Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 30 de maio de 2011

Na Bíblia cristã, isto é, Pentecostal, são citados somente dois Arcanjos: Miguel e Gabriel. Miguel é o Arcanjo Guerreador e Gabriel, Mensageiro do Senhor. Este anunciou o nascimento de Jesus Cristo.

Arcanjo tem como prefixo arc, (arc-anjo) que significa principal, superior… São tidos como Príncipes do Senhor. Porém, a tradição católica apresenta mais um arcanjo, chamado Rafael com base em uma fonte apócrifa – o livro de Tobias.

ARCANJO MIGUEL

“Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda”, Jd 1.9. “Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia”, Dn 10.13. “E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos”, Ap 12.7.

ARCANJO GABRIEL

“E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas”, Lc 1.19. “Alegres novas” é o mesmo que Boas-Novas, que significa Evangelho ou Mensagem. “Estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio, voando rapidamente, e tocou-me, à hora do sacrifício da tarde”, Dn 9.21.

SENHOR COM VOZ DE ARCANJO

Uma das citações bíblicas, na Volta de Jesus, fala de sua voz, como de Arcanjo (Príncipe): “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro”, 1Ts 4.16.

RAFAEL – O SUPOSTO ARCANJO

Segundo a tradição católica romana, este Arcanjo teria como principal característica ajudar na cura dos doentes e, por isso, seria o guardião da saúde, incluindo a saúde espiritual. Mas, o tal arcanjo Rafael é de existência duvidosa, tanto por sua atuação – pois essa atividade não era própria no Antigo Testamento –, quanto por estar citado no Livro de Tobias, um apócrifo (livro não canônico, não reconhecido como inspirado).

Nem só a Igreja, mas também, e principalmente, os judeus não o consideram como inspirado, mas apócrifo (não autêntico). Os protestantes basearam o Velho Testamento no mesmo número e livros aceitos pelos judeus, seguindo apóstolo Paulo, que demonstra essa autoridade, em Romanos 3-1-2: “Qual é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas”.

Tobias é um dos 13 livros apócrifos que, embora reconhecidos como não inspirado, também pela Igreja Católica Romana, está inserido em sua Bíblia (Velho Testamento).

Sua história também não convence: “Foi o Arcanjo enviado por Deus para curar a cegueira de Tobias e acompanhá-lo numa longa e perigosa viagem para conseguir uma esposa”.

Os arcanjos atuavam pró-Israel (nação) e nunca de forma individual, como no caso. Quando havia o envolvimento individual – Daniel e no nascimento do Senhor – havia o interesse tanto nacional quanto mundial.

Nos casos individuais, os anjos são capazes para tal e não necessitaria da intervenção de um Arcanjo. O trabalho dos anjos é atuar a favor dos salvos, com respeito à própria salvação: “E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, Até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés? Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?”, Hb 1.13-14.

Não se vê essa atuação nem no Velho e tampouco no Novo Testamento. Nos casos de curas divinas, o que se tem é a interferência divina por meio de homens ungidos. No VT os profetas e sacerdotes eram homens usados para esse fim.

A CREDIBILIDADE DO ESTRANHO LIVRO

É fácil entender o porquê de o livro não ser reconhecido. A história é pitoresca, não menos fictícia, e não convence, até mesmo quanto ao motivo da cegueira de Tobias.

Ele dormia sob um ninho de andorinha, à beira de um muro em sua casa, e o pássaro, ao defecar, acertou os seus olhos, tornando-o completamente cego (Tb 2.11). Outras referências conclamam a não aceitação do livro como inspirado, haja vista sua história sair totalmente do foco bíblico.

O livro trata de um homem piedoso, mas teve seu filho degolado, era ridicularizado pelos vizinhos e levava corpos de mortos para sua casa, onde os escondia, após os recolher a cada dia das ruas, para depois sepultá-los. Era insultado e ridicularizado pelos chefes, parentes e amigos. Era esmoleiro e até sua mulher Ana o censurava duramente (12.22).

É uma história de pobreza extrema, sofrimento e ainda contém a doutrina espírita da justificação pelas obras. Embora o texto exalte a humildade de Tobias, mas em outro trecho ele reclama da situação, com um anjo: “Que alegria posso eu ter ainda? Estou nas trevas sem poder ver a luz do sol” (5.12).

Há também uma história estranha de uma mulher chamada Sara, dada a sete maridos e que um demônio de nome Asmodeu os matava (3.7). Por fim, aparece um anjo de nome Rafael (mas é citado com o anjo e não como Arcanjo): “e um santo anjo do Senhor, Rafael, foi enviado para curar Tobias e Sara, cujas preces tinham sido simultaneamente dirigidas ao Senhor”, 3.25.

Aparece ainda um anjo, que se apresenta como Azarias, filho do grande Ananias (5.18), guia de Tobias rumo à Média (império que se ligou ao Persa).

No Rio Tigre um grande peixe salta do rio para atacar Tobias e o anjo manda que Tobias mate o peixe e tome suas entranhas para serem usadas como remédio – o figado, o coração e o fel.

Não bastasse isso, tem mais espiritismo, pois quando quis saber sobre o poder de cura do coração do peixe, o anjo ensinou que sobre brasas a fumaça resultante do coração queimado expulsaria demônios (6). Depois o fígado do peixe também seria queimado para expulsar demônio de Sara, com quem Tobias deve casar-se, mesmo com medo do demônio que matava os seus maridos. Sara é chamada de donzela (virgem).

Embora Tobias é tido como curado por Rafael, fora Azarias que o ensinou como ser curado e não o curou propriamente. Mais uma vez, de forma estranha e longe dos preceitos bíblicos, Tobias é orientado a usar o fel do peixe, colocando-o sobre os olhos para ser curado.

ERROS DOUTRINÁRIOS

Esse livro é composto de lendas, tem o tal anjo Rafael como coadjuvante e ainda claras heresias:

– Intercessão por meio de oração dos mortos (12.12);

– Caridade e obras como meio de salvação (4.11-12; 12.9;

– Um anjo diz ser de linhagem humana (5.16-19);

– Formas místicas de curandeirismo (6.5; 11.8);

– O tal anjo Rafael é tido como arcanjo pela tradição da Igreja Católica Romana.

Read Full Post »