universal) – até aí não havia discordância contida –, mas Católica ROMANA, isto é, de Roma.

ABOMINAÇÃO DA DESOLAÇÃO

Os versos seguintes ainda dizem respeito aos judeus (15-20), a destruição do Templo, que ocorreu no ano 70, quando também os judeus foram perseguidos e mortos, pois o cerco a Jerusalém permaneceu de 66 a 70. Daí o alerta: Fujam para os montes; não voltem para casa; ai das grávidas; e que a fuga não seja no inverno ou no sábado (dia de adoração dos judeus).

QUANTO À VOLTA DO SENHOR

As notícias que precedem a Volta de Cristo estão em evidência hoje. Suas predições começam no verso 21 e vai até o 27, quando o Filho do Homem volta à Igreja (somente). Veja Cantares 3.6.

ESPÍRITO OPOSITOR

Temos versículos paralelos da tentativa de mudanças de leis, costumes e posturas humanas (cf Daniel 7.25), como vemos atualmente,  em oposição à natureza (humana), preestabelecida pelo Criador, como na questão de tentativa do atual Governo brasileiro e seu grupo partidário de

  • mudar o gênero de crianças (MEC), por imposição da ONU e sob o patrocínio de Ongs, como o Instituto Ford, e o Rockfeller, dentre outros;
  • a questão da mudança do casamento entre macho e fêmea;
  • da tentativa de alterar a constituição de família, de pai, mãe, filhos e irmãos), para pessoas associadas por laços de aproximação, não importando os gêneros envolvidos ou se há filhos, homem ou mulher, a incluir ainda cachorro, gatos etc.

Buscam a destruição das bases naturais da dualidade: Deus-Diabo; Céu-Inferno; Condenação-Salvação; Bem-mal; Certo-Errado…, para a pluralidade.

Também querem tirar a adoração ao SENHOR (Dn 8.11 e 2Ts 2.4; Dn 11.37 e 1Tm 4.3).

ERA DA MENTIRA

Temos ainda o tempo aberto à mentira, pois a ideia de que ‘todos mentem até que se prove contrário’ é universal, infelizmente, e até alguns dos que deviam ser puros e não emanar dúvidas são também incluídos nessa lista de João 8.44 e 2Tessalonicenses 2.9.

Construção de justificativas, escamotear a verdade, e outras formas parecidas e ainda que até não correspondem à mentira direta, também são mentiras (Ap 21.27; 22.15).

O FIM

A terceira resposta está nos versos seguintes, do 29 ao 31, quando o SENHOR aparece, em Segunda Vinda, com a Igreja em glória, após galardoá-la nos Céus. Então todos verão o Filho do Homem em poder e glória (v30). Leia agora Cantares 6.10.

SINAIS

Conhecimento: Dobra a cada 4 anos.

Por causa do esfriamento de desejos por busca de religiosidade, muitos templos católicos romanos estão à venda na Europa. O motivo principal é simples: Não há mais fiéis.

Temos notícias de templos assembleianos, pasmem, sendo vendidos em Catanduva e São José do Rio Preto-SP, pelo mesmo motivo, além de problemas relacionados a divisões, motivadas por administrações pecaminosas, protecionismo, paternalismo, personalismo religioso e simonia, interesses de grupos, divisões, pecados públicos de líderes, esquemas políticos de domínios etc.

SUPERAQUECIMENTO E CATÁSTROFES

(extraído do livro FRONTEIRA FINAL)

NOTÍCIAS QUE ATÉ PARECEM PROFECIAS (Note suas datas e perceba o quanto elas já foram superadas por novas ocorrências)

O Globo, 5/11/90: “No próximo século os termômetros vão aumentar”

Esta manchete não foi construída para compor esta página, mas produzida na Conferência Mundial sobre o clima, em Genebra-Suíça, com a participação de 18 países, em 1990.

Eles discutiram os efeitos nocivos da emissão de dióxido de carbono, o efeito estufa e destruição da camada de ozônio.

A previsão é de que com o aumento de calor haverá nos próximos anos mais chuvas e tempestades, erosões na terra, incêndios em florestas. Com essa previsão sombria, os representantes de países participantes pediram “Providências imediatas”.

Aumento será de 2 a 5 graus no próximo século, desencadeando uma mudança radical com aumento do nível dos mares entre 35 e 65cm.

Folha de São Paulo (Folha Ciência), 12/7/00: Polo Norte deve derreter até 2050, dizem cientistas

“A calota de gelo do pólo norte está derretendo tão rapidamente que poderia sumir totalmente durante o verão a partir de 2050, segundo cientistas da Universidade de Bergen, Noruega. O derretimento, segundo a equipe, não causaria aumento do nível do mar”.

(Da Reuters) – Folha de São Paulo, Ciência, 20/3/02: Aquecimento global quebra geleira gigante

“Uma plataforma de gelo antártica sete vezes maior que Cingapura se desintegrou pelo efeito do aquecimento global, dizem cientistas britânicos.

O grupo, pertencente ao Serviço Antártico Britânico (BAS), previu a desintegração da plataforma gigante Larsen B (com 3.250km quadrados quatro anos atrás, mas ficou surpreso com a velocidade da quebra. Ela é uma das cinco que está se quebrando por conta dos efeitos do aquecimento da Terra”.

“Sabíamos que os que sobrou iria acabar colapsando, mas a velocidade foi assustadora’, disse o glaciologista David Vaughan, do BAS. A península Antártica aqueceu 2,5º C nos últimos 50 anos, mais rápido do que qualquer outra parte do globo”.

Cientistas dizem que grandes cidades serão as mais prejudicadas (Globo, 22nov2000)

“Haia, Holanda. As mortes em decorrência das ondas de calor podem dobrar em todo o mundo nos próximos 20 anos. A alerta foi dada ontem, pela Organização Meteorológica Mundial, durante a 6ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Que acontece em Haia, Holanda. Segundo Godwin Obasi, representante da Instituição, o aquecimento global, atribuído ao aumento da emissão dos gases de efeito estufa na atmosfera, prejudicará principalmente as grandes cidades.”

“(…) Segundo os especialistas, o efeito estufa pode provocar uma elevação de até seis graus na temperatura média do planeta nos próximos cem anos.”

Segundo a matéria nas principais 15 cidades norte-americanas morrem por ano 1,5 mil pessoas, em decorrência do calor. As autoridades alertam que o número pode dobrar nos próximos anos. Além dos EUA o efeito será ainda maior também no Canadá, Grécia e Espanha.

 Cheias Matam 26 na França: O título é do Diário de Pernambuco, de 16/11/99 (Mundo), ao lado da matéria sobre o segundo terremoto de 7,2 graus, em três meses, que matou 452 pessoas na Turquia.

DESERTIFICAÇÃO: Cerca de 20% do total da área do Nordeste já foram atingidas pela desertificação. Ou seja, dos 1,5 milhão de quilômetros quadrados conta com 300 mil de área atingidos. A informação foi transmitida na Conferência das Nações Unidas de Combate à Desertificação, que já afeta a qualidade de vida de 8 milhões de brasileiros.

A notícia foi divulgada pela coluna Diário Político, de Divane Carvalho, no Diário de Pernambuco, à página A2, de 16/11/99. A colunista informa ainda que as estiagens tiveram início no século 16.

“O estado do mundo 2000”: Este é o título de um relatório sobre o meio ambiente que alerta para a continuidade de catástrofes climáticas, com acentuação dramática nos próximos anos. O documento foi divulgado em janeiro de 2000, em Washington, produzido pela ONG norte-americana Worldwatch Institute.

O Globo, 20/1/2000, página 35 (O Mundo): Onda de frio castiga EUA

Pelo menos oito pessoas morreram e temperatura chega a 36 graus negativos

Os EUA mergulharam, nos últimos três dias, num frio que não se via há anos.

No Nordeste do país, a temperatura atingiu 36 graus Celsius negativos. Washington ficou coberta de neve. Na gélida Nova York, três pessoas morreram de frio nos últimos dias. Pelo menos outras cinco morreram em outras regiões do país. Esta onda de frio pode aumentar a epidemia de gripe que desde o Natal lota os hospitais do país. Cientistas do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA alertaram que o frio deve elevar o número de casos, pois deixa as pessoas mais vulneráveis a complicações respiratórias e as obriga a passar mais tempo em ambientes fechados.

Custos das desordens

O custo provocado por catástrofes, doenças, violência, pelo uso de drogas autorizadas, como fumo e álcool, que ocasionam a necessidade do aumento dos investimentos em saúde pública, incêndios, é um preço que o homem tem de pagar sem ter como evitá-lo. Esse desgaste desencadeia outros investimentos, como o de prevenção e, por fim, chega-se a mais uma agravante que empurra o atual sistema financeiro para fora do cenário e pede outro.

A Folha de São Paulo (Opinião, 14/1/2000), informou: Estados Unidos gastam US$ 100 bilhões por ano no diagnóstico e tratamento de câncer, conforme o José Aristodemo Pinotti, em O Câncer e a mulher no próximo milênio.

A cada catástrofe o mundo recebe um novo abalo no seu sistema econômico. Além dos desdobramentos sociais, com furto, assalto e estupro de vítimas, abandono do dever, roubo de produtos destinados às vítimas, obtenção de lucros, conforme lista de casos divulgada pela Corte Suprema do Povo, na China, que contabilizou “17,6 milhões de casas submersas ou destruídas”, e as “perdas econômicas já são estimadas em US$ 24 bilhões”. (Folha de São Paulo, 14/8/98).

O progresso leva o mundo para um afunilamento sem fim. O crescimento e avanços do homem transformam tudo em uma bola de neve, que o arrebata para um inferno, varrido todos os dias por catástrofes.

A violência também tem a sua parte, tanto no custo quanto nos índices que chegam a ser catastróficos. As perdas vão além dos custos públicos, pois as pessoas atingidas direta ou indiretamente pela violência, segundo informações do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), registram perda da capacidade produtiva.

Segundo o mesmo órgão, conforme informações divulgadas em junho de 2007, a violência consome no Brasil 5% do PIB. O custo da violência chega a R$ 92,2 bilhões, com relação ao ano de 2006, mas se for lançado para 2007, o custo subiria para cerca de 117 bilhões de reais.

Somente nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, os investimentos na Saúde para tratar das vítimas da violência consomem 60% do orçamento destinado ao setor. Somente no trânsito o custo da violência chega a 22 bilhões de reais.

A destruição total do mundo, na época de Noé, pelo Dilúvio, ocorreu a partir da multiplicação da maldade entre os homens, com ela, a Terra se encheu de violência (Gn 6.5,13).

Resumo de índice do livro FRONTEIRA FINAL

04) As Pedras (de gelo) Anunciam o Fim

05) Superaquecimento e Catástrofes

06) Meio Ambiente: Qual a nossa Mordomia?

07) Nova Era – A Construção Sobre Areia

08) Explosão de Conhecimento – O Avanço Tecnológico

09) Falência do Sistema Financeiro

10) Globalização – O Aparecimento do Último Império

11) A Besta e o Controle por um Líder Universal

12) Profecia de Oséias: O Grande e Terrível Dia do Senhor!

13) Fidelidade da Palavra

14) Revelação às Igrejas da Ásia

15) Plano Divino – O Futuro e o Arrebatamento

16) O Alerta dos Pólos

17) Assim como o Planeta, Mudamos muito Também

18) Penúltima Página

19) Última Página

Read Full Post »